22 de set de 2012

Capítulo 6

Cannot be, you are not you!


Pov. Hayley


“Tá com você” Eu o toquei no braço e saí correndo. Ele veio atrás de mim, correu o máximo que pode. Até que ele me alcançou e disse: “Agora tá com você”. Me cansei e parei de correr. Ele, cansado também veio andando atrás de mim. Deixamo-nos cair no tapete de sua casa.“Hayles, eu amo você” Ele me abraçou sinceramente. “Ah Josh, eu também amo você” eu retribuí o abraço.
Acordei.
Já era a terceira vez naquele dia que sonhava com meus momentos com Josh. Minha estadia em Franklin já estava me deixando atordoada.
Peguei o despertador, eram 6:05 da manhã. Eu o tinha programado para 6:20. Decidi me levantar. Hoje seria meu primeiro dia no colégio. Fui até o banheiro, me despi e abri o chuveiro, deixando a água bem quente. Me coloquei pra dentro do jato, deixando a água quente passar por todo o meu corpo.
Terminei de tomar banho, vesti uma calça jeans, uma camiseta básica e um all star. O bom das escolas de Franklin é isso. Não temos essa chatice de uniforme. Peguei minha mochila e fui até a cozinha, onde minha mãe já preparava o café da manhã. Apoiei a mochila no balcão e me sentei no banco do mesmo.
— Bom dia Hayley. — Disse minha mãe. — Dormiu bem?
— Bom dia, sim... — Concordei.
— Sabe do que eu estava me lembrando hoje?
— Do que?
— Dos Farro. — Só agora ela foi se lembrar? OMG.
— Ah... Sei.
— Sabe, acho que vou visitá-los hoje. Vem comigo?
— Sim, claro. — Concordei tentando não demonstrar muito ânimo.
Ela colocou uma panqueca e suco em cima do balcão. Comi rapidamente, me despedi dela e fui caminhando calmamente para a escola.
Entrei na escola, tinham várias pessoas. Peguei o papel que a diretora me deu, e fui tentando saber onde seria minha primeira aula. Não achei. Tinham vários alunos no pátio da escola, provavelmente a primeira aula não seria agora. Fui até lá. Tinha um menino de costas pra mim, ele estava sozinho. Delicadamente cheguei e disse:
— Me desculpe, você sabe onde é a minha primeira aula? — O garoto se virou. Oh não! Era o mesmo cara com quem eu discuti no outro dia.
— Ah não... Fala sério.
— Qual é garota, tá me seguindo?
— Não, eu não vi que era você, molecote.
— Eu já falei pra você não falar nesse tom comigo.
— Hey, cara! — Um garoto, de cabelos loiros e olhos azuis, chegou e foi falando com o garoto. — Deixa ela em paz, valeu? Ela é nova, quer saber onde vai estudar. — O garoto moreno olhou pra mim e pra ele, e saiu sem falar nada.
— Me desculpe por ele — ele começou — Eu sou Jeremy.
— Olá Jeremy, não precisa se desculpar.
— Você é nova?
— Sou...
— Bem, sua primeira aula é naquela sala ali. — Ele disse apontando pra sala. — E bem, a minha também.
— Oi Jerm! — Chegou uma garota, de cabelos e olhos castanhos, branquinha, bonita. Parecia legal.
— Oi Sarah! Essa é a menina nova, é...
— Hayley.
— É, Hayley.
— Hayley, amei o seu cabelo! Sério! — Disse a garota.
— Ah, obrigada. O seu também é legal.
— Como eu ia te falando Hayley, nossa primeira aula é naquela sala. É de biologia. Eu particularmente curto muito.
— Eu também gosto. — Abri meu sorriso. A menina do lado dele sorriu também.
O sinal tocou. A primeira aula de Sarah não seria comigo e Jeremy. Cada um foi para a sua direcionada sala.
A aula de Biologia até foi tranqüila. A professora pediu duplas, e eu a fiz com Jeremy, que me ajudou bastante. Não cheguei mais a ver o garoto nojento. Ainda bem!
Logo depois teria aula de física, e Jeremy não estava na minha turma. Entrei tímida, então vi Sarah. Assim que ela me viu ela falou:
— Hayley, a menina dos cabelos maneiros! — Eu ri. — haha, senta aqui comigo.
Fiz o que ela pediu. Sarah é uma menina muito... Sociável.
— Gosta de Física?
— Eu gosto, ela que não gosta de mim. — Rimos.
— Completamente normal. Mas eu gosto. Adoro números, e eles também gostam de mim. — Voltamos a rir.
Passamos a aula toda conversando. Aprendi pouco, confesso. Mas Sarah é realmente uma garota muito legal.
O sinal novamente tocou, só que para o intervalo.
Saí da sala com Sarah, ainda estávamos conversando.
— Vamos lanchar com Jeremy? — Perguntei.
— Sim, eu sempre lancho com ele. — Abri meu sorriso.
Logo o vimos. Sentamos em uma mesa pequena, e compramos nosso lanche. Então eu vi o menino e a menina vindo e me fuzilando com os olhos. Jeremy notou.
— Eu não entendi Hayley... — Começou Jeremy. — Porque ele ficou tão irado quando você fez uma simples pergunta pra ele...
— Bem, eu acho que posso explicar isso. Há uns 3 dias atrás, eu estava voltando da casa do meu pai e sem querer esbarrei nele e na namorada dele. Eles começaram a debochar de mim, e eu briguei com eles. Só não saí no tapa com a loira porque ele interferiu. Eu não sabia que era ele, só fui saber quando já tinha perguntado.
— Uau, que história! — Disse Sarah. Nós rimos.
— Pois é. — Disse.
— Me parece que você não é uma menina que deixa barato.
— Bem Jeremy, eu sou legal. Desde que você não pise no meu calo. Eu já surrei muitas garotas como aquela loira antes. Acredite.
— Você não é daqui né?
— Sim e não. — Eles fizeram uma cara de surpresa. — Nasci e fiquei aqui até os 6 anos de idade. Depois fui pra Los Angeles. Voltei faz pouco tempo.
— Era bom lá? — Perguntou Sarah.
— Sinceramente falando? Eu detestava morar lá.
— Ainda bem que voltou. — Disse Sarah.
— Ainda bem mesmo.
O resto da aula passou normal. Eu ainda fiquei um horário sozinha (sem Jeremy e Sarah), mais um garoto chamado Taylor me fez companhia.
O sinal tocou, era hora de ir. Me despedi de Jeremy, a casa de Sarah ficava perto da minha, então fomos andando juntas.
O resto da tarde foi normal. Almocei com a minha mãe, e fui pra casa do meu pai.
— O que tá escrito aqui mesmo? — Perguntou McKayla com o gibi do Batman na mão. Ela estava aprendendo a ler, e ainda não decifrava algumas palavras.
— Veja McKayla, “a” “c” “h” “o”. É acho? Entendeu?
— Ah, sim. Obrigada Hayley.
Fiquei durante muito tempo lendo com McKayla. Era divertido. Apesar de ela ter apenas 4 anos, já lia bem.
— Hayley, essa é Isabelle. — Veio Erica com uma menina com ela.
— Olá Isabelle. — Abri meu melhor sorriso.
— Oi. — Respondeu tímida. — Erica me disse que você é a melhor irmã do mundo! — Eu ri.
— Não, eu não sou.
— É sim! — Começou Erica. — Ela sempre me leva pra tomar sorvete, sempre me traz presente, sempre me escuta quando eu quero falar, tem um cabelo maneiro e sabe tocar piano e cantar! — Fiquei admirada com tamanhas qualidades minhas.
— Eu também tenho irmãos. — Interrompeu Isabelle. — E Zac também sempre me leva pra tomar sorvete.
— Ok, vamos parar com isso. Querem tomar sorvete?
— Sim! — Responderam animadamente.
McKayla estava com sono, então Jessica cuidou dela. Fui andando até a sorveteria com Erica e sua amiga. Fomos conversando.
A tarde foi animada. Há muito não me divertia assim. As duas meninas eram muito engraçadas, ambas falavam muito.
Sim, Erica não podia arranjar outro tipo de companhia senão igual a ela.
Isabelle logo teve de ir embora, por que tinha um compromisso na casa dela.
Eram 6 da tarde, quando meu celular toca.
— Alô?
— Hayley, onde está?
— Tomando sorvete com Erica.
— Esqueceu que vamos visitar os Farro hoje?
— Opa, esqueci. Tô voltando.
— Ok.
Desliguei o celular.
— Erica, vamos voltar. Tenho que sair com a minha mãe hoje.
— Ok.
Paguei a mulher e fui andando até a casa de meu pai pra deixar Erica lá.
— Pra onde vai?
— Lembra daquele amigo, que eu disse que tinha?
— Lembro.
— Vou visitá-lo. — Um sorriso brotou em meus lábios. Finalmente eu iria vê-lo.
— Ah, que bom Hayley!
A deixei na casa dela e fui pra minha, quase correndo. Ao chegar lá, tomei um banho rápido, sequei meus cabelos e deixei-os soltos mesmo. Coloquei minha calça e meu allstar, como sempre. Passei uma maquiagem básica.
Entrei no carro. Meu estômago revirou. Como Josh estaria? Como ele me veria? Será que se lembra?
Um zilhão de perguntas rondavam minha cabeça. E aquela maldita ansiedade, e frio na barriga. Medo? Provevelmente.
Assim que chegamos eu vi aquela fachada. Não tinha mudado nada. Lembrei-me de Josh correndo com lágrimas por aquelas portas enquanto eu o olhava pela janela do carro. O mesmo sentimento me atingiu.
Balancei a cabeça negativamente na tentativa de tirar aqueles sentimentos de mim. Eu estou feliz e bem agora pensei.
Fui andando calmamente com a minha mãe até a porta. Ela tocou a campanhinha. A mesma que eu não tinha altura pra tocar, e minha mãe me levantava até eu a alcançar.
Lembranças, momentos, todos de volta a memória.
A porta se abriu. Lá estava a Senhora Farro. Alguns anos mais velha, alguns fios brancos em sua cabeça, mas logo se notava que a velha simpatia e sabedoria não mudara.
— Christie! — Elas se abraçaram fortemente, com saudades. Eu as olhei, até que se soltaram.
— Oh Deus! É Hayley? Mas está enorme! — Ela me abraçou.
— Olá tia. — Disse abrindo meu melhor sorriso. Era gostoso chamá-la assim, já que eu não tinha tias de verdade.
— Oh meu amor, o que houve com o seu cabelo? — Dei uma risada gostosa.
— Eu me pergunto isso todos os dias... — Disse minha mãe, se juntando a mim rindo.
— Entrem!
Ao entrarmos vi a pequena Isabelle. Ela correu e me abraçou, para espanto de todos.
— Eu a conheci hoje... Tomamos sorvete com Erica. — Disse ao notar todos nos olharem estranhamente.
Vi um garoto tímido nos olhar. Aquele rosto sapeca era irreconhecível.
— Zac! — Disse. — Não se lembra de mim né?
 Hey girl! — Ele veio rapidamente e me abraçou forte, tirando meus pés do chão.
— Quando te conheci eu era mais alta que você! — Rimos.
— Os tempos mudam, gata.
— Onde está Nate? E Josh? — Perguntei tentando esconder a ansiedade de ver Josh.
— Meu Deus! Você não é a little spongebob, é?
— Oi Nate! — Ele veio e me abraçou. Havia se tornado um belo homem.
— Como vai, garota?
— Estou bem. E você?
— Estou muito bem também. — Respondeu. — Josh, seu bobão, corre! Hayley está aqui! — Gritou. Meu estômago revirou novamente. Escutei passos rápidos vindo em direção a sala de estar, onde eu me encontrava.
Josh parou imediatamente de correr até chegar à sala. Seu sorriso sumiu, assim como o meu.
— Você?! — Perguntamos ao mesmo tempo.



← ANTERIOR                                             PRÓXIMO →


Nenhum comentário:

Postar um comentário