23 de set de 2012

Capítulo 37

Holiday, panic! and a friday night



— Ai meu Deus, Hayley! — Disse Sarah, ao ver Hayley chegando com sua bandeja e um sorriso no rosto — Por que você fez aquilo com ela?
— Eu sei, Sarinha. Devia ter batido mais, mas estamos em semana de prova.
— Eu não quis dizer isso.
— Sabe por que o Van me beijou?
— Por que ele é um safado?
— É. Também. — Hayley disse concordando — Mas tem outro motivo maior.
— Qual?
— A Jenna mandou ele fazer isso. Pra se aproximar do Josh, sem mim.
— Que bitch!
— Nem me fale. — Revirou os olhos — Eu iria dar uma surra nela, se não estivéssemos em semana de prova. Não posso ser suspensa agora. Mas tudo bem, eu ganhei. Sem querer me gabar, Sarah, but I got him where I want him now.
— Você tem razão. — Sarah disse levando o suco a boca. — Falando nisso, cadê ele?
— Não sei... já era pra ter chegado. Ei, olha lá o Jeremy.
Jeremy se aproxima e se senta perto de Sarah.
— Oi linda.
— Oi loirinho. Sabe onde tá o Josh?
— O Josh? Hm... na diretoria.
— O que diabos ele está fazendo lá? — Hayley.
— Ele perdeu a cabeça com o Van no futsal...
Hayley abre a boca, surpresa.
— Como é?
— Não sei, eles ficaram um tempo juntos, e o Van falou algumas coisas que deixou ele com raiva. Então ele socou o cara e agora tá na diretoria.
— Oh, merda. — Hayley diz se levantando e deixando a bandeja em cima da mesa, correndo para a diretoria.
Ela tenta escutar alguma coisa, mas nada. Logo depois Josh sai e se surpreende ao encontrar Hayley lá.
Ela o abraça.
— O que você fez?
Josh sorri.
— Acho que perdi a cabeça. Não agüentei ver aquele cretino falar de você do jeito que ele estava falando.

Flashback on

Josh estava jogando futsal. Estava no time amarelo e vestia uma espécie de camiseta regata por cima da sua. O time amarelo, que continha seis jogadores, estava empatado com o time azul. O garoto chutou a bola e Josh saiu correndo e a chutando para o gol, e então Van, que estava na defesa, começou a disputar a bola com ele.
Faltavam poucos minutos para o jogo acabar. Van roubou a bola de Josh e chutou forte, indo para o outro lado da quadra e Mark fez o gol da vitória do time azul.
Após o jogo o professor mandou os rapazes irem para o chuveiro. Josh, com a camiseta suada nos ombros, ia em direção ao banheiro quando percebe que Van está indo junto com ele. Tenta não ligar.
— E aí, Neil, o que achou de perder?
Josh suspira.
— Faz parte do esporte. Se ganha e se perde. É a lei.
— Desculpa de perdedor, hein.
— É uma aula. Não ligo de perder ou ganhar, estou ganhando nota do mesmo jeito.
— Ok, ok. Mas, hein cara, só digo uma coisa: Boquinha gostosa aquela da Hayley Williams, hein?! E não é só a boca... a menina é toda linda. Não demora muito e eu vou ver como ela é, digamos, sem aquela roupinha de roqueira. Hmm...
Josh olha sério pra ele e para de andar.
— Repete.
— Como é?
— A Hayley é a minha namorada. E se você está falando dela desse jeito, perto de mim, é por que você é muito corajoso. Então repete, seu filho da mãe, se você tiver coragem. E se quiser um maxilar quebrado.
— Josh, aceite. Sua namorada é uma vadiazinha. Eu peguei, e quem quiser pega também.
Josh, já cheio de fúria, por impulso solta um soco no rosto de Van, que cambaleia. Então ele segue com outros socos. Van devolve o soco no rosto de Josh, o que só aumenta a sua fúria. Ele dá um soco na barriga dele, fazendo-o ficar sem ar. E depois dá outro mais forte, bem mais forte, no rosto. Van estava pra ir para cima dele quando o professor chega e separa a briga. Os dois são mandados para a diretoria.

Flashback off

— O diretor deu o maior sermão. Eu expliquei meus pontos, dei toda a verdade, o desgraçado ainda disse que não era verdade.
— Caramba, Josh. Você foi suspenso?
— Não. Eu quase supliquei pro diretor não fazer isso. Mas ele vai chamar a minha mãe e a mãe do imbecil do Van, para falar do nosso comportamento. Mas quer saber? Não me arrependo nem um pouco. Aliás, só me arrependo de não ter dado mais uns bons socos naquele safado.
Hayley riu.
— Meu menino briguento.
Ele gargalhou.
— Fala sério, só eu posso te chamar assim. E aposto que você também arranjou encrenca durante esses três períodos. Estou errado?
— Só dei um empurrão sem querer na Jenna. Não tenho culpa se ela fica na minha frente.
— Sem querer? — Ele diz rindo.
— É... E se ela usasse uma roupa decente, não teria ferrado o joelho. Não tenho culpa se ela gosta de usar saias curtas de whores.
— Ok, ok. — Ele diz rindo. — Mas você precisa ir pra sala, né? Eu vou esperar minha mãe chegar.
— Certo. E ei, não liga pro idiota do Van. Ele só quer te atingir e te prejudicar. Não se importe.
— Tá bom, vou tentar.
— Ok. Vou lá.
— Boa aula.
Depois disso, uma semana se passou. Estavam Josh, Hayley, Dakotah, Taylor, Jeremy, Sarah e Jason na frente da escola, conversando e esperando a escola abrir. Eles não haviam levado mochila. Estavam lá apenas para conferir a lista de quem havia ficado de recuperação.
— Cara... eu estou com medo. — Taylor — Não sabia quase nada da aula de Matemática e eu não fiz muita coisa também. Não quero ficar!
— Ninguém quer. — Jason — E eu, que cheguei depois da metade do semestre? Acho que me ferrei em tudo.
— Eu cheguei antes da metade do semestre, mas isso também me preocupa. — Disse Hayley, que estava recostada em Josh que tinha as mãos na sua cintura.
— Eu me saí bem nas provas, estudei igual um condenado, então acho que passei. — Josh.
— Também estou tranqüila. Exceto em Educação Física. Mas o resto eu sei que estou bem. — Sarah.
— Você já passou, nossa nerd. — Hayley disse e todos riram, Sarah deu um soquinho nela e sussurrou “sem graça”.
— Ei, se todo mundo passar, que tal nos comemorarmos? — Jeremy.
— Como assim? — Hayley.
— Vamos a uma boate, sei lá. É sexta feira, e eu estou quase certo de que todo mundo passou.
— Eu tô dentro. Sinto falta de uma festa de verdade mesmo. — Hayley.
— Diz a nossa californiana. — Sarah.
— Eu também sou, ué. — Jason diz revirando os olhos e eles riem. — E eu também estou dentro. Acho justo que a Trudy passeie um pouco mais.
— Eu sempre rio quando você se refere a sua moto como uma pessoa. — Dakotah.
— Ela é tão especial quanto uma pessoa para mim, tá? Não fale mal dela.
— Ok, ok, desculpa.
Então o sinal bate. Uma multidão de gente entra correndo.
— Meu Deus do céu! Parece que estão distribuindo comida. — Taylor diz e todos gargalham.
— Vamos esperar a multidão e depois entramos. — Disse Josh. Todos concordaram.
Depois de alguns minutos eles entram. Ainda tinha um monte de gente, em todas as salas, olhando a lista nas portas.
Cada um vai para a sua determinada sala, olhando se teria ficado ou não. Hayley vibrou ao saber que ela não havia ficado de recuperação em nenhuma matéria. Depois de um tempo, volta para o pátio, onde todos já estavam lá.
— E aí, Hayles?
— Nenhuma. Year!
— Parabéns. — Diz Taylor. — Eu fiquei em matemática. Vou ter que estudar pra prova semana que vem.
— Eu sinto muito, T.
— Minha maior nota foi em Literatura — Jason.
— A minha também. Porque será, hein?! — Hayley diz e eles riem.
— Romeu e Julieta. Que chatisse. — Dakotah. — Pelo menos, não fiquei em Literatura, nem em nada.
— Eu nem sei se vou poder ir a boate hoje a noite. Duvido que minha mãe deixe depois de ficar em Matemática.
— Leve o Justin, ué. Sua mãe sempre te deixa sair se ele estiver contigo. — Jerm.
— Isso é. Mas ele vai querer ir?
— O Justin perder uma festa? Tá, né. Difícil. — Disse Dakotah.
— Tem boate aqui, em Franklin? — Hayley perguntou.
— Lógico que não. — Jeremy disse. — Mas tem um monte em Nashville. Eu costumava ir com uns primos meus. Mas eles se mudaram pra lá, tem um tempão que eu não falo com eles.
— Entendo... hm, olha lá. O Josh tá chegando.
Josh se aproxima.
— E aí, seu chato, ficou em alguma?
— Graças a Deus não, sua chata. — Ele disse e a abraçou, dando-lhe um beijo rápido em seguida.
— Estávamos falando da gente sair hoje.
— A gente vai ter que ir pra Nashville, né... Aqui não tem nada.
— Foi exatamente o que eu disse. — Jeremy.
— Cadê a Sarah?
— Não sei. Já era pra ela ter voltado.
— Ela tava olhando comigo — Josh —, mas aí ela sumiu.
— Falando de mim? — Sarah diz chegando por trás e dando um susto em Josh.
— Onde você estava?
— Vendo se eu fiquei.
— E ficou?
— Não. Eles tinham colocado que eu tinha ficado em Física, mas é a minha melhor matéria. Confundiram minha nota com uma tal de Sarah Kuznetsov.
— Para tudo. — Jason — Tem uma outra Sarah russa nessa escola?
— Inexplicavelmente sim. Eu mereço, viu?
Todos riram.
— Pessoal. Já estamos todos aqui — diz Jeremy —, com nossas notas, em pleno mês de Julho. Venham comigo.
As pessoas começam a seguir Jeremy até o portão da escola. Ele passa pelo portão e grita:
— ESTAMOS DE FÉRIAAAAAS!
Todos começam a gritar e pular também. Eles ainda ficam alguns minutos comemorando, até que Josh decide:
— Ok, então. Vamos Hayles?
— Uhum, vamos sim. Jerm, você me manda um torpedo dizendo onde a gente se encontra?
— Passo sim.
— Ok. Tchau galera.
As pessoas dizem um “Tchau” e Hayley sai da escola andando junto com Josh.
— Ahn, férias. Graças a Deus. — Diz Hayley já perto da casa dela.
— Espera um pouquinho, para de andar.
— Tá. O que foi?
Ele enfia a mão no bolso e tira uma caixinha azul.
Hayley ri.
— Não...
Ele abre e ela vê os colares de novo.
— Eu mandei reforçar o fecho — Josh disse rindo e tirando o dela, colocando-o em seu pescoço —, nunca mais você vai conseguir arrancar facilmente.
— Espertinho.
— Demais. E eu mandei gravar uma frase no outro lado do coração.
"I love you, my girl bully♥”
Hayley riu.
— Eu te amo, minha menina brigona. — Ela disse em voz alta — Obrigada, meu menino brigão. — Ela disse e eles se beijaram. — O que tem no seu?
— O seu nome.
— Ah tá.
Eles vão caminhando de mãos dadas até chegar a casa de Hayley.
— Ei, entra comigo.
— Ok.
Ela abre a porta com a chave e entra. Assim que ela passa pelo corredor e entra na sala, tem um susto.
— SUPREEESAAA! — Gritam quatro caras jogando confete nela.
— Eu não acredito, cara. — Hayley diz rindo e Josh não entende nada.
— Vem cá, minha ruiva chata! — Diz o garoto alto e moreno, de olhar marcante e cabelo liso. Ele a abraça.
— Ah, seu chato! Cara, você tá mais forte, ou o quê?
— Andei malhando. É.
— Mentiroso safado.
— Ei, qual é, esqueceu de mim, foi?
— Ryan, cara!
Ela abraça todos os quatro caras enquanto Josh apenas assiste a cena.
— Josh, vem cá. — Ela diz puxando-o pelo braço. — Esse é o Brendon. — Ela diz apontando para o garoto de cabelo liso e um pouco no rosto. — Aquele é o Spencer — Ela aponta para o rapaz com cabelos grandes e rosto redondo — Ali o Ryan — ela aponta para o mais magro deles — E aquele é o Jon — Ela apontou para o único de todos que tinha um pouco de barba no rosto. — Meninos, esse é Josh, o meu namorado.
Brendon chegou bem perto de Josh.
— Quais são tuas intenções com a ruivinha, hein rapaz?! — Ele disse sério e Josh riu, fazendo-o rir também. — Prazer, Brendon. Mas pode me chamar de Sr. Lindo, se quiser.
Hayley gargalha.
— O prazer é meu, Sr. Lindo. Sou Josh, mas você pode me chamar de Sr. Gostoso, se quiser.
Todos riram ali.
— Hayles, como você pôde namorar um rapaz tão convencido? — Disse Brendon, fingindo indignação e fazendo todos rirem.
Josh cumprimenta o resto do pessoal.
— Mas e aí, o que vocês vieram fazer aqui? — Josh diz, já sentado no sofá, com os caras e Hayley.
— Viemos ver como a Hayley estava. Quando ela saiu lá de L.A. ela não estava muito bem. Tava animada em voltar pra cá e tal, mas ela não estava tão bem. E a gente precisava de novos ares, e também estávamos com saudade.
— Entendo...
— Brend — Hayley —, como vai o Chad?
— De mal a pior — quem responde é Spencer —, ele foi pego roubando, Hayles. Foi preso, fichado, e só saiu por causa da fiança que a mãe dele pagou. Desde então eu não soube mais dele.
— É um vagabundo perdido na vida. — Disse Brendon.
— Esse é o idiota que você namorou? — Josh.
— É. — Hayley disse.
— Ei, vocês tem programa pra hoje a noite? — Josh.
— Não. Por quê?
— É que nós e mais uma galera vamos comemorar as férias numa boate lá em Nashville hoje. Seria legal se vocês viessem.
— Vocês vão? — Hayley.
— E por acaso a Panic! At The Disco perde alguma bagunça?
Todos riem.
— Mas e como vai sua vida, minha querida ruivizinha? — Jon.
Hayley olha pra Josh e depois olha para eles.
— Melhor impossível. Assim, claro, eu passei por uns problemas... mas agora estou ótima.
— Que tipo de problemas?
— Josh foi um deles.
— Josh, como assim? — Ryan.
— Bem... — Josh — Digamos apenas que não nos demos bem assim que nos reencontramos.
— Ele era meu amigo de infância.
— Mas quando a gente se reencontrou...
— Não deu muito certo.
— Como assim? — Jon.
— Nos odiávamos. — Disse Hayley sorrindo.
— E mais uma vez — Brendon —, o ódio se transformou em amor. Lindo!
— Tiveram outros problemas além de mim, Hayles, por favor.
— Tipo? — Brendon.
— Uma vassoura de chapinha loira aguada, que era namorada dele, e que eu tive de dar uma surra. Minha mãe, que resolveu virar uma adolescente aos 36 anos, e um idiota ex-amigo do Josh. Isso já é mais recente.
— Não acredito que você não parou de bater em garotas que te enchem o saco. — Brendon.
— Ela mereceu, e levou uma surra. Teria levado outra, mas não deu.
— Entendo... — Brendon disse sorrindo. — E os teus amigos? Tem outros além do Josh Sr. Gostoso aí?
— Tem, claro... Sarah, Jeremy, os irmãos do Josh, os garotos da Paramore...
— Paramore?
— Nossa banda. — Josh.
— Vocês tem uma banda? — Ryan.
— Temos. Só pra zoar mesmo.
— Que maneiro, cara! Qualquer dia a gente reúne a Panic! e a Paramore, hein?!
— Vai ser incrível.
Josh ainda ficou um tempo conversando com Hayley e a Panic!, mas logo seguiu para a sua casa. Aquele ciúme repentino que ele sentiu sumiu assim que ele conheceu os caras.
Hayley passou a tarde quase toda conversando e brincando com eles, até eles seguirem para a casa que haviam alugado por um mês para ficarem (alugar a casa ficou bem mais barato do que pagar um hotel).
Perto das 6 da tarde, Hayley recebe um SMS de Jeremy perguntando se eles poderiam se encontrar na casa dela. Ela responde dizendo que não tem problemas, passa outro torpedo para Ryan avisando e vai se arrumar.
Na verdade, foi um ótimo plano de Jeremy marcar para eles se encontrarem na casa de Hayley, pois se não fosse isso, ela provavelmente se atrasaria duas horas.
Hayley re-pintou seu cabelo, deixando-o bem mais ruivo. (Como em Decode :3)
Vestiu um vestido preto marcando bem a sua cintura e calçou um salto pequeno. Fez uma maquiagem básica, marcando mais os olhos e deixou o cabelo solto.
Perto das 8h30 Josh, Jeremy e Sarah chegam. Hayley ainda estava se arrumando, mas logo termina. Todos estavam bem bonitos. Logo depois Taylor, Justin e Dakotah chegam.
Hayley avisa todos de que uns amigos dela iriam também. Josh assegura que os caras eram legais.
A campainha toca.
— Devem ser eles.
— Até que enfim! — Sarah.
Hayley corre até a porta e lá estavam eles. Vestidos casualmente, prontos para a festa.
— Ei ruivizinha! — Ryan.
— E aí. Entrem, vou apresentar pra vocês o pessoal.
Eles entram.
— Pessoal, esses são Brendon, Ryan, Jon e Spencer; Aqueles são Jeremy, Sarah, com o Jeremy, Taylor, Justin e Dakotah. E o Josh, que vocês já conhecem.
Brendon vai cumprimentando cada um deles.
O seu sorriso e olhar engraçado se prende quando ele passa pela garota de olhos verdes, cabelo preto e curto e sorriso contagiante.
— Oi... prazer. Eu sou Brendon.
Ela sorri.
— Sarah. — E eles apertam as mãos.
Como por sair de um transe, Brendon cumprimenta Taylor, sem conseguir tirar os olhos de Sarah.
Jeremy fecha a cara.
— Então... tá todo mundo aqui? Podemos ir?
— Não. Ainda falta o Jason. — Hayley diz, e assim que ela diz isso, Jason toca a campainha. Ela atende, e o roqueiro entra.
Ela o apresenta a Brendon, Ryan, Spencer e Jon.
— E aí, como vamos fazer para ir?
— Somos doze, então vamos dividir em dois carros... — Hayley começa.
— ...e eu vou com a minha moto. — Jason termina.
— Ok. — Ela diz rindo.
— Quem vai comigo? — Josh.
— Hayley, Brendon, Sarah e Ryan. E no meu carro — Justin diz. — Vem Taylor, Dak, Spencer, Jeremy e Jon.
— Por mim tudo bem, então. — Josh.
Eles saíram da casa e entraram no carro. No carro de Josh, Hayley foi no banco da frente, e atrás, ficaram Sarah, Brendon no meio e Ryan.
Jason colocou seu capacete e começou a pilotar. O carro de Justin foi na frente, o carro de Josh atrás, e a moto de Jason atrás.
— Então... — Sarah — ...vocês são amigos da Hayles?
— Somos. — Brendon respondeu sorrindo — Tudo começou quando uma garota começou a zoar a Hayley...
— Aquela vaca. — Hayley disse na frente, fazendo todos rirem.
— Então. Um dia eu vi isso e achei uma baita sacanagem com nossa pobre ruivinha. Eu saía com essa menina.
— Brend sempre teve gosto duvidoso. — Hayley disse rindo.
— Ok, ruivinha chata, parou de me interromper?
— Desculpa, seu chato.
— Obrigado. Eu saía com essa menina, e aí eu terminei tudo com ela pelo o que ela fez. A menina tentou descontar na Hayles, mas a Hayles deu a maior surra já dada na garota. Então, depois disso, eu me aproximei dela pra me desculpar. Nós dissemos que éramos uma banda e ela disse que queria aprimorar os conhecimentos no piano. Comecei a ensiná-la, e ensinei violão também. Aí ela saiu de L.A., e nós ficamos na bota.
Hayley riu sem parar.
— Achei que só o Josh falasse essa cafonisse.
— Obrigado, amor. — Josh disse revirando os olhos.
— Você faz o quê na banda? — Disse Sarah.
— Canto, toco guitarra quando preciso, toco acordeão quando preciso, toco o que for preciso quando for preciso, mas eu sou o vocalista. Componho também.
— Entendi. — Ela disse, ainda rindo para ele, que ria também.
— Mas e você, como conheceu a Hayles?
— Eu a vi conversando com o Jeremy, na escola, então fui falar com ela. Logo eu fui com a cara dela, e confesso que achei o cabelo dela muito maneiro.
— Desde quando você tem esse cabelo, Hayley? — Josh perguntou, curioso.
— Desde os meus 14 anos, eu acho.
— E esse Jeremy... — Brendon perguntou, olhando para os lados. — É o que seu?
Hayley olhou para trás.
Oh oh.
— É meu... namorado.
— Ahn... Ele parece legal.
— É. — Ela disse com um meio sorriso, envergonhado.
— Gosto do seu sorriso. Mesmo quando ele não é muito verdadeiro.
— Ok... ninguém nunca me diz isso.
— É sério... seu sorriso é... incrível. Faz alguma pessoa se perder... e não se importar com mais nada.
Hayley arregalou os olhos.
Sarah sorriu.
— Hmm... obrigada.
— Só falei a verdade.
Hayley olhou para trás e encarou Brendon por um tempo.
Oh, no. Merda.
Depois de quase uma hora, eles finalmente chegaram a boate que Jeremy falou. Todos saíram do carro, e Hayley agarrou o braço de Brendon.
— Qual é a sua, rapaz? — Ela disse baixo.
— Como?
— Brendon, por favor, pra cima da Sarah não. Ela não merece ser mais uma que sofreu por você, e ela namora! Fica quieto, e para com isso que você tá fazendo, ok?
— Hayley, presta atenção. Eu não quero enganá-la! Eu juro! Foi... Foi sem pensar. Eu só olhei pra ela e senti como se eu estivesse... mais vivo.
— Ah meu Deus. Brend, por favor, o dia está perfeito demais pra você estragar.
— Não vou estragar nada, ok? Só quero a amizade da Sarah. Só isso.
Hayley fez um movimento negativo com a cabeça e começou a andar para dentro do estabelecimento.
A música eletrônica tocava bem alta. Era sexta feira, e a boate estava bem cheia. Pagaram suas entradas e entraram já dançando.
A turma de Franklin foi pra um canto da boate. Josh pegou pela cintura de Hayley e a virou para si, beijando-a.
— Vamos comprar alguma bebida? — Ele disse.
— Ok, mas você não beba. Ainda precisa dirigir.
Josh ri.
— Tá certo, mamãe. — Ele diz e rindo, a beija novamente.
Todos dançavam atrás. Jeremy conversava com Sarah noutro canto, mas Hayley sabia que não estava tudo bem.
Dakotah estava com Taylor. Justin e a Panic! traçavam seus planos de conseguir alguém para beijar naquela boate.
— Pessoal, a gente vai comprar algo pra beber. — Hayley disse, gritando, para os meninos e eles assentiram.
Hayley foi com Josh até um bar que ficava em outro canto da boate.
— Hayley, é impressão minha, ou o Brendon tava dando em cima da Sarah?
— Não é impressão sua, infelizmente.
— O Jeremy não vai gostar disso.
— Acho que ele já não gostou, Josh. Que droga, viu?
— Ok, fica fria. Se importe apenas com a gente essa noite. — Ele disse beijando-a novamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário