3 de mar de 2013

Capítulo 6


Puxe-me



ALOOOOOOOOOOOOooooooOOOOOOOOOOO <3 oi amores míos, como vão vocês?
EU VOU MUITO BEM, OBRIGADA. Mas explicarei o porquê de tanta felicidade:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::não existe exatamente um porquê.
Quer dizer, a pessoa não precisa de um motivo pra estar feliz, certo?
Certo.
Yay.
Se você não está feliz, espero que esteja até que seu cursor esteja no fim desta página (: ÇOKAÕPLKS~PAL
Mas deixa eu falar: já tem um tempinho que não posto aqui, AND I KNOOOOOOW. Eu sei que não postei no domingo passado como prometi, okay? Não precisa jogar na face. Eu sei. Sei que deveria ter sido mais responsável e postado como prometi de fato, mas não rolou. Vou explicar o porquê:
a) eu não tinha escrito Trucker, e sim, Renascer.
Leitor: MAS SARINHA PÔ TU TBM NAO POSTOU NA RENASCER NÃO VLH
Verdade, querido, não postei. MAS SÓ NÃO POSTEI POR QUE O WORD INFELIZ COMEU METADE DO MEU CAPÍTULO!!!!!!!!!!!!!!!! E EU FIQUEI COM MUITO ÓDIO.
Por que, cara, eu tinha mandado aquele capítulo pro meu email, e só faltou o final. FOI JUSTAMENTE A PARTE QUE O WORD COMEU. Não sei exatamente como, mas creio que ele mandou pro arquivo de compatibilidade, mas aí eu joguei o original no backup, formatei minha maquinazinha, joguei o windows 8 e então, quando fui abrir o arquivo da Renascer: KD, NAO TEM
Capítulo 5 puff
Então eu fiquei muito puta mesmo e não postei foi nada. Por que é o que acontece quando estou mt puta.
Já aqui na Trucker, eu não havia escrito por que não sabia just o que fazer :C esse capítulo ficou mais ou menos bom, mas deveria ter ficado melhor, eu penso ÇAPLSKQÇPOKS~POLAS enfim. Eu não sabia o que fazer e fiz isso aqui, com a ajuda das minhas cobaias da noite, Arielle e Becca. Então um salve pras gurias que foram minhas cobaias.
É só que às vezes é impossível planejar um capítulo sozinho. Justamente quando você está bloqueado. Tem que interagir sobre a fanfique com alguém pra vc se animar, sacomé. Então Ari e Becca me ajudaram um bocado e escutaram todo o diálogo do fim deste capítulo, que fiz na hora s2s2s2
Eu tenho mais coisa pra falar, o que mesmo, hm................
Putz, tenho dever de matemática pra fazer D: 
Mas não era isso.
Hummmmmm........
AH É. ADIVINHA O QUE TEM NESSE CAPÍTULO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
APÇSLQASOPKQÇPOIJSALIUQHGWLSYIVQLIWHSÇJIQÇOWASLKOIKQJÇPIAKSÇPOQWKÇSJOKÇQOIWJKÇOIJÇPQOWSKIPAOSJ~PQOS~IKQ~POWJÇSOAIHQLIEVYULDBAIHÇSOQHWNSALIUVDBQIYGBAÇSUOQHÇWOSIJD~PAJKS
DEPOIS DE MUITO TEMPO
TIPO MUITO TEMPO
MUITO TEMPO MESMO
E MUITOS CAPÍTULOS ESCRITOS
DE MUITAS FICS
MUITAS MESMO
NÓS VAMOS TER UMA MÚSICA ACOMPANHANDO O PROCESSO LITERÁRIO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!1111111111111
s2s2s2s2
Eu fiquei bastante em dúvida em relação a que música usar, por que escutei várias enquanto escrevi esse capítulo. Rebeca deu a ideia de "Huricane" da Panic!. Mas não. Não cabia, embora me inspirasse um pouquinho. Pensei também sobre a "Heart Attack", a nova da Demi (QUE SÓ POR ACASO ESTÁ MUITO BOA), mas também não coube muito e deixei pra lá.
Estava quase desistindo quando a voz de Luke Pritchard começou a tocar no meu modo aleatório da playlist "Para Escrever a Trucker".
((((((((((((((: 
Cês vão ter The Kooks hoje.
ALÉM DISTOOOOOOOO, fiquem de olho na página (Con)textuando no face, que eu tô dando bastante spoiler entrelinhas. (:
ALÉM DISTO, caramba, dia 25/02 foi aniversário da Renally Vasconcelos, essa linda! E acabou que não deu pra eu preparar nada pra ela, como preparei para a Iza (que fez niver no dia 22/02, eu dei a ela um conto, você pode lê-lo clicando >AQUI<) PORTANTO, este capítulo da Trucker é dedicado a ela :3 
Nally, amor, feliz aniversário! Josh e Hayley pra você!
Que maissss?????? hmmmmm
Ah, sim, falando em conto. Muita gente me encheu o saco e eu acabei postando a Meu Melhor Amigo Colorido (se você me acompanha since época do Nyah! Cocôction, sabe que essa foi uma one muito querida, embora muito mal escrita), e você pode lê-lo em sua versão original. EU AINDA PRETENDO REESCREVÊ-LA UM DIA.
Quem sabe.
ABOUT LAST CHAPTER
Dez comentários???????? NHAAAAAAAAAAA QUASE CHOREI (considerando 11 por causa do comentário da Fer que nao postou). CARA, VOCÊS SÃO LINDOS DEMAIS, E AMO VER VOCÊS COMENTANDO PRA MIM AGAIN ASLQJOIWÇOGBHLIQUWHÇOSIJQÕSKAOS sério, vocês não sabem o que um comentário pode fazer para uma autora. É como um combustível. Eu me sinto muito feliz quando vocês comentam pra mim, juro. Eu... não consigo nem dizer o quão gratificante e feliz é. Dá vontade de pegar você, leitor, abraçar você, morder você, beijar você e te amar pra sempre. Nhw. Comente para mim e me faça feliz *u*
(A propósito, desculpe não ter respondido nenhum deles </3 mas eu amo vocês anyway e darei meu melhor pra responder os desse post aqui).
E eu notei que vocês todos amam muito o Josh. Com a exceção do Rafa. O Rafa odeia o Josh. O que mostra que ele é uma pessoa melhor do que vocês, oras, por que ele reconhece a cafajestice do indivíduo e decide manter distancia dele e quer que Hayley também o faça para que nao machuque seu coraçãozinho.
Pena ter de desapontar meu menino s2 RAFA, LOVE YOU, MAS ISSO NÃO VAI ACONTECER.
Quanto a mostarda: Hayley ama, não importa se vocês não o fazem -n
Salve especial pro Guibs, pro Diogo, pra Larissa e pra Nats, pra Sofia s2, pra Vitória linda, e pra Becca e Arielle que foram minhas cobaias amor. CAPÍTULO AINDA DA RENALLY <3 e...
é isso, vou calar minha boca.
See you lá embaixo. :3





PlayNOW: Pull Me In - The Kooks (Não se esqueça de repetir quando acabar!)





Fechei a porta do meu quarto com tanta força que o barulho ressoou meus ouvidos. Recostei-me nela com força, meu coração pulando do peito, minha boca latejando vorazmente. Ainda sentia o gosto de chiclete de menta preso na língua, meus lábios ainda estavam molhados, adormecidos e felizes pela experiência.
O relógio na minha escrivaninha apontava às duas horas e meia da tarde, e eu nunca fiquei tão agradecida por não precisar ir trabalhar. No dia anterior, quando Beth chegou do salão de beleza, dissera que eu não precisava comparecer no dia seguinte, pois ela e as crianças fariam compras em Nashville. Quase a abracei e chorei em seu ombro de emoção, mas me controlei, feliz com a ideia de que dormiria um dia inteiro. Agora, quando o dia chegara, eu sabia que jamais conseguiria dormir depois do acontecido. Não depois de ter feito o que tinha feito.
Ah, caramba, me desculpa por estar te mantendo desatualizado de novo. Juro que não é minha intensão. Apenas estou atordoada demais.
Por que eu beijei Josh Farro de novo.
O.k., vamos lá, me julgue. Vá em frente. Diga o quão errada eu fui em fazer aquilo. Pode me chamar de burra, tudo bem, eu aguento. Sou mesmo. Uma impulsiva idiota que não controla o que sente de jeito nenhum.
(Se pelo menos ele não fosse tão gostoso...)
E eu sei que não deveria ter feito aquilo, tudo bem? Não pense que eu não tentei. Não pense que eu não estava me policiando para não ficar com ele, justamente por que eu achava sim, que ele era um idiota, metido a superior, riquinho, quarterback, e tudo o que eu odeio em um cara. Disse isso a ele dois dias atrás, você bem se lembra. Lembra também que ele tentou me beijar e eu lhe dei um belo chute nos seus futuros filhos e lhe disse para ficar longe de mim. Juro que depois de ter sido a pessoa mais desagradável do mundo, achei que ele largaria do meu pé.
Mas eu estava enganada! Mesmo depois de bater nele um milhão de vezes, o garoto ainda me persegue! Como isso pode ser possível? Ele é maluco?
Claro que ele é maluco. Meu Deus. Só pode ser maluco.
Deixe-me contar a você como isso foi acontecer.
O dia começou normal. The Civil Wars me acordou, eu tomei um banho, e fui até a escola com Dakotah que estava com o maior mau humor matinal. O que contribuiu para o meu mau humor matinal. O que contribuiu para o mau humor matinal de Jenna, o que contribuiu para Kathryn nos xingar e dizer que éramos as adolescentes mais instáveis do universo. Então ela foi conversar com a equipe do jornal, e seguimos para as aulas.
Tive espanhol, inglês e filosofia. Então tive pausa para o intervalo, comi sanduíche enquanto Dakotah falava mal de Taylor York, que havia jogado bolinhas de papel em sua cabeça durante toda a aula de literatura. Após o lanche, tive literatura e dois tempos de biologia. Pausa para o almoço, não encontrei Dakotah, que tinha ido direto para a luta greco-romana, mas encontrei Kathryn, que estava comendo uma barra de cereal enquanto revisava a matéria que uma aluna do primeiro ano havia escrito, por isso nosso assunto se resumiu a erros ortográficos. Então ela foi embora, e eu encontrei Zac pela primeira vez na escola, que fez questão de me chamar de “HBomb”. Controlei minha vontade de bater nele e segui em frente, antes do sinal bater, até o treino de vôlei. Agora que tínhamos a rede, a treinadora me mandara trabalhar no saque, por que eu tinha um braço forte. Ainda que tenha me aconselhado a mudar de atividade extracurricular por eu ser muito baixinha.
Também controlei minha vontade de mandá-la à merda.
De qualquer maneira, quando troquei de roupa e cheguei à quadra, minha turma de vôlei feminino não estava jogando. Todas as meninas, sem exceção, estavam sentadas nas arquibancadas, por que alguém já estava usando a quadra. Tome como “alguém” o time inteiro de futebol americano.
Dirigi-me às arquibancadas também, e sentei-me, sem entender nada do que estava acontecendo. Virei-me para uma das meninas que eu havia esquecido o nome, mas que era simplesmente a pior do time, e que tinha os olhos grudados no time de futebol americano como se sua vida dependesse disso. Apostava meu almoço que ela tinha uma queda por algum daqueles jogadores imbecis. Decidi pegar informações com ela, mesmo assim.
Eu: O que diabos está acontecendo aqui?
Ela: O time de futebol está treinando.
Eu: Isso eu entendi. Quero saber o porquê de eles estarem aqui.
Ela: Parecem que estão cortando a grama do campo ou algo assim e eles precisam de um lugar para treinar, por que o primeiro jogo interestadual é daqui a uma semana.
Eu: E nós que pagamos por isso?
Ela: Bem, sim, mas eu nem me importo. Pode ser que isso fure o treino de hoje, e eu ainda estou com os braços meio doloridos.
Eu acreditava nela. A menina aprendera a fazer manchete fazia muito pouco tempo, e não me pergunte como, mas seus braços estavam cheios de manchas roxas provavelmente muito doloridas. Pobrezinha.
De qualquer maneira, pus-me a observar o jogo idiota e profundamente sem noção que era o futebol americano. Não que eu tenha alguma coisa contra a violência em si, pois você e eu sabemos que não, mas eu ainda não sou a favor de violência gratuita. Geralmente brigo por um motivo (seja ele o menor que for), e defendo a ideia de que motivos são necessárias para toda e qualquer treta. Não sou fã de esportes que tenham como base a violência, como o futebol americano e o hóquei, afinal, o esporte deveria ser amistoso. Gostaria que as mães desses jogadores estúpidos lhe dessem uma boa surra para aquietar seus espíritos brigões.
(Por mais que seja hipocrisia eu estar falando isso. Você já sabe que minha moral não é a das melhores.)
E, como você bem sabe, Josh Farro estava jogando, por ser o principal quarterback, e tal. Também estavam lá seus amigos, Jeremy e Taylor, todos eles com um uniforme sujo e malfeito — penso eu que eles não usam os melhores uniformes para treinar —, gritando, se comendo na porrada, caindo no chão, chutando e arremessando uma bola achatada, e fazendo coisas que se fazem em futebol americano. Quando eu morava em Meridian, aprendi alguma coisa sobre isso, por que Michael costumava assistir a algumas partidas. O que eu achava bastante esquisito, por que o marido de minha mãe era o cara mais passivo que eu já conhecera.
Nunca tentei entendê-lo, entretanto. Não é esse o ponto. Vamos voltar ao meu início de tarde, onde eu ficava, contra minha vontade, sentada em uma arquibancada nojenta, olhando adolescentes desprezíveis brigarem uns com os outros dentro da “lei”. A menina ao meu lado parecia rezar para que a partida durasse muito, e minha treinadora estava quase arrancando os cabelos de ódio. Tentei imaginar o que poderia desencadear o treino do time de futebol na quadra de vôlei e basquete, e quase pude ouvir a voz de Kathryn no fundo de minha mente, dizendo-me que aquilo era obra do diretor, ex-jogador de uma liga estadual, que não suportava ver a Franklin High School levando o título do campeonato municipal todo santo ano. Por isso, vivia para educar e treinar os jogadores de sua querida Centennial.
Brincadeira. Eu nem sei se a Franklin High School tem um time de futebol americano.
Mas você tem que me dar um crédito pela teoria.
Vangloriava-me mentalmente enquanto procurava os fones dentro de minha mochila e encaixava no meu tijolo que sabe fazer ligações — vulgo celular. Logo, o som provocante da Nine Inch Nails começou a ecoar em meus ouvidos. Coloquei a mochila atrás das costas e me recostei, perdendo-me gradativamente, feliz por não precisar correr para lá e para cá atrás de uma bola. Poderia ter sido esperta e escolhido uma atividade extracurricular menos exaustiva. Mas, sabia que, lá no fundo, se pudesse voltar e fazer tudo de novo, não faria nada de diferente.
Tudo isso mudou quando Josh Farro percebeu que eu havia chegado.
Ficou bem explícito — ele não parecia ser um homem que escondia sua índole ruim. De repente, escutei a Menina Dos Braços Roxos ao meu lado começar a indagar se Josh estava olhando fixamente para ela, ou era apenas sua impressão. Outra garota, a Alta Que Usa Óculos Da Aula De Álgebra, começou a dizer Menina Dos Braços Roxos que provavelmente Josh estava olhando fixamente para ela, por que ambos tiveram um pequeno caso seis meses atrás. Então, todas as jogadoras ao meu redor começaram a discutir entre si para saberem para quem Josh estava olhando e, apavorada, dirigi minha atenção à quadra.
E, diferentemente daquelas gurias, eu não estava equivocada. Josh olhava para mim. Eu tinha certeza disso, por que ele sorrira e sussurrara meu novo apelido. Sim, pois é, você sabe qual é. Recuso-me a dizê-lo agora a você. Eu o odeio. Por tudo o que é mais sagrado. Não existe nada que eu odeie mais do que esse apelido nas circunstâncias atuais. Seria capaz de socar a primeira pessoa que o dissesse na minha frente. Inclusive aquele porquinho do filme.
Josh segurou nos ombros de seus colegas de time. Gritou alguns números estranhos (“VINTE E OITO, QUARENTA, TRINTA E QUATRO, NOVE NOVE, VAI VAI VAI!”), e então a gandaia começou, porrada, socos, encontrões e tudo o mais. Você sabe. Não tenho como descrever tudo a você. Tente imaginar, você está fazendo um bom trabalho.
A questão é que Farro pareceu fazer questão de ser o rei da porradaria. Sem consegui retirar meus olhos da quadra, vi-o correr até a lateral esquerda, e seu amigo Taylor mandou-lhe a bola achatada idiota. Josh agarrou-a como se sua vida dependesse disso, e então, um milhão de rapazes começaram a correr atrás dele, como um bando de tigres corre atrás de um filhote de zebra. Notavelmente, Josh correu como um condenado, a bola entre seus braços fortes, a zebra em apuros que era. Tudo parecia o.k. até um dos guris aparecer a sua frente. Josh o derrubou.
Simples assim. Não sei bem explicar a você como aconteceu. Sei apenas que ele se curvou levemente para frente, deu um encontrão de ombros limpo nas pernas do sujeito, e ele caiu para o lado como um pino de boliche ao ser atingido pela bola. Puff. Simples assim. E Josh continuou correndo, a bola quietinha nos seus braços fortes já anteriormente mencionados.
Com o ombro, Josh derrubou outro cara que se colocou a sua frente. E outro, com mais um golpe limpo nas pernas. Livre, ele havia atravessado toda a quadra até chegar à linha marcada, e jogar a bola com toda a força no chão. Os caras com o uniforme azul idêntico ao de Josh gritaram seu sobrenome, as garotas que assistiam ao jogo ao meu lado berraram como gralhas no cio, e eu, bem, apenas assisti. Josh olhou para mim. Josh disse meu nome — meu nome mesmo — e apontou o dedo para mim. “Para você ver do que sou capaz, baby”, quase pude ouvi-lo dizer. Fiquei imóvel. Estremeci. A Menina Dos Braços Roxos gritou para as outras meninas que eu estava infectada, mas eu estava tão pasma que nem sequer pensei em acertar o seu nariz com um soco.
Aquele filho da mãe do Farro tinha feito um touchdown e basicamente dissera a todo mundo que estava louco para ter um caso comigo. Isso se não os fizesse acreditar que já estava tendo.
A raiva cresceu dentro de mim como a força de uma chama na floresta seca (perceba que hoje estou uma beleza com comparações), queimando e obstruindo tudo. Já não bastava Josh ser um idiota, maluco e pervertido. Ele tinha de ser um idiota, maluco, pervertido, e espalhar para Deus e o mundo que estava muito mesmo a fim de me agarrar.
Revidei seu olhar comedor com um olhar “vou te chutar de novo, desgraçado”.
E ameacei quebrar a cara das meninas que continuavam fofocando, dirigindo meu olhar principalmente a Menina Dos Braços Roxos, que parecia se urinar de medo de mim. Digamos apenas que eu posso ser bem intimidadora, se quiser. Frustrante é quando não consigo fazer com que essa intimidação tenha o efeito desejado.
Como acontece atualmente com Josh Farro. Quer dizer, droga, eu chutei bem aonde dói! Lá na coisinha de menino dele! Eu sei bem que existem invariáveis nomes para aquela parte do corpo, mas eu honestamente acho todos extremamente sujos, ou apenas clínicos demais. Portanto, pulemos as partes dos nomes, e vamos à ideia apenas de um golpe em tal lugar dói muito — segundo, é claro, as opiniões alheias, por que você sabe que eu não tenho como saber. Mas, caso você seja uma menina, eu geralmente faço uma comparação em relação à dor que sentimos... hum. Em cima. Sabe? Quando está crescendo. Por aí. Você me entendeu.
A conclusão à que chegamos é de que dói pra caramba.
E ainda assim, depois de eu ter ameaçado sua virilidade masculina com um chute limpo na sua bolsa de bichinhos loucos por fecundação, e ter-lhe ardido a face com mais um tapa bem dado e preenchido, Josh ainda parecia avidamente apto a me agarrar. Puta merda! O garoto simplesmente não desiste? Quantas vezes eu precisarei bater nele para que ele entenda? Mil?
O problema é que lá dentro da minha cabeça, uma vozinha dizia que eu teria de matá-lo antes que ele desistisse mesmo de mim. Mandei-a à merda e disse que o faria se fosse preciso, mas queria aquele quarterback idiota fora da minha feliz vida.
Desliguei Nine Inch Nails assim que a voz de Trent começou a falar sobre coisas inapropriadas para o horário. Não estava mesmo a fim de escutar essas coisas enquanto Josh Farro me encarava daquela maneira.
Com o último touchdown dele, não houve mais necessidade do time de futebol continuar com seu treinamento. O técnico deles apertou a mão da minha treinadora e agradeceu, e eu a vi sorrindo muito falsamente. Dava para notar que por dentro ela queria pular no pescoço daquele homem. A cena me divertiu enquanto eu pensava, com um alívio, que Josh Farro finalmente estava indo embora. Isso até me motivou um pouco a jogar melhor.
Mal deu para fazer isso, na realidade. Tivemos treino apenas por meia hora, e minha posição dentro da quadra não exige que eu corra muito. Mas salvei todas as bolas que me firmei a salvar. Acho que estou ficando boa de verdade nisso. Além do mais, fiz questão de deixar as jogadas mais difíceis para a Menina Dos Braços Roxos (que na realidade se chamava Aubrey, mas ignoremos), para provar apenas que seu espírito fofoqueiro lhe concedera uma inimiga. Eu não me importaria mesmo de acabar de bater nela, mas a bola estava fazendo um bom trabalho, por isso deixei para lá.
No fim do treino, não estava porcamente suada, como de costume. O short de laica ainda estava colado as minhas coxas sem problemas, meu cabelo preso num coque, a blusinha do uniforme presa ao meu corpo, seca. Só sentia bastante calor e minha nuca estava um pouco molhada. Nada demais. Daria para eu ir para casa, tomar um banho, lavar a cozinha e dormir um pouco antes de McKayla chegar (já que eu não precisara trabalhar). Parecia-me bom. Para além de que esquecer o acontecido com Josh Farro seria bastante fácil.
Porém, é claro que você sabe que se algo pode dar errado, dará. Murphy disse isso. O filho da mãe.
Adivinha com quem dei de cara assim que saí do ginásio.
Pois é. Josh Farro estava lá, logo na frente do ginásio (que dava para o estacionamento), recostado em seu carro antigo azul (mil desculpas, eu realmente não sei a marca, mas sei que tem pelo menos três décadas e que parece novo, ainda assim) e profundamente polido, uma calça jeans gasta e apertada pousada nas pernas e coxas definidas, uma camiseta branca com gola V (SÉRIO. GOLA V. EU O ACHARIA GAY SE ELE NÃO FOSSE TÃO GOSTOSO.), o cabelo molhado, o olhar comedor, o sorriso “quero-te-ter-agora” que fez meu coração acelerar. Droga de pulsação traíra.
— Baby! — disse ele, chamando minha atenção, claramente. Minhas colegas de time já haviam ido embora, mas eu tinha quase certeza que alguém estava olhando tudo aquilo. Estávamos no estacionamento do colégio. — Belo jogo aí dentro. Soube escolher suas jogadas. Bastante esperto da sua parte.
Quê?! Alguém quer me explicar como raios ele assistiu ao meu treino e eu não o vi?
Tudo bem. Calma. Controle. Você é mais.
— Você não desiste — acusei, com a voz mais entediada existente. Isso, continue assim, voz. Não traia seu próprio corpo.
Josh sorriu daquele jeito de novo.
— Lembre-se da conversa que tivemos dois dias atrás. Sou o cara mais determinado que você já conheceu — não sei se é necessário que eu acrescente que ele me olhou daquele jeito novamente.
— Vai se danar — disse eu simpaticamente.
Isso o fez rir.


Eu tenho esse sentimento às vezes... Como se não houvesse nada no mundo que não fosse meu.
E eu poderia ter tudo.
Talvez eu devesse ter tudo.
Eu vou te levar para fora da sua vida.


— Viu o ponto que fiz para você?
— O quê? — perguntei de imediato, sem pensar.
— O touchdown, baby. Vou precisar te ensinar futebol, também? — ele me perguntou com seu tom de voz cansado, mas ainda assim provocante. Quis quebrar o seu nariz com um golpe limpo. Filho da mãe.
— Não é necessário. Tudo o que preciso saber de futebol americano é que os jogadores são uns imbecis. Bato neles. — Disse, curta e grossa, devolvendo o olhar de Josh da forma mais agressiva que conseguia. Por que isso fazia a Menina Dos Braços Roxos estremecer de medo, e divertia Josh?! Mas que merda.
— Sou perito nisso — ele sorriu.
Bufei.
— Então deveria sair de perto de mim como mandei.
— Não tô mesmo a fim — disse ele, jogando os braços para cima. Cínico filho da mãe.
— Você é um idiota — as palavras saíram da minha boca sem que eu pudesse controlá-las. Simplesmente a maior verdade de todas. Todo o meu corpo e mente voltavam-se à mesma máxima de que o garoto a minha frente era o rei dos idiotas de plantão.
— Sou — ele assumiu, torcendo os lábios.
Apertei os olhos. Estou perdendo tempo com esse imbecil. Bufei, odiando-me por dar corda à sua conversa, e me virei. Não estava realmente a fim de ficar no meio do estacionamento jogando papo fora.
— Vou embora — disse eu, enfim, e me virei para ir.
— Te dou carona! — ele falou, meio alterado, batendo no capô de seu carro antigo que não sei o nome. Virei o rosto só para rir para ele.
— Tchau — disse, virando-me de novo, jogando a mochila nos ombros e começando a andar.
Infelizmente, Josh começou a andar comigo.
— Sério, te dou carona — disse ele, andando na minha frente, todo convencido e idiota. — Não se preocupe com isso. Já dirigi coisas dez vezes maiores do que aquele carro.
Bufei.
— Não estou duvidando de suas habilidades na direção. Só duvido da sua índole ruim.
Então Josh parou de andar, forçando-me a parar também. E riu. Riu mesmo, como no dia em que me encontrou na cozinha de sua casa. Parecia que eu havia lhe contado uma piada. Quis quebrar sua perna por isso.
— Baby... — começou ele, se acalmando gradativamente. — Você é ótima em se enganar.
Agora sim eu queria quebrar sua perna.
— Perdão? — disse eu, cordial, só para ter um motivo para bater nele até que ele chore.
— Pare de mentir, Hayley — ele disse meu nome e olhou nos meus olhos. — A única pessoa aqui que você não confia, é em você mesma.
Desgraçado pretensioso. Vou quebrar os ossos do seu corpo.


E eu poderia levar tudo. Oh, talvez eu possa enganar.

É fácil escolher e pegar.
Com você e eu nós podemos só perder.
Só não me esnobe... E não vou te eliminar.


— Você não tem mesmo medo de apanhar, certo? — disse eu, bufando de raiva. Meus pulmões já estavam a maior loucura não por que Josh estava perto, e sim por que minha raiva era colossal.
 Mas ele riu de novo daquele jeito.
— Então me bate — disse ele, provocando. — Se isso faz você acreditar que não gosta de mim, baby, me bate. Mas você sabe... você sabe que isso só aumenta o desejo.
Virei minha mão em sua face, de forma livre, limpa e bonita. Gostaria de reproduzir o som a você, simplesmente por que foi lindo, música aos meus ouvidos. A adrenalina estava correndo em minhas veias, meus pulmões arfavam, minha respiração estava a mil.
— Sai de perto de mim — consegui sussurrar, mas não dei nenhum passo para trás. Ele que teria de dar. Fazia parte das regras de confronto.
Josh ainda gemia de dor. Parou de massagear o queixo e me olhou, duro, provocante, avassalador.
— Faça o que você quer fazer, Hayley.
— Sai. De. Perto. De. Mim. — Sussurrei bem fraco outra vez, minha mão ardendo e coçando, implorando para bater nele outra vez. Meu coração dava cambalhotas, meu estômago não estava no lugar. Meus pulmões pareciam que iam parar de funcionar a qualquer momento.
— Sua boca diz uma coisa, seu corpo diz outra.
Dei-lhe outro tapa com o dobro da força. Josh virou-se para o lado, as mãos segurando sua bochecha vermelha e ardida, a boca dando um gemido sonoro de dor.
— Captou a mensagem do corpo agora? — disse eu, provocando, morta de ódio.
Mas seu momento de dor só durou cinco segundos. Ele se endireitou, mexeu o queixo, sorriu para mim.
— Captei. Ele acabou de dizer que você me quer.
Bati nele outra vez. Outro tapa, bem onde eu havia acabado de bater. Minha mão já doía com voracidade, mas eu não pararia enquanto ele não parasse. Josh quase gritou dessa vez, cuspiu no chão, se endireitou e voltou para mim, sorrindo. Puta merda!


Leve-me para dentro e depois empurre-me para fora. Caia em si mesma hoje à noite.
E só não deixe-o ir, sem uma briga.
Leve-me para dentro e depois empurre-me para fora.
Caia em si mesma hoje à noite... E só não deixe-o ir, deixe-o ir...


— Uau, baby. Pare com isso. Assim vou começar a achar que você está querendo ir para a cama comigo.
— PELO AMOR DE DEUS! — Gritei, a plenos pulmões, com as mãos ardendo e a raiva correndo em minhas veias. — QUAL É O SEU PROBLEMA, CARA?!
— Você.
Quis morrer.
— Ah, vai se foder — disse eu, com ódio, com desprezo, com tudo junto. O pior de tudo é que ele não se movia para trás. Eu sentia seu cheiro de desodorante e sabonete. A graxa não estava lá, pois ele devia ter acabado de tomar um banho. Mas o meu coração idiota estava disparado, minha pele imbecil estava completamente arrepiada, e meu estômago bobo não parava de revirar. Mesmo detestando-o, eu não conseguia deixar de me alterar pela sua presença.
— Não vai querer que eu responda a isso.
Bufei e virei minha mão em sua cara de novo.
— Ai! — ele gritou, mas, como você bem sabe, voltou sua atenção a mim, sorrindo. E se aproximou mais. — Essa doeu. Diga-me, está funcionando? Você se sente gostando menos de mim quando me bate?
— Por que você não vai à merda?! — gritei, irada. Desgraçado! Imbecil!
— Por que você não responde as minhas perguntas?! — ele se aproximou muito mais agora. Eu podia ver a correntinha de prata entrando em sua camiseta, os poros do seu rosto que escondiam sua barba. — Faça o que você quer, Hayley!
— Vai se danar!
— Faça o que você quer fazer!
Sem pensar, eu dei-lhe um tapa. O maior de todos. Seu rosto virou-se para o lado abruptamente, minha mão ardeu de uma maneira voraz, meu coração pareceu parar. A voz dele, entretanto, continuava a me assombrar dentro da minha cabeça, gritando, mandando-me fazer o que eu queria fazer. Eu olhei para ele, que gemia com as mãos no rosto, sentindo a dor que eu havia lhe causado.
Então, à força, segurei seu dolorido e ardido. Apertei-o com força e virei-o para mim.
E o beijei.


Não me esnobe, menininha...
Leve-me para dentro e depois empurre-me para fora. Caia em si mesma hoje à noite. E só não deixe-o ir, deixe-o ir, deixe-o ir.
Leve-me para dentro e depois empurre-me para fora. Caia em si mesma hoje à noite... E só não deixe-o ir, deixe-o ir...






Então, aqui estamos de novo, cantando canções sobre o verão... -n
PÇOSKQPÇÕJSAÇPQOKWSA OI VOCÊS :3 
POSSO DIZER UMA COISA SOBRE ESSE CAPÍTULO?
YOU TAKE ME IN 
AND THEN
YOU PUSH ME OUT
PÇASOKQÇIHIUQGWBISUGQBLWSHÇOIQJW~PASJÇQOUWHÇASUGBHOQHWIASJPOQIKASPKA´PQLSAW
Sério. Amei escrever isso aqui. Foi mt a+ (porém eu acho que não está assim tão bem escrito mas O QUE IMPORTA É SE DIVERTIRRRRRR). Também não falarei muito aqui, então, por favor comentem pra mim alq~ws]´qplwsa digam o que acharam disso tudo.
Hayley fez o que queria, afinal.
Para mais contacts: me siga no twitter, me adc no face, faça perguntinhas no tumblr, doesn't matter. Amo socializar :3 
That's it. OBRIGADA POR LER.
Muito amor,
Sarits :3



← Capítulo Anterior                                                                                    Próximo Capítulo →

10 comentários:

  1. OIE. OI TIA SARAH, OIOIOIOI.

    Escutei a música, juro, mas acabei optando por I Caught Myself depois, idk why.
    Mas enfim. TRUCKER!! BEIJO!! TAPAS!!! Juro que senti a raiva da hayley, quase dei um soco no notebook.
    Não farei isso. Hoje ele tá bugado e não tá me enchendo desde ontem para "ativar windows agora" e por isso tem plano de fundo amor aka Lana. idk why either.
    MAS VAMOS AO QUE INTERESSA. Capítulo.
    :OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO
    HAYLEY WILLIAMS. Que coisa feia -n. Se entrega guria, que você tá xonando aos poucos, oxe. Guria. Watch out.
    Não sou fã nº 1 do Josh, porém. PORÉM AIUHOEAOISAJHUIES "gola V" mas NEM TODOS OS GAYS USAM GOLA V. Juro pra você sarits.
    MAS COMO NATS DIZIA. Ai deus amado que perfeição foi essa que eu acabei de ler.
    APENAS
    ESPERANDO
    O
    PRÓXIMO. OKAY.
    e kd renascer dona sarah.
    bye <3

    ResponderExcluir
  2. AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH MEU CORASSAUM! sem comentários pfvrr!! Sobre: "Dakotah falava mal de Taylor York, que havia jogado bolinhas de papel em sua cabeça durante toda a aula de literatura." KKKKSKASJASKASASASKKKKKKKKKKASJAKSJAK pfvr ri mt com isso! Dakotah tem sérios problemas em falar mal dele em vez de o atacar, encher de beijos e etc! e sobre Hayley: MERECE UM PREMIO MESMO PQP! ESSAS DUAS PRECISÃO DE TRATAMENTO! Hayley, minha kerida, Josh não vai desistir de você enquanto você não deixar ele te comer amg! ACORDA PRA VIDA CRIATURA!!! Mas enfim... SARAH, SUA CASHORRA, PQ VOCÊ TEM QUE CORTAR O CAPÍTULO NA MELHOR PARTE???? HEIN????? detalhe: sarah não terá paz enquanto não finalizar Trucker e Renascer porque Arielle é muito chata e persistente u-u enfim ARIELLE ESTÁ SE CASANDO COM ESSE CAPÍTULO NESTE EXATO MOMENTO.

    ResponderExcluir
  3. OI LINDA PÇSKQPWASLÕP OIOI <3
    Eu... hm, ok. ICM é ótima também asopqjwolahçoikwass TRUCKEEEEER
    BEIJO
    PORRADA
    ISSO É TRUCKER AÇ~SPOQJWOÇAISHQPOSA
    Cara, o Josh é mesmo um filho da puta nessa fic aopskqpçoijçoasji ela tem toda a razão pra ficar com raiva, com muita raiva. MAS MANTENHA SEU NOTEBOOK A SALVO BECAUSE IT'S NOT HIS FAULT. ÃPSOKQ~POKASAPOJSK
    "Ativar windows" afffffffffffffffffffff o meu ta nisso também. Só que o meu é o 8 e nao dá isso de plano de fundo.

    HAYLEY SÇOPKWÇOPSJOÇQWSS cara, ela tá mesmo falling in love MAS
    eu sei que não, mas reiles é preconceituosa. ÇOAKSÇLQIJWÇASOIKQW OBRIGADAAAAAAAAAAAA <3
    renascer to postando <3
    love ya

    ResponderExcluir
  4. ARIELLE OLÁ ÇPOQJWAÇSOIHQÇOIASJPOKA CONTROLE SEU CORASSAUM
    sem comentários çsokqwpso~´pqolaps O TAYLOR É A+ ASÕPQLWÇASOJKÇOQIJAS
    Sim, essa guria tem que aprender a aproveitar o tempo.

    PÇAOKS~PQKWPA~ÇSOJOÇQWHSPIKQ~PSA APENAS A MAIOR VERDADE DITA
    POR QUE É JUSTAMENTE ISSO QUE JOSH QUER ASPOQWK~WASPKQWS
    AÇSOKQ~WOL~SPÁLPS chorando
    CASHORRA EU? amr, ce já sabe o que acontece, eles se pegaram, uhu.
    ÇOAKSP~QOL~SAP posto renascer hj <3 MAS EU GOSTO DE GENTE QUE ENCHE O SACO, É A+
    ok, arielle, bom casamento e thanks <3

    ResponderExcluir
  5. HEYYYYYYYY!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Tem um tempinho que não comento, eu acho, então pode brigar comigo. Mas quando eu li: "Dá vontade de pegar você, leitor, abraçar você, morder você, beijar você e te amar pra sempre. Nhw. Comente para mim e me faça feliz *u*", eu tive que comentar.

    Meu Deus, você já começa causando um quase ataque do coração nos seus lindos leitores, nem dá tempo de respirar e relaxar, você descobre que Hayley ficou com Josh Cafajeste Farro :O

    Eu ri muito, muito mesmo com essa perfeição.

    Hayley nervosa é simplesmente a coisa mais fofo do mundo e quando ela bate no Josh e diz que som foi lindo, música para seus ouvidos ~chorei nessa parte~

    Velho, o Josh consegue ser muito chato quando quer, mas é isso q o torna uma delicinha.

    Eu estou quase morrendo porque eu preciso ler mais e vai demorar uma semana, bem que você podia ser mais linda, amável, querida e postar antes, né?

    Não me deixe morrer de ansiedade.

    Isso me lembra que você tem que postar Renascer.

    Mil beijos!!!

    Mil e um se você postar antes :)

    ResponderExcluir
  6. ABRAÇANDO MARY, MORDENDO MARY, BEIJANDO MARY E AMANDO MARY PRA SEMPRE <3333333333333 AÇPSOKQÇOJAÇSPQOKAWS obrigada mesmo, amor, amo mt mt mt mt um comentário, me faz feliz demais.
    EU SEI AÇSOPQJKWÇPASOIK HEART ATTACK EM VCS TDO.
    Muito obrigada <3
    Hayley nervosa açspqokwãsol´q~çpwas cara a~spqkçwjkçasokp chorando, né. mt emossaum esta parte, shoro.

    E o Josh é um filho da puta mas todas amamos isso.
    ÇOAKSÇOPAS EU PODIA, MAS TEM GENTE QUE NAO CONSEGUE ACOMPANHAR O RITMO! E assim eu perco leitor :C
    mas farei o possivel pra senhora <3
    POSTANDO RENASCER HOJE!
    Dois mil e um pra senhorita :3 love yooooooou

    ResponderExcluir
  7. oooh deus,minha mãe deve ta achando que eu sou louca,to dando risada na frente do computador que nem uma retardada,olha o que tu faz guria! JIAJSIAJISJAIJISA
    SURTEI,meu deus o que o Josh tem cara?Quanto mais apanha,mais gosta HSUHAUSDHUA
    eu nem tenho muito o que dizer sobre esse capítulo,apenas que eu tava louca pra que a Hayley agarrase o josh de uma vez,e o final foi exatamente isso,to te amando sarinha <3
    enfim,obrigada por postar esse capítulo +qd+ hsauhsa
    beijos sarah <3
    Ps: meu aniversário foi dia 19,podia dizer feliz aniversário pra mim,obrigada! HSUAHUSA

    ResponderExcluir
  8. SARAH MALTA! (Eu falaria o nome completo mas não sei. ;-;) COMO VOCÊ FAZ UM CAPÍTULO PERFEITO DESSE E FALA QUE ESTÁ MAL ESCRITO??? Sério, se eu não te amasse eu te daria um soco.

    Mas vamos falar de coisa boa...

    E NÃO É DA TEKPIX (Se não eu faria um monólogo falando que se ela é a máquina mais vendida do Brasil. por que eu nunca vi uma?)

    VAMOS FALAR DESSE CAPÍTULO PERFEITO QUE EU AMEI, TODAS AMARAM MENOS VOCÊ!!

    O que foi isso, Meu Papaizinho amado?

    EU RI QUE NEM UMA HIENA COM MAL DE PARKINSON AQUI!!! (Mas que Hades é isso eu não sei...)

    Eu rindo like a hiena com mal de Parkinson (Eu amei isso, SOS) e meus pais pensando sériamente em me internar aqui. Porque eu ri mais do que nunca na frente desse PC.

    Ai ai, Trucker me altera.

    Mas você já viu eu me expressando sobre isso no chat que eu sei então...

    Até o próximo comentário (Não estou contando o Chat alí no FB na outra Guia Kkkkkkk)

    Xoxoxoxox
    Ps.: Esse final sempre vai me lembrar de Mastas Of Ravenkroft. Kkkk

    ResponderExcluir
  9. SARAAAAAAAAAAAAAH, minha linda s2s2s2 Eu TENTEI comentar capítulo passado, mas o not do pai já não é muito bom, e como o Disqus resolveu me trollar, COMEU MEU COMENTÁRIO. (:

    E VENHA AQUI HEIN, COMO OUSA FALAR ALGO DO CAPÍTULO. sap´flas[

    ´fp[áspf[asfp´[saf cara, qd eu conseguir escrever algo que atinja 1% dessa perfeição estarei feliz, ok. <33

    a hayley... É A PESSOA MAIS FODA DO MUNDO, OK. SAPOFKASPOFKPOASKPFO apnssss

    EU QUERIA TER A FORÇA DELA ☺ Seria muito bacana não ser a mais fraca da turma, sabe. (conforme a educação física prova)

    JOSH DEDICANDO.. COMO É O NOME? ALGO COMO GOLS, AIIII SPÁLF´PSAL´FPLSA´FQUE AR/VIDA/CHÃO/TUDO <3333 SAFOKASPOF PFVRR que coisa mais amodoro

    As meninas fofocando, vish. Que criaturinhas mais desprezíveis. POSSO RIR DO APELIDO DE TDS?? SAOFKPSAOF EU RI

    AAAAAA MÚSICA s2 saopfjosapijfo ai sarah, como vc é linda (: e como vc sabe que sou apaixonada por heart attack vc pode colocar em qualquer cap, né? :33 nhaw em vc. mas essa tb ficou perda dmais.

    O Josh é tão comível, pfvr. sap´fl´psalfplsaf´paslf´p Ele é muito engraçado + gostoso = comível. ASOPFOPSAJFO PSÉ safpokaspofksapof maissssss é cafajeste '-' VAI MUDAR ISSO LOGO QUE RECEBER UNS SOQUINHOS DA HAYLEY SAKOFJOSAF Vai ver que ele vai se interessar por alguém depois que ficar de verdade cá Hayles. HAHAHAH -q



    GENTE, É IMPOSSÍVEL NÃO RIR DO COMEÇO AO FIM COM ESSA FIC. SÉRIO SAP´FLPASL´FPLSAP´É TÃO <333 SA´PFLAS´PFL´PSA AI SAHHH


    É melhor eu ir me indo, antes que surte demais (como se tivesse surtado, ups). sapofkpoasf :)) parakisses for sarits, love ya ;*♥

    ResponderExcluir
  10. Renally Vasconcelos8 de março de 2013 12:34

    Awwwwwwwwwwwwwwww brigada Sarinha <3 vc é tão linda q dá vontade de te matar, mas quando eu chegasse perto e visse toda sua fofura eu iria te abraçar ate a morte (ai eu já ia estar te matando, mas...) enfim, eu te amo gata!
    E TODOS GRITAM ALELUIAAAAAA a Hayley resolveu agarrar seu homem! Mas eu tenho q admitir, no lugar dela eu ja teria matado ele, sério, q cara mais irritante velho! Essa Hay está mt extressada! Produção cade a mostarda dessa garota? Eu tenho pena das pobres garotas q têm q conviver com ela kkkkkkkkkkkk
    Tá vou calar a boca agora q eu to sem tempo, mas eu amei o cap! Tapas e beijos são o final perfeito pra tudo kkkk obrigada de novo amor!
    Bjss sua linda <3

    ResponderExcluir