20 de ago de 2013

[RESENHA] O Guia do Mochileiro das Galáxias

"Há uma teoria que indica que se alguém descobrir exatamente para quê e por que o universo está aqui, o mesmo desaparecerá e será substituído imediatamente por algo ainda mais bizarro e inexplicável... Há uma outra teoria que indica que isto já aconteceu."
          



Arthur Dent tem sua casa e seu planeta (sim, a Terra) destruídos em um mesmo dia, e parte pela galáxia com seu amigo Ford, que acaba de revelar que na verdade nasceu em um pequeno planeta perto de Betelgeuse.

Considerado um dos maiores clássicos da literatura de ficção científica, este livro vem encantando gerações de leitores ao redor do mundo com seu humor afiado. Este é o primeiro título da famosa série escrita por Douglas Adams, que conta as aventuras espaciais do inglês Arthur Dent e de seu amigo Ford Prefect. A dupla escapa da destruição da Terra pegando carona numa nave alienígena, graças aos conhecimentos de Prefect, um E.T. que vivia disfarçado de ator desempregado enquanto fazia pesquisa de campo para a nova edição do Guia do Mochileiro das Galáxias, o melhor guia de viagens interplanetário. Mestre da sátira, Douglas Adams cria personagens inesquecíveis e situações mirabolantes para debochar da burocracia, dos políticos, da "alta cultura" e de diversas instituições atuais. Seu livro, que trata em última instância da busca do sentido da vida, não só diverte como também faz pensar.



Não existe apenas uma palavra que possa descrever a “Trilogia de cinco” escrita por Douglas Adams senão genial. É sério, essa é a melhor série de livros de ficção científica/comédia/filosofia já criada na história da vida, do universo e tudo mais. A série é formada por cinco volumes:




•      O Guia do Mochileiro das Galáxias



•      O Restaurante no Fim do Universo



•      A Vida, o Universo e Tudo Mais



•      Até Mais, e Obrigado Pelos Peixes



•      Praticamente Inofensiva


Os livros, apesar de não serem muito extensos (o maior deles não chega a ter duzentas páginas, e o menor não chega a cento e vinte), tem um conteúdo incrivelmente maravilhoso e de fácil leitura – apesar de conter algumas teorias que podem te deixar pensativo por horas e dar um pouco de dor de cabeça.


Os livros tiveram adaptações para séries e filmes, mas eu me nego a comentá-las, pois ficaram quase 100% infiéis a essa fantástica saga – se bem que Zooey Deschanel atuando como Trillian me rendeu um pequeno orgulho da adaptação.



Douglas tem um humor ácido incomparável com qualquer outro tipo de humor. Ele fala de temas polêmicos com leveza e deboche, fazendo qualquer leitor com capacidade o suficiente pra entender sua ironia de improbabilidade infinita (algo como 10 sobre infinito menos 2) rir sem parar.


"Sabe-se que há um número infinito de mundos, simplesmente porque há uma quantidade de espaço infinita para que estejam dentro. Entretanto, muitos deles não são habitados. Consequentemente, deve haver um número finito de mundos habitados. Todo número finito dividido pela infinidade é tão próximo a nada; como não existe probabilidade de criação, assim, a população média de todos os planetas no universo pode ser dita como zero. Disto segue que a população do universo é também zero, e que alguns povos que você puder encontrar de tempos em tempos são meramente o produto da sua imaginação."


Na trilogia, existe um “guia” chamado Guia do Mochileiro das Galáxias. O Guia parece com uma calculadora: Tem botões para selecionar o número do artigo que quer. Nas suas costas, em letras garrafais, está escrito somente quatro palavras: “Não entre em Pânico”. Ele funciona como a Wikipédia na maioria dos aspectos: Qualquer um pode editar e existem milhões de artigos sobre praticamente tudo. Tudo mesmo. Desde coisas bobas, como o planeta Terra, até coisas extremamente complexas, como o amor ou o álcool – sim, o álcool é algo extremamente complexo.



Eu poderia resenhar somente com citações dos livros, pois todas elas são incrivelmente maravilhosas e, não posso negar, perfeitas. Isso, apesar de ser legal pra caramba, acabaria por ficar entediante. Terei que deixar algumas citações para quem decidir ler a saga, porém não posso esconder a genialidade de Douglas ao falar sobre as viagens no tempo e seu incrível problema – que seria minha citação preferida depois da história do biscoito e do tutorial de como voar.


"O problema maior é simplesmente gramatical, e a principal obra a ser consultada sobre esta questão é o tratado do Dr. Dan Streetmentioner, Manual dos 1001 Tempos Gramaticais para o Viajante no Tempo. Ensina, por exemplo, a descrever algo que estava prestes a acontecer com você no passado antes de você evitá-lo pulando no tempo para dois dias depois com a intenção de evitá-lo. O evento é descrito distintamente conforme você esteja referindo-se a ele do seu ponto natural no tempo, de uma época no futuro posterior ou numa época no passado posterior ao evento e posteriormente vai ficando mais e mais complicado caso você esteja viajando de cá para lá no tempo na tentativa de tornar-se seu próprio pai ou sua própria mãe.

A maioria dos leitores chega até o Futuro Semicondicional Subinvertido Plagal do Pretérito Subjuntivo Intencional antes de desistir; e de fato, em edição mais recente desse livro as páginas subsequentes têm sido deixadas em branco para economizar custos de impressão.”




Douglas Adams diz que a única coisa que não pode faltar em uma mochila de um Mochileiro das Galáxias é uma toalha – por muitos e muitos motivos. (CURIOSIEDADE: O dia da toalha é comemorado dia 25/05 em homenagem ao guia). Outra coisa que Douglas costuma dizer é que a resposta para a Questão Universal sobre a Vida, o Universo e Tudo Mais é 42. O único problema é que ninguém sabe a pergunta. Muitas teorias são criadas em torno desse número.



Concluo a resenha ao dizer que não existe uma leitura tão ou mais necessária para quem curte histórias engraçadas/interessantes/criativas/non-sense. Os livros são maravilhosos e super recomendo todos.



Nota:
  


 
Até mais e obrigado pelos peixes!




Um comentário:

  1. Eu super quero ler já faz tempo, mas tenho outras prioridades (outros livros que eu quero mais ainda). E não conheço ninguém que tenha pra me emprestar... =(

    Gostei da resenha!!

    Beijo

    http://agarotaeotempo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir