22 de set de 2012

Capítulo 20

The best brother in the world!



Pov. Zac

— Cadê Josh? — Minha mãe perguntou.
— Não sei... — Isabelle disse.
— Deve estar no quarto com Hayley. — Tia Chris disse. Peraí. Vamos recapitular: Josh, no quarto, com Hayley, sem brigar.
— Eu vou lá ver. — Disse e saí. Quando cheguei lá me deparei com uma cena mais do que... hmm, digamos... fofinha.
Give us life again, cause we just wanna be whole.
We just wanna be whole...
Josh tocava o piano e Hayley cantava. Bem, muito bem. Depois Josh se desculpou com ela e ela disse que ‘tudo bem’. Eles ficaram se olhando...
Eu tenho duas opções:
Nº 1: Interromper tudo com meu senso de humor e acabar com um provável beijo;
Nº 2: Ver até onde isso vai dar e chamar reforços.
Hum, acho que fico com a número dois.
Fiquei ainda meio escondido. Até que quando quase eles se beijam de novo, Hayley começa a conversar qualquer coisa.
Ok, hora de chamar reforços.
Voltei pra copa, onde todo mundo comia, e disse:
— Eles estão cantando, ao piano. Coisa mais bonitinha.
— Hayley toca piano? — Perguntou minha mãe.
— Sim... minha mãe lhe deu um piano, e algumas aulas. Ela estuda piano desde os 7 anos. Mas eu não sabia que Josh também tocava!
— Ele toca sim. Toca violão e guitarra também. E Zac tem uma bateria.
— Sério Zac?
— Sim. Estou na categoria do Steven Adler, recebi até um convite pra tocar no Guns, mas decidi dar pro meu velho Josh Freese. Ele tá precisando mais. — Disse a maior verdade já dita e todos riram.
Conversamos durante alguns minutos mais até que Josh e Hayley vêm até a copa. Ele a ajudava a andar. Own.
— Está melhor, amor? — Christie perguntou com tom maternal.
— Mãe, eu já te disse que tô bem desde ontem. Devia ter ido pra escola. — Ela disse e se sentou.
— Estavam ao piano? Zac nos disse. — Josh me olhou como se fosse me matar. Ok, ele tá bem agora.
— Josh estava compondo.
— Você compôs metade da música, Hayley!
— Não. A musica é sua, eu só te ajudei.
— Caraca, se não fosse tua ajuda eu não teria terminado ela, você foi essencial!
— Não fui, Josh. A composição é sua! A We Are Broken é tua!
— Não, ela é nossa. Você compôs metade da música, ela é sua também.
— Josh, seu cabeça dura bobão, se você começou a compor a música como eu posso fazer parte dos créditos?
— Hayley, sua cabeça dura, se você ajudou a compor a música, você já está automaticamente nos créditos!
— Josh, qualquer ser poderia te ajudar como eu te ajudei! Até a Isabelle te ajudaria!
— O que eu tenho a ver com a DR de vocês?!
— Fica quieta pirralha; E não, nenhum ser poderia me ajudar como você me ajudou Hayley. Você é brilhante, e pára de teima.
— Eu sou a teimosa agora? Você não vê que você é que é o brilhante dessa história?
— Você é a brilhante e teimosa dessa história toda.
— Tá bem, para tudo. — Minha mãe. — Vocês estão brigando por quê?
Eles começaram a falar tudo ao mesmo tempo e apontar um pro outro. As únicas palavras que eu entendi foram: “musica” “Josh” “foi ele” “foi ela” etc.
Que coisa estranha. Os dois se amam, mas são como cão e gato.
— Ei, pára! — Minha mãe de novo.
— Mas tia, o Josh compôs a música super perfeita e quer me creditar!
— Se você me ajudou, caraca, você já está creditada! E você não só me ajudou como deu leveza a música. Ficou muito melhor na tua voz!
— Não ficou não, Josh! Eu não mereço créditos por te dar umas pequenas dicas de poucas palavras.
— Lógico que merece!
— Não mereço não, a música é sua!
— Então você merece créditos por ser a pessoa em que eu me inspirei pra escrever a pouca parte que fiz. E aí? A música é minha e eu credito quem eu quiser.
OH MY GOSH! EU NÃO OUVI ISSO.
Ela se calou. É, Josh sempre teve o dom da palavra.
A família continuava a começar, e Belle se melecava com o melado nas panquecas, mas não demorou muito pros dois começarem a discutir de novo.
Dude, esse é o amor mais estranho que eu já vi.
Na tentativa de acabar com a discursão que não teria fim tão cedo, eu tive mais uma de minhas mais do que brilhantes idéias:
— Hayley, Josh, epa! — Eu disse e eles me olharam feio. — Por que não mostram pra gente a música que vocês compuseram?
— Eu não compus nada! Foi o Josh. — Hayley revirou os olhos.
— Eu acho uma boa idéia. E já tem tempo que não vejo Hayley ao piano. — Christie disse.
— Não, mãe, nem pensar.
— Hayleyball, — Isabelle, year. — Canta pra eu ver, vai? Por favor, eu queria tanto que você e o meu irmão cantassem pra mim... — Ela fez a carinha de anjo. Man, eu amo a minha irmãzinha!
Ela revirou os olhos e olhou pro Josh.
— Tudo bem pra você?
— Por favor, Josh? — Sim, eu amo minha irmãzinha.
— Ta bem.
Hayley e Josh se dirigiram na frente em direção ao quarto.
— Muito bem, Bellinha. — Eu disse, ela sorriu de canto e nós tocamos as mãos.
Ela tá aprendendo... tem futuro, essa menina.
Chegamos ao quarto, e Josh começou a tocar.
Eles se entreolharam algumas vezes e nenhum som saiu da boca de nenhum deles.
— Não era pra alguém cantar? — Minha mãe perguntou.
— Hayley não quer!
— Você tem que cantar a música!
— Eu vou tocar o piano, canta, poxa.
— Mas eu... — Isabelle chegou pertinho dela e abriu seus grandes olhos castanhos. — Tá bom. Você me paga, Belle.
Isabelle voltou pro lugar onde estava e eu a olhei com orgulho, ela piscou um olho.
Josh recomeçou a introdução e Hayley começou a cantar.
Ele fez a segunda voz no refrão, e no pré-refrão.
No final da música todos estavam maravilhados. Meu, essa menina sabe cantar! E a música ficou realmente boa.
— Nossa! — Tia Chris. — Vocês são incríveis! Sério, tem futuro! Já pensaram e formar uma banda?
Eles se entreolharam.
— Não mesmo. — Responderam em uníssono.
O resto da manhã passou normal.
Normal, tirando as discursões de Hayley e Josh. Meu Deus! Eles não respiram? Não sentem sede? Não cansam?
É de fato, o amor mais estranho que eu já vi.
De qualquer forma, eu preciso de reforços pra unir esses dois. E esse reforço tem nome de Sarah.
Saímos da casa de Hayley e Josh estava olhando o papelzinho sem parar. Era com certeza o papel onde estava escrita a música.
Ele não falou mais nada e foi pro quarto.
Peguei meu celular e disquei o número da menina branquinha de cabelos curtos pretos.
— Oras se não é Zachary Farro! — Ela disse soltando um gritinho.
— Oras se não é Sarah... é, o que mesmo? — Eu disse e nós rimos.
— É melhor deixar meu sobrenome pra lá.
— Como é?
— Sério, Zac.
— Fala.
— Orzechowski.
— O QUÊ?
— É russo.
— Ahn... é, eu não devia ter insistido. Você é russa?
— Não devia mesmo, e não, não sou. Meu avô era, sou descendente. — Rimos. — Mas por que me ligou?
— Hm... você viu a Hayley?
— Não hoje, mas vou ver um filme na casa dela.
— Ahn...
— Por quê?
— Pode ser estranho, mas acho que ela tá gostando do meu irmão.
— JOSH?
— É.
— Oh my! Sério?
— É sério! Olha, eles fizeram uma música mais bonitinha hoje juntos! E desde ontem, ela reclamou dele alguma vez?
— Não... cara, eu bem que estranhei. Ela realmente tava mais boba. E ontem ele chegou com ela no colo, sem camisa, todo molhado.
— Isso sem falar na infância que os dois tiveram.
— Poxa, olha Zac, faz sentido... a Hayles tá diferente.
— Pois é. Acho que os dois estão se gostando. Mesmo discutindo a toda hora. Dá pra ver que eles se gostam.
— Hum... sei. E você quer que eu te ajude a juntá-los.
— Exatamente. E sei que você pode me ajudar.
— Posso sim. Na verdade, Hayley me deve essa.
— Por quê?
— Vingança da vingança, Zac. Hahaha. — Eu não entendi, mas tudo bem.
— Ér... enfim. Fala com ela hoje e depois a gente decide o que fazer, ok?
— Tudo bem, Zac. — Ela disse.
— Ok, tchau Sarah, beijos.
— Bye bye.
Prontinho.
Com Sarah no meu time, é impossível perdemos o jogo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário