23 de set de 2012

Capítulo 53

You can't run away... you wouldn't. 



Cinco anos e meio depois


Céus, ela estava quase atrasada. Visualizou o relógio de parede acima da pia — sua amiga maluca o havia colocado no local mais improvável possível. 7h15min. Respirou.
Tudo bem, ela ainda poderia chegar na hora. Só precisava terminar o café da manhã, arrumar seu filho e fazê-lo comer, levá-lo até a creche e ir em direção à escola. Em quarenta e cinco minutos.
Droga, era muito pouco. Ainda mais levando-se em conta que Henry demorava uma vida para comer e parecia superentretido com seu desenho animado, o televisor no último volume na sala ao lado da cozinha.
Sophie suspirou.
— Henry Lucas Farro, pela última vez, abaixe esse volume! — gritou ela, sentindo-se um pouco menos estressada quando notou que o som que ecoava da tevê ficou mais baixo.
Desculpe, mamãe! — ela escutou o grito agudo do filho e virou-se para o fogão, dando uma última mexida nos ovos e virando o bacon. Gloriou-se mentalmente por não se queimar desta vez. Sinceramente, às vezes parecia que Sophie tinha um imã para óleo quente. Seu braço ainda ardia pela última gota que a queimara, semana passada.
Ela apagou o fogo dos ovos, deixando o bacon fritar durante mais um tempo — Henry gostava do seu bacon muito bem passado, quase queimando —, e foi até a torradeira que havia acabado de apitar. Colocou a torrada do filho em um prato de porcelana com a estampa do Mickey Mouse que Julia havia comprado numa loja de utilidades, sabe-se lá aonde, em uma de suas viagens a trabalho. Julia sabia que Henry era meio obcecado por desenhos antigos, especialmente o Mickey Mouse e sua turma, Snoopy, Bob Esponja e até mesmo o Pica-Pau. Mas ele também adorava desenhos atuais que envolviam muita computação gráfica, além de gostar de desenhos que não eram tão atuais, mas ainda assim, não deveriam fazer sucesso para uma criança de apenas cinco anos. Ele tinha uma estante inteira apenas de DVD’s de desenho animado que Julia comprava para assistir com ele.
Neste momento, Sophie conseguia reconhecer a voz de Jake, o cachorro elástico do desenho Adventure Time. Henry acordara às seis horas da manhã para não perder a maratona que passava na Cartoon Network e Sophie aproveitou para corrigir as provas que precisava, enquanto escutava as risadas contagiosas do filho e, mais uma vez, agradecia a Deus pela bênção que era tê-lo. Acabou levando mais tempo do que o que ela pensava, e agora só faltavam quarenta minutos para ela chegar ao colégio, onde dava aulas de piano, canto e teoria musical para alunos do quarto ao nono ano, o que não era um trabalho nada fácil. Além de ter que lidar com alunos que não queriam nada com a vida, vira e mexe um garoto de doze anos se “apaixonava” por ela (Julia havia dito uma vez que se estivesse com doze anos e sua professora de piano fosse tão jovem e gostosa, ela provavelmente se apaixonaria também). Lidar com pré-adolescentes era tão exaustivo que Sophie gostaria que Henry tivesse cinco anos para sempre.
Sinceramente, essa parecia a melhor fase de uma criança. Os primeiros meses foram terríveis, Sophie era muito nova e não tinha nenhuma experiência, além de ainda ter de frequentar para a faculdade de música (Camie lhe ajudara muito nesta época). Ela e Julia se reviravam ao avesso para poderem cuidar do pequeno recém-nascido, e ainda assim era tão difícil. Sophie estudava à noite e Julia trabalhava e estudava o dia inteiro, tendo que cuidar de Henry quando Sophie estava na faculdade. Quando ele fez um ano de idade, elas já não se aguentavam mais. A exaustão havia tomado conta de ambas, junto à culpa que Sophie sentia por estar criando um bebê longe de sua família.
Foi então que houve a ligação. A ligação que Sophie fez para Hayley para dizer que ficara grávida e tivera um filho.
Céus, fora um horror. Hayley esbravejou ao telefone — logo depois de se recuperar do choque inicial, que incluía a total discórdia e achar que tudo aquilo era uma simples brincadeira —, brigou, gritou, chorou. E quando perguntou sobre o pai da criança, Sophie... apenas respondeu que não sabia quem era.
Isso foi o fim. Sua mãe largou o telefone e logo Sophie ouviu a voz de Josh, que parecia muito mais calma do que a de Hayley. E realmente estava. Josh com certeza estava magoado, mas... tanto ele quanto Sophie sabiam que ele não estava em posição de brigar com ela, uma vez que ele fizera quase a mesma coisa em relação a Danna. Conversou com Joe e com Nate em seguida, ambos com as vozes mais grossas do que ela se lembrava, apesar da voz de Joe estar um pouco arrastada e mais rouca. Ambos estavam pasmos, Joe ficou chateado por Sophie não tê-lo contado. Até que Hayley reapareceu, sem parar de brigar, e Sophie encerrou a ligação com um “eu já assumi a responsabilidade! E vou criá-lo sozinha, como tenho feito ao longo desses seis meses.”.
Isso por que Sophie não podia dizer a real idade de Henry. Se dissesse que ele tinha um ano de idade, bem, não era preciso fazer muita conta para descobrir que as dadas condiziam e que, afinal, o filho de Sophie era também filho de Luke.
Foram quase duas horas com o telefone grudado a orelha, escutando o choro e a briga da família, Julia encarando-a com preocupação e lhe dando apoio moral. O pequeno Henry, tão inocente, dormia em seu quarto como um anjo, sem ter a mínima ideia do que acontecia fora dele.
Os dias seguintes, entretanto, foram muito mais tranquilos. Julia conseguiu um trabalho remunerado e Sophie passou a estagiar no mesmo lugar onde dava aulas até hoje. Quando Henry tinha dois anos de meio, Hayley, Josh, Joe, Danna e Hector foram visitá-los. Sophie comunicara Julia sobre a vinda de sua família até Londres e, sinceramente, nunca vira a amiga empalidecer tão rapidamente de forma tão brusca. Parecia que o sangue tinha fugido de seu rosto, e ambas sabiam a razão.
Mas Nate não iria visitá-las. Havia entrado no exército e estava em treinamento contínuo por dois anos, impossibilitado de visitar outro país por tanto tempo.
E acabou sendo uma das semanas mais incríveis da vida de Sophie. Não se lembrava do quanto sentia saudade de seus pais, de modo que os abraçou tão apertadamente da primeira vez que os viu que começou a chorar. Joe estava tão grande, e Sophie quase desmaiou quando Danna anunciou que o pequeno Henry teria um priminho (que, no fim, acabou sendo uma priminha). Estavam todos tão diferentes, tão mudados, e Sophie se deu conta de que havia mudado também, e muito. Mesmo que só tivesse dezenove anos, já era uma adulta desde o momento em que Henry Lucas, seu bebê tão lindo, nascera. Não parara de pintar o cabelo, mas crescera, física e emocionalmente. Não era mais uma adolescente. Era... uma mãe.
Henry fora o xodó do momento, evidentemente. Todos ficaram chocados com sua esperteza e precocidade, além de ser inegável que o bebê era mesmo a criança mais linda do mundo inteiro, sobretudo quando se sentava ao piano da mãe e começava a martelar as teclas, gargalhando gostosamente quando o som das teclas ecoava.
Ele era muito pequeno, mas já parecia carregar os genes musicais dos pais. Ou então, havia aprendido a amar música por todas as horas que Sophie passava tocando piano mesmo quando estava grávida dele, ou quando bebê ficava em seu colo, dormindo calmamente ou sorrindo enquanto ela treinava as obras que precisava para a faculdade. Isso era tão comum que até hoje, cinco anos e meio depois de seu nascimento, o garoto se sentava no colo da mãe para escutá-la tocar.
E claro que todos acharam Henry muito precoce e grandão para um garoto de dois anos de idade, sobretudo quando ele era precoce e grandão mesmo para um garoto de sua idade. Tinha dois anos e meio e quase não falava errado, além de já ter aprendido a usar o banheiro — feito este que Sophie simplesmente amou. Não havia nada pior do que ter de acordar de madrugada para trocar suas fraldas.
Ossos do ofício.
E claro, ainda havia a época em que Julia perdeu o emprego e... bem, faltou dinheiro. Foi a pior época pela qual eles passaram, e se não fosse por Tarris, Sophie e Julia não aguentariam as rédeas da situação. Não podiam parar de pagar a creche de Henry por que não tinham tempo para cuidar do garoto, e claro que elas compravam as coisas que eram úteis para a casa e os livros da faculdade antes de pagar as contas do apartamento. Infelizmente, isso deixou-as endividadas até o pescoço e Sophie conseguira limpar seu nome fazia apenas dois meses. Julia, sem fazer nada pelo período de tempo que supostamente deveria estar trabalhando, passou a escrever artigos de acordo com suas próprias ideias, vocabulário e fontes, e postá-los na internet por meio de um blog que ela mesma criara. O incrível fora que as pessoas passaram a ler o que ela fizera apenas por pura diversão e, hoje, o blog de Julia era um site noticiário formado por uma equipe, todos ex-universitários, colegas dela. O dinheiro que passaram a ganhar com propagandas e patrocínio fora o suficiente para mantê-las em um padrão pouco mais folgado de vida. Mesmo que Sophie sempre atrasasse a conta de telefone. Depois da criação do site, mesmo na faculdade, Julia passou a receber propostas de empregos de todas as editoras e jornais do país. Todos se encantaram pelo seu jeito irônico e verdadeiro de ver e mostrar as coisas ao povo. E oras, ela seria formada por Oxford! Quem não iria querê-la?
Agora, formada, Julia não estava trabalhando para ninguém senão ela mesma. Tinha um pequeno escritório no centro onde se reunia com seus colegas e projetava as notícias para aquele dia, além de andar sempre com o iPhone em mãos, atenta a toda e qualquer notícia que possa acontecer dentro da Inglaterra ou mesmo no resto do mundo.
Sophie também mal conseguia se lembrar de quando Henry completou três aninhos sem chorar. Havia contraído uma gripe inicialmente, mas... a gripe não sarou. Deu-se uma tosse que não acabava, febre, vômito, por vezes sua respiração ficava comprometida. Sophie perdeu a conta de quantas vezes ele chorava e apontava para seu peito, dizendo que “seu coração estava doendo”. Ela o levou ao hospital diversas vezes, recebendo sempre o mesmo diagnóstico: gripe. Mas a gripe de Henry não cessava, e então, em outra consulta, quando ele fez o hemograma e a radiografia, descobriu-se que o pequeno menino havia contraído pneumonia.
Ainda passando pela crise financeira, Sophie nunca havia se sentido tão angustiada em sua vida. Suas notas na faculdade caíram consideravelmente, pois ela deixava de ir as aulas para ficar com seu filho, certificar-se de que ele estava bem e sem tossir, sem febre, sem dor, sem falta de ar, comendo direito. Ele havia emagrecido tanto, e Sophie simplesmente entrava em pânico quando ele não conseguia respirar. Chorava com ele quando ele dizia que seu peito estava doendo, e chorava sozinha quando finalmente conseguia fazê-lo dormir. Henry havia se tornado uma criança complicada para comer nessa época, e isso havia se estendido até hoje.
Foi o mês mais difícil que Sophie já passara em sua vida. Não conseguia dormir, não conseguia trabalhar, não conseguia estudar. Só conseguia pensar em seu filho, doente, com aquela doença terrível. Após todo o tratamento e as visitas ao hospital, Henry finalmente sarou. Até hoje Sophie brigava com a síndica do prédio para fazer as manutenções dos ares-condicionados, e retirara-o da creche que recusou a fazê-lo. Além de garantir que Henry comesse todos as vitaminas que precisava.
Mas mesmo com todas as dificuldades, Sophie não conseguia imaginar sua vida sem seu pequeno filho. Ele havia se tornado o centro do seu mundo, e tudo o que ela fazia era para ele de alguma forma. Não havia nada no mundo que Sophie amasse mais do que Henry, o travesso, teimoso, e apaixonado por desenho animado Henry Lucas. Toda vez que ela se sentia magoada por algo que fizera no passado, só precisava olhar para seu rostinho jovial e inocente para sentir que tudo valera a pena. Só precisava ver seu sorriso e seus olhos perfeitos para se derreter. Só precisava sentir seus bracinhos em volta do seu pescoço, abraçando-a como se ela fosse a mulher mais incrível do mundo para saber que tinha feito a coisa certa.
A coisa certa fora ficar com Henry para ela.
— Cheguei, amores! — Sophie saiu de seus devaneios quando escutou a voz de Julia ecoando pela casa. Retirou o bacon do fogo, colocando as fatias sobre os pratos de porcelana.
— Bom dia — Sophie disse, levando os pratos para a mesa. — Henry, vem comer!
Peraí — ele gritou de volta, fazendo Sophie revirar os olhos e encarar a amiga a sua frente. Seu cabelo estava molhado e o único vestígio de maquiagem em seus olhos verdes era um rímel que ela com certeza havia acabado de passar. Sua bolsa parecia abarrotada e, ora, Julia não tinha nenhuma camiseta do Bon Jovi. Some isso ao fato de ela estar chegando em casa as sete e vinte da manhã e não é preciso ser um gênio para adivinhar onde ela estava.
— Sério, eu tenho que parar de esperar você chegar em casa — Sophie disse, sentando-se à mesa e dando uma garfada de seus ovos. — Você podia ligar. Não estava no escritório?
— Desculpe, papai — Julia revirou os olhos, fazendo Sophie rir. — Sim, estava no escritório, mas fui tomar uma cerveja com o Bruce depois disso.
Sophie parou de mastigar.
— Bruce não é o cara casado?
Julia apertou os olhos.
— Claro que não! O que acha que eu sou? — ela deu ombros e Sophie voltou a comer. — O que se casou é o Paul. Pelo amor de Deus, como você confunde Bruce com Paul?
— Você também dormiu com o Paul — Sophie disse em tom inexpressivo, sem ligar.
— Isso foi antes de ele se casar — Julia explicou-se. — E já faz um tempão, por favor, pare de me condenar!
— Você tem que parar de dormir com os seus funcionários, Julia — Sophie apontou com o garfo para a amiga. — Henry, ande! Os ovos vão esfriar!
Peraí, mamãe, tá quase no fim!
— Não tenho, não — Julia disse, sentando-se e largando a bolsa em cima da mesa. — Essa é uma das poucas vantagens de ser a chefe. E eu não estou cometendo nenhum crime, se quer saber. Bruce já estava me cantando há uns dois meses. E eu sou uma mulher de vinte e três anos bem sucedida, linda e independente na capital da Inglaterra. Faço bem de estar dormindo com quem eu quiser.
Sophie negou com a cabeça.
— Primeiramente, você só tem vinte e dois. E depois, certo, você é independente e linda e blábláblá, mas... quanto tempo tem que você não sente algo por um desses caras?
— Acredite, eu senti algo ontem à noite enquanto o Bruce... é melhor não terminar a frase — ela se calou ao ver o olhar fulminante de Sophie. Havia proibido Julia de falar besteiras ou palavrões na frente de Henry há um bom tempo.
— Eu não estou falando de s-e-x-o — Sophie soletrou, preferindo prevenir que seu filho não estivesse chegando. — Você é uma garota incrível e metade desses caras se declararam para você. Sabe, Julia... você precisa se apaixonar de novo. Amar, sabe. Amar e ter um homem te amando de volta.
Julia encarou Sophie como se ela houvesse acabado de dizer a coisa mais retardada do mundo.
— Certo, você tem razão — ela disse em seguida. — Lucas!
O quê? — Henry respondeu ao grito de Julia na sala.
— Eu te amo, você me ama?
Aham!
— Então diz que me ama!
Eu te amo, tia Julia — ela escutou o grito da criança e sorriu para Sophie.
— Viu? Eu amo um homem que me ama de volta, e tive ontem uma noite de s... s-e-x-o, incrível. Minha vida está completa. — Julia deu de ombros. — E não me venha com essa de “você precisa amar”, Srta. Responsabilidade. Quantos anos têm que você não fica com ninguém?
Sophie suspirou.
— Não preciso disso.
— Por favor, Soph! — Julia se remexeu na cadeira. — O mais perto de experiência s... s-e-x-u-a-l que você teve desde o nascimento do Lucas, foi quando aquele professor esquisito te beijou naquela festa esquisita de alunos esquisitos.
Sophie riu.
— Novamente, Juzy, eu não preciso disso. Tudo que preciso é minha música e meu filho. — Respondeu Sophie, comendo um pedaço de bacon torrado do jeito que Henry gosta.
Julia bufou.
— Pois sabe o que eu acho? — disse e Sophie negou com a cabeça. — Acho que uma hora ou outra, Soph, você vai perceber que o Luke não foi o único.
Sophie abaixou o garfo por impulso, sentindo o sangue parar de fluir em suas veias. Engoliu, ainda pasma, pálida.
— Assim como você percebeu com o Nate? — ela não viu quando as palavras saíram de sua boca, arrependendo-se logo depois de tê-las dito. Julia havia... tocado em seu ponto fraco. Sophie se irritara e dissera as palavras sem pensar, apenas para... revidar.
Mas Julia aparentemente tinha se irritado de verdade. Levantou-se de uma vez, deixando a bolsa em cima da mesa, andando com força até o fogão. Colocou um pouco de ovos em um prato e bateu a frigideira contra o fogão.
— Não fale como se fosse escolha minha — ela se virou para Sophie, os olhos fulminando de irritação... e tristeza. — Não vim para Londres por que eu quis, Soph. Não levo a vida que levo por que eu quero.
Sophie mordeu o lábio.
— Me desculpe, eu falei sem pensar — disse, sinceramente.
Julia largou a frigideira no fogão, perdendo subitamente sua fome. Seu rosto não estava mais irritado, mas Sophie teve a impressão de que ela queria chorar. Apoiou o peso de seu corpo sobre suas mãos, no balcão, suspirando.
— Eu não ia sair com o Bruce ontem, Soph — ela confessou. — Não queria, na verdade. Mas... quando eu estava escrevendo um artigo... eu recebi uma ligação... Leonard. Leonard me ligou. — Julia não encarava mais a amiga. Olhava para suas mãos que iam empalidecendo conforme ela aumentava sua força sobre elas. — Ontem foi aniversário dele, de dezesseis anos. Eu tinha... esquecido do aniversário do meu próprio irmão, e... caramba, Sophie, ele parece tão diferente. A voz dele, segura e ao mesmo tempo travessa. Jason deu uma moto para ele e o garoto estava quase explodindo de felicidade. Disse que queria que eu estivesse lá para ver, para dar uma volta com ele — Julia suspirou, engolindo seu choro. Sophie já não conseguia mais encará-la ou comer o que estava em seu prato. Sentia em seu interior que Julia já deveria ter voltado para a América, mas a única coisa que a prendia... era ela. — Eu sinto tanta saudade, Sophie. Meu irmão, aquele pirralho irritante, virou... um homem, sabe? E a minha mãe... minha mãe parecia tão cansada, a voz dela estava embargada por estar falando comigo, com saudades de mim tanto quanto eu sinto saudades dela... Eu sinto tanta saudade da vida que eu tinha em Nashville, mesmo que ela tenha sido tão menor do que a vida que eu tive aqui... — Julia retirou uma de suas mãos do mármore, passando-a pelos olhos num gesto rápido e trêmulo. — Por isso saí com Bruce. Queria me distrair. Por que a cada dia que se passa, mais eu sinto que esse não é o meu lugar. Que Londres não é o meu lugar. Que não é aqui que eu devo ficar, mesmo que isso aqui envolva... noventa e cinco por cento da minha vida. Eu só... — Julia fungou, mordendo o lábio — ...queria voltar.
Sophie suspirou, engolindo seu próprio choro.
— Então volte — murmurou ela, encarando suas próprias mãos. Suas palavras eram sinceras, entretanto. Sabia que Julia precisava voltar. Tanto para sua família quanto... para a tatuagem que ela agora encarava.
— Não posso — ela murmurou de volta. — Não consigo deixar você e o Lucas. Não consigo me ver longe de vocês. Não consigo... você sabe que eu sou maluca por aquele garoto... Eu não posso voltar.
— Mas você deve — Sophie levantou os olhos, encontrando os de Julia, completamente abalados e confusos.
— Só se vocês vierem — ela encarou Sophie de volta e deu um sorriso nervoso. — Vocês são minha família, eu não vou conseguir me aguentar de saudade. Vem comigo.
Sophie abaixou os olhos.
— Eu não posso voltar, Julia — murmurou. — Não posso. Você sabe por quê. Você sabe por quem. Não posso voltar.
Julia suspirou, sem retirar os olhos da amiga.
— Mas você deve.


[...]


Oh, droga. E agora?
Sophie encarou sua sala de aula vazia, as carteiras largadas de qualquer maneira pelos alunos do oitavo ano que haviam acabado de sair, apressados para chegar em casa e passar o resto da tarde no computador. Bem, talvez Gina não fizesse isso, afinal, era a garota de treze anos mais dedicada que Sophie já havia conhecido, e empenhava-se em tirar a nota máxima em todas as matérias. Inclusive música, canto, matéria essa que a própria garota havia escolhido cursar. Assim como todos os outros vinte e cinco alunos da classe do oitavo ano.
Alunos esses que Sophie não voltaria a ver.
Sua cabeça trabalhava procurando uma saída. Quanto tempo havia que ela não moldava um currículo? Bem, precisava moldar um agora, e urgente. Precisava conseguir um emprego o quanto antes.
Droga. Péssimo momento para ser demitida. Sobretudo quando Julia queria tanto voltar para Nashville e o site dela estivesse se expandindo. Para Julia abrir uma filial na América não demoraria nada.
Sophie achava que conseguia aguentar tudo sozinha. Não ganhava mal na escola, afinal, trabalhava dois turnos e lecionava para mais de duzentos e vinte alunos. Era cansativo, sim, mas era o suficiente. Mas... bem, agora a escola havia achado as aulas de músicas inoportunas e estavam substituindo-as pelos esportes. Sophie e mais três professores foram demitidos, restando apenas um músico, que daria aulas simples de violão para algumas crianças que queriam realmente aprender.
Que ótimo. Sophie só havia trabalhado em apenas um lugar, precisava achar outra escola de música para lecionar, e com certeza recebendo menos do que o necessário. Isso, é claro, se ela conseguisse achar um emprego. Era só dar uma olhada nos telejornais ou mesmo no site de Julia para saber que a inflação estava terrível e a crise econômica tomava conta do país. Muitos estavam sendo despedidos, muitos procuravam emprego, poucos estavam estabilizados. A própria Julia teve de demitir dois redatores há menos de um mês.
Sozinha e desempregada, Sophie não conseguiria lidar com tudo o que estava acontecendo. Agora também não contava mais com a ajuda de Tarris, já que este havia se mudado para Dover e estava casado há menos de dois meses. Sophie sabia que isso havia afetado Julia também — ela perdera seu melhor amigo colorido, além de saber que Tarris fora para Dover procurar por Leighton, a garota que fora separada dele mais ou menos da forma como Julia fora separada de Nate. Na realidade, Tarris só estava no colégio interno em que Julia estava matriculada na época em que se conheceram para ocupar a mente — mais ou menos da forma como Nate fez, indo para o colégio militar antes da hora.
Agora Tarris estava casado com a mulher que amava. E Julia... bem, não. Dava para ver que isso machucava-a. Sophie não podia deixá-la ficar em Londres só por causa dela e de Henry. Quer dizer, o filho era de Sophie, Julia não tinha a mínima responsabilidade sobre ele, e só a ajudara por tanto tempo por que... eram melhores amigas.
Tudo bem, Sophie receberia seus direitos por ter sido demitida, isso poderia suprir suas necessidades por um tempo. Ela trabalhava naquela empresa há quatro anos! As libras que receberia por direito deveriam aguentar até ela conseguir se empregar novamente.
Ela suspirou, pegou suas coisas e saiu da sala. Tinha de esvaziar seu armário também. Oliver Schmidt, professor de flauta, não havia nem sequer dado sua última aula. Esvaziara todo o seu armário e saíra da escola com raiva assim que terminou. Na realidade, de todos os professores demitidos, Sophie foi a única que trabalhou por que prometera aos alunos que lhes diria suas médias, além de ter de entregar as provas corrigidas. Quando souberam que Sophie fora demitida, eles ficaram abalados, e ela mesma também ficou. A turma do oitavo ano era a mais fácil de trabalhar e os alunos a amavam. Fizeram até mesmo uma pequena festa de aniversário para ela, quatro meses atrás.
Sophie sentiria saudade daqueles pirralhos.
Não havia muita coisa no armário. Um diário de notas que ela teria de deixar na direção da escola, alguns livros didáticos, uma foto de Henry pregada à porta, seu celular, um caderninho de partituras, e alguns papeis que Sophie apenas jogava lá dentro. Esvaziou tudo da melhor forma que podia, preferindo deixar os papéis inúteis por lá, e levou os livros e as notas de seus alunos para diretoria, deixando-a com uma secretária qualquer. Enfiou o caderno, o celular e a foto de Henry na bolsa e apertou o sobretudo contra o corpo assim que saiu do prédio da escola particular em que lecionava. Passou a caminhar em passos rápidos conforme o ritmo de Londres mandava até a creche onde Henry estava matriculado. Teria de buscá-lo dentro de meia hora e decidiu ir andando, optando por ter mais tempo para pensar enquanto via sua respiração fazer contraste com o vento frio inglês.
Mas ela não pensou muito. Logo seu celular passou a vibrar, tocando alto uma versão piano de My Heart que ela achara na internet. Era incrível como mesmo depois de tantos anos era possível encontrar os vídeos da Paramore no YouTube.
Quando finalmente achou o celular, Sophie atendeu sem verificar o número, já com medo de perder a ligação. Murmurou um “alô” forçado.
Soph! — ela reconheceu a voz no mesmo momento, deixando um sorriso aparecer em sua face. — Por que não atendeu o telefone antes? Estou te ligando desde cedo!
— Estava na aula, tenho que dar o exemplo para aqueles meninos — ela disse de volta para o aparelho, diminuindo o ritmo do passo. — Meu celular estava no armário, me desculpe.
Eu ia deixar você ser a primeira a saber, mas como você não atendeu o telefone, não me culpe — sua voz estava estranhamente alegre demais. Sophie estranhou, mas gostou.
— Saber de quê, querida irmã? — perguntou ela à Danna, escutando sua risada do outro lado da linha. Era inegável que a pessoa com que Sophie mais mantivera contato ao longo de todos esses seis anos longe de casa fora Danna. Haviam se tornado mais próximas do que já eram quando estavam juntas.
É que... ai, espera um pouco, a Anna está chorando — ela escutou um barulho, indicando que o celular havia sido largado em algum lugar, seguido de um choro alto e fino. Anna, a pequena filhinha de Danna e Hector, mais parecia um anjinho. Tinha cabelos loiros longos que iam até as costas, baseado no que Danna dizia e nas fotos que Sophie tinha dela, já que nunca vira a sobrinha frente a frente. Anna é, na verdade, o nome da falecida mãe de Hector. — Pronto, bebê. Quer falar com a tia Sophie? — ela não pôde deixar de sorrir quando escutou a voz de Danna mais fina, brincando com a filha. Logo depois a voz da irmã foi substituída por choramingos de uma criança. — Pronto, pronto. Ok, Sophie. Sobre o quê eu estava falando com você?
Ela riu.
— Tenho que saber de alguma coisa.
Ah, sim — Danna sorriu, mais para fazer uma pausa dramática do que para qualquer outra coisa. — Eu e Hector marcamos nosso casamento.
Sophie teve que parar de andar para gritar com o telefone.
— SÉRIO?! — gritou, sem se importar com os olhares estranhos direcionados a ela. — Caramba, Danna, que ótimo! Parabéns!
Não aceito seus parabéns assim — Danna havia impostado sua voz e ainda era possível escutar os choramingos ao fundo. — Só vou aceitar quando você estiver aqui, sendo minha madrinha.
Sophie mordeu o lábio, voltando a andar. Não... não teria como ela ser a madrinha de Danna. Primeiramente, Sophie não tinha coragem de voltar para Nashville e encarar... certas pessoas. E agora ainda havia o problema de ela estar desempregada!
Por mais que Sophie quisesse ver Danna se casando, era... simplesmente impossível.
— Não posso, Danna — ela murmurou para o telefone. — Não tenho como.
Ah, Soph, por favor! Eu vou me casar! Eu preciso de você aqui, vamos, por favor, faça isso... — Danna começou a implorar.
Sophie suspirou.
— Não dá mesmo! — exclamou. — Danna, eu acabei de ser demitida. Não sei como vou conseguir um emprego e não tenho dinheiro para gastar com uma viagem tão longa e cara. É... impossível, não tem como.
Você foi demitida? — a voz de Danna parecia assustada. Ou empolgada. Ou os dois.
— Fui — Sophie começou a andar com um pouco mais de velocidade. — Assim que cheguei à escola, atrasada, para variar, tive uma reunião com a diretoria e eu fui demitida com outros três professores.
Ai, mas... — Danna começou a choramingar assim como sua filha. — Por favor, Sophie! Eu já até estou imaginando o seu vestido! Ok, mentira, eu não estou, nem ligo para isso, é Hayley que está. Mas... caramba, você precisa vir. Eu pago sua passagem e a do Henry, ok?
Sophie negou com a cabeça mesmo que a irmã não pudesse ver.
— Não, de jeito nenhum — disse ela. — Não vou aceitar seu dinheiro, ou empréstimo, ou qualquer coisa assim. Se fosse para eu ir, Danna, eu teria de ir por mim mesma, e Julia teria de ir junto. Além do mais, não tenho tempo para gastar em Nashville... E nem se atreva a falar com o Joe!
Sophie pôde escutar Danna bufando. Era incrível como quando qualquer um quisesse convencer Sophie a fazer alguma coisa, a primeira pessoa que procuravam era Joseph. Simplesmente por que sabiam que Sophie não conseguia dizer “não” para ele. Na realidade, ela até conseguia, mas ele não aceitava e no fim ela fazia o que ela queria.
Mas Joseph manipulava todos assim.
Mas eu queria tanto você aqui, cara. É especial pra mim. E Henry seria meu pajem, tão lindo, naquele terninho... — Danna já estava melhor em choramingar do que Anna.
— Desculpa, Danna — Sophie torceu os lábios. — Não vai dar.
Danna havia ficado chateada, é verdade. Sophie também ficaria caso se colocasse no lugar da irmã.
Mas Sophie não tinha coragem, simples assim. O dinheiro era sim uma desculpa, mas mesmo que ela pudesse, não iria. Nashville... trazia muitas lembranças. Lembranças doloridas. Sobretudo, Sophie não conseguia se imaginar encarando Kathryn ou Jeremy — tinha certeza de que estava sendo odiada por ambos.
Isso por que, evidentemente, Luke também a odiava.
Sophie não tivera muitas notícias dele desde que foi embora. A última vez que soube dele foi quando Julia, atualizando sua página no Facebook, achou o seu perfil e chamou-a para ver.
Na foto, lá estava ele, com seus vinte e dois anos, a barba impecavelmente feita e o cabelo ainda bagunçado e ridículo. Era uma foto bem normal, parecendo ter sido tirada numa festa de faculdade, seu sorriso estava estampado e feliz. Na foto de sua capa, uma guitarra. Quanto aos dados, estava morando em Nova Iorque e trabalhando por lá em uma empresa chamada Feeling of Feeling, que Julia descobrira ser uma banda, posteriormente. “Em um relacionamento enrolado”.
Sophie não quis ver o resto e deixou Julia sozinha com seu notebook e seu vício em redes sociais. Já bastava por um dia ver tudo aquilo, todo aquele Luke sem sequer um vestígio de que um dia fora dela.
Claro que Sophie esperava e, na realidade, até queria isso. Queria que Luke fosse feliz sem ela, sem sentir sua falta, e que algum dia, quem sabe, ele fosse capaz de perdoá-la por ter ido embora sem mais nem menos e, na compreensão dele, ter engravidado de um inglês qualquer que nem sequer assumiu a criança. Mas acontece que na prática... tudo é diferente. Tudo dói mais. E se não fosse por Henry, Sophie não aguentaria.
Obviamente, Sophie pensou muito antes de decidir que não iria contar de Henry para Luke. Pensou muito durante muito tempo e decidiu não o fazer. Provavelmente isso só deixaria Luke com mais raiva dela, e além do mais, envolveria Henry em uma grande briga judicial e um ambiente ruim que uma criança não deveria estar. Seu filho merecia crescer em um ambiente calmo, amoroso e feliz, e não na casa de seus avós maternos, tendo sua atenção dividida por dois pais machucados que mal conseguiam falar um com o outro sem brigar.
Por isso Sophie mentiu. Por que era o melhor para todos. Para Luke, que não ficaria sabendo subitamente que tinha um filho, e para Henry, que poderia crescer sem um pai, mas cresceria em um ambiente onde um pai não seria necessário. Já que, na realidade, ele tinha quase duas mães.
Mas Sophie sabia que isso iria acabar algum dia, e esse dia já estava próximo. Julia não falava muito sobre Nate já fazia alguns anos, mas toda vez — toda vez — que Sophie a observava sem que ela soubesse, Julia estava olhando para a tatuagem de infinito. Mesmo que a amiga já fosse uma mulher feita, toda noite passava pelo menos vinte minutos escrevendo em seu diário, com a única exceção das noites em que ela não passava em casa (nada de pseudo-namorados perto de Henry, outra regra de Sophie). E toda vez que Nate conversava com Sophie, ele perguntava “e como estão as coisas com o Henry e com a Julia?”. Como se envolver o garoto na pergunta fosse tirar sua verdadeira dúvida.
A mais pura verdade era que a “situação temporária” que ambos criaram estava pelo fim. Então seriam apenas Henry e Sophie, na grande Londres, procurando viver da melhor maneira possível. A questão era: como fazer isso sem um emprego?
A pergunta ainda martelava na cabeça de Sophie quando ela chegou à creche de Henry, bem na hora. Ele estava jogando cartinhas com dois meninos no canto da sala, quando a professora chamou-o e Henry agarrou a mochilinha o mais rápido que pôde, despedindo-se de seus amigos — James e Simon, Sophie os conhecia —, e indo em direção à sua mãe que esperava na porta com um sorriso no rosto.
Ele era mesmo o menino mais lindo do mundo, não era? Seu cabelo meio loiro, meio castanho, estava bagunçado novamente, crescido para todo lado. Caramba, Sophie batalhava para deixar o cabelo do filho certinho, mas ele parecia ter vontade própria. Certo, ainda assim, ele era lindíssimo, com seu sorriso aberto faltando dois dentinhos inferiores — Henry passara meia hora pulando e dizendo que estava rico quando viu a nota de dez libras que a “fada do dente” deixara em seu travesseiro —, e seus olhos azuis profundos que só não eram mais hipnotizantes por estarem cobertos pelos seus óculos de grau que caíram perfeitamente em seu rosto. Ele usava óculos desde que aprendera a ler, há quatro meses, quando Sophie suspeitou de que o pingo do “i” estava grande demais em suas tarefas de casa. Mas ele havia se tornado o garoto de óculos mais charmoso do mundo.
Sophie se agachou, ficando na altura do filho que correra até ela e passara os bracinhos pelo seu pescoço, apertando-a e deixando um beijo carinhoso em sua bochecha. Ela o apertou contra si, sorrindo, beijando seu rosto duas ou três vezes e chamando-o de lindo, perguntando se estava tudo bem. Henry sorriu, se afastou e assentiu veemente com a cabeça.
Outra vantagem dessa fase: as crianças não sentem vergonha das mães, mesmo que estejam sendo observadas pelo resto de seus colegas. Ser mimado é absolutamente normal e até gostoso.
Sophie segurou a mochila do filho e apertou sua mão, seguindo para fora da creche que não ficava nada longe do apartamento dela na St. Alban’s Street, que ficava perto demais do centro de Londres. Joe pagara caríssimo por aquele apartamento, Sophie sabia, e ela só não o vendia para comprar outro que era um pouco mais longe daquela loucura por que... bem, não podia.
— Como foi a aula hoje? — ela perguntou a Henry, que sorriu.
— Muito legal! — ele respondeu sorridente, andando rapidamente para acompanhar o ritmo da mãe. — O Simon vomitou.
Sophie fez uma careta.
— Coitadinho! Por quê? — ela olhou para Henry, que havia adquirido a expressão que Sophie classificava como séria. Era aquela expressão que ele usava quando parecia que iria discursar, mas na verdade só queria usar o banheiro.
— Por que... sabe aquela menina? A Kate? Aquela que usa maria-chiquinha quase sempre? Ela levou um sanduíche de creme de amendoim e o Simon vomitou quando sentiu o cheiro.
Sophie não desfez a careta do rosto.
— E isso classificou o seu dia como muito legal? — perguntou, fazendo Henry dar uma risada gostosa.
— Não, mãe! — respondeu ele como se isso fosse muito óbvio, sem parar de rir. — É que por causa disso a moça teve que limpar a sala e a gente teve dois recreios.
— Dois? — Sophie parecia interessadíssima, sorrindo para o filho. — Isso parece ótimo.
— Eu ganhei quatro vezes do James no futebol — Henry se gabou. — Eu tenho o pé mais forte de todo mundo! Fiz quatro gols!
Sophie gargalhou, escutando a voz que Henry fazia quando queria imitar um desenho animado, se gabar por alguma coisa ou dizer “eu sou o garoto mais forte do mundo!” quando brincava com Julia. Seu celular tocou novamente. Danna.
— Alô — Sophie murmurou, andando mais devagar e segurando o pulso do filho com mais força.
— Quem é? — Henry perguntou, o sorriso estampado no rosto, superinteressado. Ele ajustou os óculos no rosto e seu dedo acabou sujando a lente.
— É a Danna — Sophie disse para ele.
Ei, Sophie, quem está aí? — Danna perguntou do outro lado da linha.
— O Henry, acabei de pegá-lo na creche — Sophie respondeu. — Tudo bem? — ela perguntou para Danna de imediato, estranhando a ligação, uma vez que Danna acabara de desligar o telefone.
Sim, eu tenho uma proposta para você. A resolução de todos os seus problemas. — Danna estava dizendo impostando sua voz novamente. Sophie escutou alguém dizer algo ao fundo. — Ah, sim. E tudo isso é culpa de Hector.
Sophie sorriu, chegando a um ponto em que ela e Henry teriam de atravessar uma rua. Ela entregou o celular ao filho, que o colocou na orelha, e pegou Henry no colo, pronta para atravessar.
— Oi, tia Danna — Henry começara a conversar enquanto Sophie ria. — Tudo bem com você? Tudo bem com a Anna? Tudo bem com o tio Hector? Tudo bem com a vovó? Tudo bem com o tio Joe? Tudo bem com... Mamãe está atravessando a rua... Ela me deu o celular... Eu tô bem, hoje o Simon vomitou.
Sophie gargalhou e colocou Henry no chão, retirando o celular das mãos do filho e passando a andar até o prédio que já estava visível para ambos.
— Pronto — ela disse para o telefone.
Um dia eu entendo a vontade dele de saber do bem-estar de todo mundo. E quem é Simon? — a voz de Danna estava confusa e Sophie gargalhou outra vez. — Enfim, não importa. A questão é que eu acabei... tudo bem, o Hector acabou de resolver todos os seus problemas.
— Hum — Sophie murmurou. — Criaram um chocolate que não acaba? Fizeram o Henry aprender a se limpar sozinho?
Sophie não viu, mas soube que Danna havia revirado os olhos.
Não. Te arranjamos um emprego. — Ela disse quase como se não ligasse e Sophie franziu o cenho. — Depois que falei com você, eu falei com a Julia, que fez o seu currículo num instante e me mandou por email.  Então o Hector falou com um amigo dele que abriu uma loja de música aqui em Nashville há menos de um ano, e a escola está sendo muito frequentada, sabe, fizeram até festa de inauguração, e é um prédio enorme bem no centro. Eles precisam de uma professora de piano e, sabendo que você foi formada pela Laurent Louis, a vaga já é sua. Só precisam da sua carteira de trabalho para assinar. Você começa a trabalhar na segunda.
Sophie engasgou com a própria saliva. O quê?!
— O quê?! — ela transformou seus pensamentos em um grito esganiçado, achando tudo aquilo estranho e surreal demais. — O que você acabou de dizer?
Você não está mais desempregada, pois te arranjamos um emprego em Nashville, o que é incrível, por que além de você ficar perto da sua família, vai ser minha madrinha de casamento — Danna repetiu tudo como se não fosse nada demais. — E Julia também será uma madrinha, já que ela disse que vai vir reabrir o site dela em Nashville.
Sophie quase ficou tonta, entrando no prédio apenas por que Henry a guiava. Quando eles atravessaram as portas, Henry soltou sua mão e correu até o elevador, cumprimentando o porteiro e todas as pessoas que trabalhavam ali com um sorriso estampado no rosto.
— Danna, isso é uma brincadeira, não é? — disse ela, voltando ao planeta Terra e quase correndo para alcançar o elevador em que Henry já entrara. Agora seu filho conversava com Thomas, o rapaz que apertava os botões, provavelmente contando sobre seus dois recreios e o eventual vômito de Simon.
Não — Soph ouviu a voz da irmã. — Não é, Sophie. Eu estou falando sério. Você sabe que aí na Europa vai ser difícil você arranjar um emprego, e aqui... bem, aqui está a sua família.
Sophie bagunçou a franja, tão absorta em seus pensamentos que nem sentiu o frio na barriga que sempre sentia quando estava sendo erguida por um elevador.
— Danna... eu... não tenho como voltar para os Estados Unidos... — ela começou a dizer, mas estava tão pasma que só conseguia repetir o que sempre dissera a si mesma e aos outros. Não era capaz de formular argumento algum, neste momento.
— Nós vamos para os Estados Unidos?! — o grito de Henry se sobressaiu à história que ele contava para Thomas. — Mamãe, nós vamos para os Estados Unidos?!
Sophie hesitou.
— Não, amor, não vamos — ela respondeu para ele. — Danna... você sabe por quê. Eu realmente gostaria de estar aí para o seu casamento, mas pense... o quão horrível isso seria.
Sophie, por favor! Horrível?! — Danna aumentou o tom de voz. Devia estar gritando com o telefone uma hora dessas. — Caramba, a gente sente a sua falta aqui, e não falo só por mim. Josh ganhou mais cabelos brancos desde que você foi embora, e eu só não digo o mesmo da sua mãe, por que... bem, você sabe, toda aquela tinta. Mas pensa só no Joe, que sempre foi dependente de você. O próprio Nate. Ou os seus amigos! Sabia que aquele garoto grande e esquisito já se casou com a Marie?
Sophie não pôde deixar de sorrir pensando em Dan.
E... tudo bem, ela também sentia saudade. Sentia muita saudade. Perdeu a conta de quantas vezes, enquanto cuidava de Henry, ela não desejou que sua mãe estivesse ali, principalmente quando ele contraiu pneumonia e quando era um recém-nascido. Perdeu a conta de quantas vezes assistiu filmes como Querido John apenas para se lembrar de Nate — ele sempre condenara a protagonista por não esperar John voltar da guerra. Ficara com raiva da Amanda Seyfried por causa desse filme. — Sonhava quase toda noite com os momentos bons e ruins que tivera com os irmãos, e sonhava reencontrá-los, de vez em quando. Queria ter estado em casa quando Joe escreveu seus outros dois best-sellers que Sophie teve de comprar numa livraria. Gostaria imensamente de conhecer a sobrinha, filha de Danna, que segundo ela era uma garotinha sapeca, elétrica e que gostava de conversar.
Mas Sophie não poderia voltar. Não poderia por que voltar incluía aguentar todos os olhares acusatórios, todos os interrogatórios, todas as sentenças e decepções. Se voltasse, quantas vezes Henry não seria perguntado sobre o seu pai por más línguas? Ele teria de recomeçar, mesmo que fosse muito novo, e talvez não se adaptasse. E ainda havia a suspeita de Luke estar lá. O que ele faria se a visse novamente?
Sophie não aguentava pensar em todo o mal que tinha feito para ele. Não aguentava e não queria pensar sobre isso. Encará-lo... faria com que ela visse tudo. Sophie sabia que olharia dentro de seus olhos azuis e veria toda a dor, toda a mágoa e todo o ódio, lá, guardados, sombreando seu olhar tão puro. Ela não... não queria voltar a vê-lo, pois isso incluía toda a culpa que sentia.
Voltar para Nashville era inviável de todas as maneiras. Ao mesmo tempo que Sophie queria — e como queria — estar perto de sua família, ela não queria de forma alguma estar perto das pessoas que a queriam mal, e pior, queriam mal ao seu filho.
— Eu morro de saudades também, Danna. Você não tem ideia do quanto. — Sophie suspirou e o elevador abriu as portas. Henry segurou a mão dela e se despediu de Thomas. — Mas... é difícil. Londres é onde eu devo estar se... não quiser colocar minha vida e a vida do meu filho de cabeça para baixo.
Acontece que às vezes, Soph, nós precisamos virar nossa vida de cabeça para baixo — a entonação de sua voz havia ficado mais suave. — Se a minha vida não tivesse virado de cabeça para baixo, eu não estaria aqui agora. Provavelmente não estaria nem viva. Tudo de bom que eu tenho hoje eu devo a essa reviravolta. Incluindo você.
Sophie suspirou, mordendo o lábio inferior. Danna... tinha razão. Neste ponto, Danna tinha toda razão.
Toda reviravolta que houvera na vida de Sophie trouxera algo de bom para ela, sempre. Por exemplo, quando seus pais se separaram. Foi uma época horrível, mas as coisas boas que aconteceram em seguida foram inegavelmente incríveis. E quando ficou grávida... bom, ela poderia ter se separado do amor de sua vida. Mas ganhara o maior presente que Deus poderia lhe dar.
Henry era sua vida. Sophie não amava nada da maneira que o amava.
— Eu... vou pensar sobre isso, ok? Te ligo depois — disse ela, retirando a chave do apartamento de dentro da bolsa e desligou o telefone. Respirou fundo, procurando a chave certa para destrancar a porta, quando Henry rodou a maçaneta e a abriu.
— Tá aberta! — ele gritou e Sophie olhou em seu relógio. 15h20min. Como a porta estaria aberta se Sophie se lembrava claramente de trancá-la?
— Onde está o meu príncipe?! — ela soltou o ar de seus pulmões em puro alívio quando escutou a voz de Julia. Henry gritou e adentrou a casa correndo. Sophie fechou a porta atrás de si enquanto via o filho pular nos braços da melhor amiga, gargalhando pelas cócegas que ela agora despejava sobre ele.
Sophie mordeu o lábio. Não conseguia ver a si mesma sem Julia... mesmo que soubesse que a amiga teria de ir para Nashville, e iria. A questão era que elas duas haviam superado todas as dificuldades, juntas, e Henry provavelmente só não sentia falta de um pai por causa dela. Afinal, era Julia quem assistia desenhos animados que envolviam carros — Sophie os achava insuportavelmente chatos — com ele, era Julia quem assistia a beisebol e futebol com ele, todas as noites de domingo, comendo salgadinhos que posteriormente iriam entupir suas artérias. Julia quem o mimava com presentinhos. Julia quem o aconselhava em relação a garotas — Henry havia ganhado um beijo na bochecha de uma coleguinha enquanto brincava com massa de modelar duas semanas atrás e conversara quase duas horas sobre isso com quem? Não com sua mãe, mas sim, com Julia.
Julia era especial para Henry, e... vê-la indo embora deixaria um vazio em sua vida. Um vazio muito grande.  E seu filho era muito pequeno para já sentir as dores que a vida impõe. Dores como a saudade.
De qualquer maneira, com o que for que acontecesse, a vida dos dois levaria uma reviravolta. Se Julia fosse embora — e Sophie continuasse desempregada —, tudo mudaria. Se eles fossem embora com Julia, tudo mudaria também, mas a diferença é que eles teriam Julia e o resto da família.
Mas também teriam os inimigos.
Droga, Sophie estava confusa. Queria e não queria voltar, por motivos diferentes e mais confusos ainda. Estava com medo, estava nervosa, estava... simplesmente confusa.
— Adivinha quem comprou cookies? — Julia gritou, segurando Henry no colo.
— Cookies! — ele gritou de volta, sorrindo, quando ela o colocou no chão.
— Estão na mesa. Não coma tudo! Sua mãe ainda vai te fazer comer todas aquelas frutas essa tarde — ela não tinha certeza de que Henry escutara tudo o que ela dissera, uma vez que o garoto saíra correndo como um furação para a cozinha. Sorrindo, Julia se virou para Sophie.
— Esse Lucas é uma graça — disse, pegando seu laptop que estava na estante de livros e se jogando no sofá em seguida. — Qual companhia aérea você prefere? Ih, já era, comprei pela Air France.
Sophie encarou Julia com os olhos arregalados.
— Eu...
— Tem que fazer suas malas — Julia a interrompeu, apontando o dedo para a amiga. — Só não sei como vamos fazer para carregar esse piano. Sério, Sophie, por que você não toca um instrumento mais difícil de locomoção, hein?
— Julia, eu ainda...
— Não fez o passaporte do Lucas. Vamos ter que providenciar isso hoje — Julia assentiu veemente com a cabeça, digitando loucamente em seu notebook.
— Mas Julia, você...
— Vou montar um escritório em Nashville, já tenho até meus contatos de quem trabalhará comigo — ela interrompeu novamente e Sophie revirou os olhos.
— Julia, eu... cala a boca! — ela apontou o dedo para a amiga, que começou a rir. — Eu ainda não sei se vou. Não sei se eu, ou Henry, estamos prontos. Eu... não sei.
— Nesse caso, eu sei por vocês dois — Julia sorriu, conversando como se estivesse fazendo uma propaganda de sabonete. — Não quero me separar de vocês dois, Soph. Mas eu quero, mais do que tudo, ir embora daqui para onde é realmente o meu lugar. E você sabe que é o seu também.
Sophie se sentou no sofá.
— Eu... tenho medo, Julia. Eu fui embora de lá por sentir medo, e não quero voltar para enfrentar tudo aquilo que não enfrentei seis anos atrás — confessou Sophie. Julia fechou o laptop e encarou a amiga com seus grandes olhos verdes e, por hora, compreensivos.
— Não há como construir um futuro sem enfrentar o passado, Sophie — ela torceu os lábios. — Acho que quem disse isso foi Aristóteles.
Sophie riu.
— Eu acho que você acabou de inventar isso.
— Pode ser, ambos somos pensadores incríveis — ela deu de ombros, fazendo a amiga rir novamente. — A questão é que você precisa ir. Precisa... enfrentar tudo e todo mundo, de cabeça erguida, por você e pelo seu filho. Por que querendo ou não, um dia ele vai perguntar por que você nunca vai para lá e vai questionar melhor o paradeiro do pai dele.
Sophie só foi capaz de assentir com a cabeça. Julia tinha razão. Filha de uma mãe, ela sempre tinha razão. Ou talvez fosse apenas sua sagacidade jornalística.
— Mas... e se não der certo, Juzy? — ela levantou os olhos para encarar o rosto risonho da amiga, que segurou sua mão.
— Você ainda vai ter a sua melhor amiga pra te apoiar.



[...]



Três dólares por uma caixa de suco de morango. Três dólares. Aquilo era um assalto, caramba! Por que tudo em aeroporto tinha que ter o triplo do preço normal?
A pequenina Anna Elizabeth pouco estava ligando para o valor de seu suco favorito, entretanto. Tudo estava bom demais. O suco estava na temperatura certa, ela vestira seu vestido mais bonito, e Luna, sua boneca de pano preferida, estava com ela. Além do mais, sua mamãe havia dito que ela iria conhecer sua tia e seu priminho daqui a pouco.
— Quando eles vão chegar, mamãe? — perguntou a menina, quando retirou o canudinho do suco da boca. Estava sentada no colo da mãe, balançando suas perninhas curtas.
Danna sorriu.
— Daqui a pouco — respondeu ela, segurando Anna com um braço e passando os olhos pelo portão de desembarque de onde Sophie e Henry deveriam sair. A ansiedade corria pelas suas veias, oras, estava morrendo de saudades da irmã e do sobrinho!
Danna ainda não acreditava que eles estavam realmente voltando para Nashville. Não sabia o que Julia dissera para Sophie, mas seja lá o que for, funcionara muito bem. Danna estava pensando em fazer uma faculdade de jornalismo para saber manipular as pessoas bem daquela forma. Sorriu com o pensamento bobo.
Julia fora mesmo excepcional. Danna gostaria de abraçá-la só para agradecer, mesmo que a conhecesse muito pouco. Só a vira pessoalmente uma vez, quando fora à Londres, e desde então as duas só conversavam vez ou outra pelo telefone. Mas Danna gostava dela. Afinal, uma pessoa que se tornara a melhor amiga de sua irmã e o amor da vida de seu irmão não poderia ser nada menos que incrível.
Claro que tanto Julia quanto Danna haviam omitido algumas coisas para Sophie quando argumentaram para trazê-la à Nashville. Bem, omitir não é mentir.
O portão se abriu e Danna ficou atenta para ver a irmã. Levantou-se do banco, segurando a filha no colo, vendo a loucura de pessoas procurarem por suas malas na esteira que começara a rolar. Danna começou a se aproximar e a viu. Um ponto vermelho estridente no meio de uma multidão, que segurava a mão de um garotinho de cabelo loiro espetado para cima.
— Ali, Anna. Olha a tia e o primo ali — Danna apontou, fazendo sua filha sorrir. Sophie achou Danna com os olhos e sorriu instantaneamente, pegando a mão de Henry e indo em direção à irmã. Sem parar de sorrir, ela alcançou e abraçou Danna apenas com uma parte do corpo, pois a outra mão ainda apertava a de Henry, e havia uma criança entre as duas.
— Meu Deus, que saudade — Sophie sussurrou, separando-se da irmã. Danna sorriu. — E quem é essa linda? — ela afinou a voz, olhando para a pequena Anna.
— Anna — ela respondeu, concentrada em tomar seu suco.
— E ela? — Sophie apontou para a boneca de olhos azuis e cabelo loiro que estava em seus braços. Anna retirou o suco da boca e sorriu.
— É a Luna — respondeu ela, sorridente. — Ela é linda, né? Lá em casa eu tenho a Luna e tenho o Neville que o papai me deu. Ele tem o dentinho torto igual o Neville. Você sabe quem é Neville?
Sophie sorriu e pegou Henry no colo. Danna havia dito algo sobre Anna gostar de conversar.
— Hum... não, não sei. — Confessou ela.
— Harry Potter, mamãe! — Henry se manifestou, sorrindo para a prima. — A tia Julia comprou todos os DVDs. A Luna é a menina loirinha.
Anna sorriu.
— Você parece com o Draco! E fala igual ele também. — Exclamou, apontando para Henry. — Só que o Draco é mau! Você é mau?
Henry negou com a cabeça.
— Eu não sou o Draco, eu sou do bem! — e lá estava ele usando sua voz séria novamente. Sophie sorriu, indo em direção à esteira e pegando as duas malas que havia trazido. A mudança ainda iria chegar, quando Julia viesse, na quinta-feira. Ainda era domingo.
— Que legal — disse Danna. — Anna achou alguém para conversar sobre Harry Potter o dia todo. Acredita que ela vê um desses filmes pelo menos uma vez por dia?
Sophie riu, arrastando uma das malas, e Danna segurou outra.
— Henry gosta de todo tipo de filme e desenho animado. Eu tive que trazer todos os DVDs dele, e acredite, é muita coisa. — Ela sorriu. — Onde está Hector?
— Trabalhando. Vai da loja direto para a casa de Josh — Danna respondeu com um sorriso no rosto. — Nate está fazendo um churrasco.
Sophie gargalhou.
— E desde quando Nate sabe fazer churrasco?
— Ele não sabe — Danna riu. — Sinto medo de chegar naquela casa e encontrá-la incendiada.
Sophie fez que não com a cabeça, seguindo Danna pelo aeroporto. Tudo bem, ela não podia negar que estava eufórica demais. Estava absolutamente alegre. Ela iria a um churrasco na casa dos Farro! Nate estava lá! Joe, Danna, Hector, seus pais! Meu Deus, por quanto tempo Sophie não quis isso?
Agora ela notava o quão morta de saudades estava. Uma nova parte dela se acendia conforme ela ia saindo daquele aeroporto, ciente de que estava em Nashville outra vez, depois de seis anos. Seis anos que passaram tão rápido. E estava feliz. Feliz por estar em casa, escutando aquele monte de sotaques sulistas ao invés dos sotaques ingleses de seus conterrâneos britânicos.
As duas mulheres adultas e as duas crianças seguiram para o carro de Danna assim que saíram do aeroporto. Danna havia colocado até mesmo duas cadeirinhas no banco traseiro do carro, uma para Anna e uma para Henry, que na realidade detestou o utensílio. Segundo ele, incomodava muito e apertava.
Pelo menos Henry foi conversando com Anna do aeroporto até a casa de Josh e Hayley. Ambos pareciam ter se dado absolutamente bem, não paravam de falar um segundo sequer, e Anna até mesmo ofereceu seu suco para o primo e novo amigo. Sophie adorou o fato de eles terem feito amizade tão rapidamente.
Se bem que Henry sempre fora muito sociável. Anna não parecia ser diferente.
E Sophie também foi conversando com Danna durante todo o trajeto, mas sem conseguir olhar para a irmã. Seus olhos estavam grudados na Nashville lá fora. Seus monumentos, os prédios, os conjuntos residenciais e condomínios, o Rio Cumberland. Passaram em frente à antiga escola de Sophie, enchendo-a de todas as lembranças possíveis. Sua cabeça já estava começando a doer quando o carro de Danna virou na sua antiga rua e passou em frente à casa dos pais de Luke.
O coração de Sophie acelerou com a lembrança de todos os momentos que passara naquela casa. Todos os ensaios da Paramore na garagem, ou das tantas vezes que ficou com Luke em seu quarto, conversando, estudando, tocando, ou mesmo fazendo amor.
Ela respirou fundo enquanto o carro de Danna estacionava na frente da casa de Hayley. Seja forte. Você sabia que seria assim.
— Chegamos? — Henry perguntou com a voz eufórica demais. Sophie sorriu, escutando a voz do filho, lembrando-se mais uma vez de que tudo valera a pena.
— Chegamos, garotão! — foi Danna quem respondeu. — Já vou te tirar dessa cadeirinha. Você é grande demais para um garoto de quatro anos! — a ultima frase dela foi dita com um olhar malicioso para Sophie. Ah, legal, Danna. Isso, melhore as coisas, me condene mais.
Sophie saiu do carro sem se importar de pegar suas malas. Retirou o filho da cadeirinha e ele pulou para fora do carro, sorrindo avidamente.
— Aqui faz tanto sol! Eu estou suado — disse ele, passando a mão pela testa. Sophie sorriu e pegou-o no colo, dando um beijo em sua bochecha e limpando seu rosto com uma das mãos.
— Você prefere o frio? — perguntou ela, sorrindo.
— Não — Henry sorriu. — Sol é legal. Vou ficar moreninho igual a tia Juzy.
Sophie gargalhou, dando mais uns beijos na bochecha do filho. Danna também pegara sua filha no colo e já abrira a porta que dava para a sala de estar dos Farro. Sophie sentiu seu estômago revirar de ansiedade e seguiu com seu filho até lá.
A primeira pessoa que viu fora Joe, quase irreconhecível, com os cabelos maiores do que nunca e os olhos grandes e vivos. Havia esticado, estava muito maior do que ela. Assim que a olhou, ele abriu seu sorriso, largando o que quer que estava em sua mão e gritando seu nome.
Sophie colocou Henry no chão e abraçou o irmão o mais forte que pôde.
Caramba, aquele não podia ser seu pequeno Joseph. Aquele homem não podia ser seu irmãozinho que dormira em sua cama quando tinha pesadelos. Aquele rapaz não podia ser o garotinho que ligava para Sophie todo dia quando ela estava na Inglaterra, da primeira vez.
— Senti tanto a sua falta, Soph — ele disse, sua voz rouca e arrastada, sua mão apertando a cintura da irmã que agora era tão menor que ele.
— Você não sabe o quanto eu senti a sua também — ela sorriu, apertando o ombro de Joe. — O que aconteceu? Da última vez que te vi, eu era maior que você.
Joe sorriu, afastando-se da irmã e segurando a ponta de suas mãos.
— Os tempos mudam, linda — e piscou um dos olhos. Sophie gargalhou, assistindo seu irmão, tão crescido e tão... seguro de si. Sophie sabia que Joe já assumira sua sexualidade para a família — e para o resto do mundo, uma vez que agora ele era famoso —, mas ainda assim era tão engraçado vê-lo tão diferente.
Sophie havia perdido tanto de seu crescimento.
A próxima que viu foi Hayley, seu cabelo ainda malucamente vermelho, seus olhos verdes sempre vivos, agora brilhantes por ver a filha que não via há tanto tempo.
Sophie se jogou nos braços da mãe enquanto escutava Joe falando com Henry. Segurou-se para não deixar as lágrimas cair enquanto apertava-a o mais forte que podia, tentando aplacar toda a saudade que sentira daquela mulher. Todas as vezes que ela quis, da forma mais intensa, a presença da mãe. Agora que Sophie também tinha um filho, o que ela sentia pela mãe havia se transformado de um amor para uma espécie de compreensão. Hayley sempre fora tão forte. Sophie a admirava tanto.
Ela se afastou da mãe e riu gostosamente, limpando o canto dos olhos da mulher que lhe dera a vida.
— Como está a Sra. Williams-Farro, hein? — perguntou, fazendo Hayley rir.
— Vovó! — Henry, que agora estava no colo de Joe, abriu os braços para ir falar com Hayley. Caramba, ela ia acabar chorando assim, Sophie sabia.
Ela ainda nem havia saído da porta e já estava indo abraçar a terceira pessoa. Sophie jogou os braços para cima e abraçou Josh, enquanto ele apertava sua cintura e retirava seus pés do chão, fazendo-a gritar. Sophie riu. Josh estava tão diferente e tão igual ao mesmo tempo. Seu cabelo havia ganhado alguns fios brancos, mas isso só o deixara mais bonito, grisalho. Seu trabalho militar não conseguia fazer com que ele ficasse menos forte, era incrível.
— Como vai minha filhinha? — ele perguntou, após soltar Sophie, colocando uma mecha de seu cabelo em sua orelha.
— Vou bem, pai — ela sorriu. — Você está grisalho!
Josh sorriu.
— Verdade, acho que vou pegar uma daquelas tintas toxicas da Hayley e passar no cabelo — ele mexeu nos fios, fazendo Sophie rir. Henry estava sendo mimado por Hayley agora.
— É impressão minha — Sophie escutou uma voz masculina ecoar e virou o rosto —, ou isso aí são rugas na sua cara?
Ela gargalhou, correndo até Nate, que esperava no canto da sala. Ele segurou sua cintura e a levantou do chão da mesma forma que Josh fez, rodando-a no ar. Sophie sorriu e pediu para ele soltá-la.
Nate estava tão grande. Tinha mais ou menos o triplo de massa muscular do que tinha da última vez que ela o vira — tudo bem, da última vez que Sophie o vira ele tinha quinze anos. Mas... ainda assim! Ele estava tão grande! E por algum motivo, estava vestido com a farda de soldado americano que era.
Sophie sentira saudades dele. Muitas saudades.
— Então quer dizer que já temos outro soldado na família? — Sophie perguntou, separando-se dele e fazendo uma continência.
— Na verdade, cadete — disse ele, quase se gabando. Sophie riu. — Acabei de voltar do quartel, na realidade. Por isso o uniforme. Pai, eu vou me trocar, não deixe a carne queimar!
— Tradução: não deixe outra peça de carne queimar — Joe resmungou, fazendo Sophie rir.
Josh sorriu e saiu em direção à área dos fundos. Segundo a fumaça que ardia os olhos de todos naquela casa, provavelmente era ali que estavam queimando carne bovina. Sophie se aproximou de Henry, que conversava com Hayley, Danna e Joe, contando alguma coisa. Anna estava ao seu lado e assentia a todo e qualquer argumento que o garoto dava.
— Aí o juiz apitou, e quem foi marcar a falta foi o John Tarry, e ele chutou e... gol! Bem no meio da rede! Aí eu e a tia Julia começamos a gritar e o Chelsea ganhou. Foi muito massa. — Ele assentiu com a cabeça, dando consistência ao seu argumento.
— Julia sempre foi meio maluca — Joe concordou, mordendo o lábio.
— Acho que ele conseguiria manter uma conversa animada com o Hector — Danna suspirou, encarando o sobrinho.
— A tia Julia é muito legal — Henry disse. — Ela sempre assiste beisebol e futebol comigo, por que a mamãe acha chato.
Sophie revirou os olhos e pegou o filho no colo, beijando o seu rosto.
— Mas é chato! — disse ela, choramingando, fazendo Hayley concordar plenamente. — Amor, são apenas homens correndo atrás de uma bola. Ou no caso do beisebol, correndo, arremessando, agarrando e rebatendo uma bola.
— Mas mamãe! — Henry estava usando o seu tom argumentativo. Sophie sorriu. — É por que você é menina. Meninas não gostam de esportes.
— Mentira — Sophie disse, afinando a voz para usar do tom argumentativo também. — Julia é uma menina e gosta, não é?
Henry pareceu pensativo.
— Mas a tia Julia é uma menina diferente — argumentou Henry novamente.
— Eu concordo. — Sophie virou o rosto para de onde a voz tinha vindo e encontrou Nate, vestido casualmente, com um sorriso no rosto. Desceu as escadas rapidamente, indo em direção a ela. — Concordo plenamente, sobrinho.
Henry olhou para Nate desconfiado, sem conhecê-lo direito.
— Você conhece minha tia Julia?
Nate sorriu.
— Se conheço — disse, dando ombros. — Estavam falando de futebol? Assisti o jogo Chelsea e Liverpool da semana passada. Tarry é um babaca, mas fez um gol bonito.
Após essa frase, Henry e Nate entraram em uma discussão detalhada sobre futebol que durou mais ou menos meia hora. O garoto parecia conhecer tanto sobre futebol quanto Nate, por pura instrução de Julia, que tomara gosto por toda espécie de esporte depois que teve de escrever um artigo esportivo para a faculdade.
E, por incrível que pareça, a carne não foi queimada. Isso por que Hector chegou poucos minutos depois e tomou conta do churrasco, transformando-o em algo que magicamente dera certo.
Sophie estava muito feliz. Henry fizera amizade com todo mundo, e tanto seus pais quanto seus irmãos pareciam encantados com ele. Pela primeira vez, em muito tempo, ela se sentia... em casa. Se sentia como se estivesse onde precisava estar. E nada a deixava mais feliz do que perceber que seu filho tinha a mesma sensação, enquanto brincava com sua nova família.
Após o almoço, Anna quis assistir Harry Potter e a Ordem da Fênix pela décima vez na semana, segundo Danna. Felizmente, o filme estava entre os DVDs de Henry e as duas crianças foram assistir o filme na sala de estar, acompanhados de Hector e Danna. Josh e Hayley arrumaram a cozinha e Sophie perdeu Nate de vista, quando Joe a chamou para seu quarto.
— Quero te mostrar uma coisa — ele dissera, segurando a mão da irmã e carregando-a até o seu quarto.
Meu Deus, Sophie não sabia que era possível caber tantos livros em duas estantes. O quarto de Joe estava impecavelmente arrumado e cheio de livros, com o mesmo papel de parede que ele tinha quando ela foi embora, com a única diferença de que agora algumas molduras estavam coladas. Os artigos da New York Times, por exemplo, e as capas de seus quatro livros publicados.
Joe sentou-se a mesinha e abriu o laptop. Indicou uma cadeira para Sophie se sentar também.
— Esse é o meu novo livro, que será lançado daqui a poucos meses — ele disse, abrindo o arquivo. — Quando eu soube da história, precisei escrevê-la. Quero que você mesma veja.
Sophie apertou os olhos, lendo o nome que estava destacado na primeira página do arquivo.


Odeio Amar Você
Joseph Farro

Tessa Nichole Collins é uma garota que já passou por muitas coisas, boas e ruins, em seus dezessete anos de vida. Considerada rebelde pela sociedade californiana, à qual estava inserida, Tess muda-se de volta para Franklin – TN com sua mãe após ela se divorciar de seu padrasto. A garota de cabelos vermelhos estridentes realmente esperava e acreditava que sua vida iria se normalizar como tinha de ser, mas seu destino foi atrapalhado por um indivíduo: Damon Basso. Quando criança, era o melhor amigo de Tess, mas hoje, para ela, era apenas um badboy idiota.

Damon James Basso vivera todos os seus dezoito anos de idade na cidadezinha de Franklin, Tenesseee. Considerado popular na escola e com as garotas, considerava-se feliz. Tinha um bom relacionamento com seus irmãos e namorava a garota mais bonita do colégio. Tudo estava perfeito até que uma garota resolveu reaparecer em sua vida: Tessa Collins. Sua melhor amiga quando criança, Tess era realmente uma gracinha. Mas agora, não passava de uma roqueira metida a rebelde que insistia em atrapalhar a sua vida.

Damon e Tessa não tinham ideia do que o destino reservava para ambos. Na realidade, eles se amavam... e odiavam a si mesmos por isso.



Sophie levou a mão à boca. Ela reconheceria aquela história em qualquer lugar. Encarou Joe, que esperava ela terminar de ler com um sorriso sapeca no rosto, parecendo achar tudo aquilo imensamente engraçado.
— Você... — Sophie tentou formular a frase, mas os nomes ainda estavam martelando em sua cabeça. Tessa Nichole Collins. — Você escreveu a história dos nossos pais?
Joe gargalhou.
— Sim — disse, tranquilamente. — Soube da história a meio do ano passado. Quer dizer, como assim meus pais tinham uma super-história de amor e eu não sabia disso?
Sophie riu.
— Eu pensei exatamente a mesma coisa quando soube — declarou, bagunçando a franja e respirando fundo. — Meu Deus, Joe! Eu... estou sem palavras, sério. Meu Deus.
Joseph riu novamente.
— Essa foi o livro que eu mais gostei de escrever e está todo mundo curioso por que eu só disse que seria baseado em uma história real, e que minha escrita iria mudar um bocado — ele juntou as mãos. — É a segunda vez que me empenho em um romance de verdade. Desses de fazer as mulheres lerem em uma noite.
— Nossa, Joe — Sophie não conseguia normalizar seu estado de espírito. — Isso é perfeito. O que a mãe e o pai disseram?
— Ah, mamãe ficou emocionada, e tal — ele deu ombros. — O pai disse que Damon é um nome que provavelmente seria discriminado no quartel, mas não ligo pra ele. Os dois estão felizes. Todo mundo está.
Sophie sorriu, os olhos grudados no laptop novamente.
— Eu posso pegar um manuscrito para mim? Eu realmente gostaria de ler antes da publicação — disse ela, em tom de súplica para o irmão. — Como presente de boas vindas?
Joseph apertou os olhos e moldou os lábios em um sorriso descontraído.
— Como se eu conseguisse dizer não para você — ele deu ombros.

Enquanto Joe foi imprimir o arquivo para Sophie, ela foi dar uma olhada em Henry. Seus olhos azuis estavam atentos por baixo dos óculos enquanto os efeitos especiais ecoavam do televisor. Estava deitado no tapete junto à Anna enquanto Hector e Danna estavam sentados no sofá, parecendo não prestar muita atenção no filme. Sophie perguntou se Henry estava bem e ele apenas fez que sim com a cabeça, atônito demais no filme.
Sem nada para fazer, ela se dirigiu à porta da casa de Hayley, no intuito de se sentar na escadinha para pensar, como tantas vezes fizera quando era adolescente.
Mas dessa vez Nate também estava lá.
Ele deu espaço para Sophie se sentar, sem nada dizer, e os dois começaram a observar o movimento fraco da rua naquela tarde de outono. O olhar de Nate estava distante e Sophie olhou de soslaio para o seu braço. Lá estava ela, a tatuagem de Julia. A tatuagem do infinito.
Sophie suspirou.
— Como está você, Nate? — perguntou sinceramente, olhando para suas próprias mãos. Seu irmão estava tão diferente, claro, também pudera. Mas a pergunta que Sophie fazia era direcionada a apenas um ponto. Ponto esse que ela tinha certeza que Nate entendera.
— Você sabe — disse ele, suspirando também —, vivendo na medida do possível.
Ela assentiu com a cabeça, mergulhando num silêncio de alguns segundos que não chegou a ser desconfortável, mas quase reconfortante. Como um complemento para a frase do irmão.
— Você ainda a ama, não é? — ela perguntou, puxando seu braço e fazendo-o encarar a tatuagem. Não tinha certeza, mas Sophie achava que vira uma ponta de sorriso no canto de seus lábios.
— Já faz muito tempo, Sophie — disse ele, apenas, sem brechas para continuar. Sophie entendeu e assentiu novamente com a cabeça, sem soltar a mão do irmão. Recostou sua cabeça no ombro dele, novamente mergulhada no silêncio, compartilhando a dor que ele sentia com a dor que ela sentia também. Um silêncio que era mais revelador do que mil palavras. — Henry é filho do Luke, não é?
Sophie sentiu seu sangue congelar dentro das veias e seu estômago revirar. Sua visão sumiu por um ou dois segundos e ela perdeu a força nas pernas. Sua voz não saía. Ela... ficou paralisada. Simplesmente paralisada.
— Não precisa responder — Nate continuou. — Eu sei que sim. Tudo faz sentido agora. Você ter ido para Londres e deixado Luke aqui sem mais nem menos, e ter aparecido um ano depois com um moleque de seis meses nos braços, filho de alguém que você mal conhecia — ele fez uma pausa, deixando Sophie sozinha com seus medos e culpas. — Bem que eu estranhei, nem acreditei, para dizer a verdade. Mas... vendo esse menino hoje... ele é a cara do Luke, Soph. Você não foi embora por que quis. Foi embora por que... precisou esconder o menino. Então a Julia te ajudou. — Sophie abaixou a cabeça, respirando fundo. Droga. — Eu só não entendo... por que você não ficou? Por que você não ficou e cuidou do Henry aqui?
Ela mordeu o lábio inferior.
— Eu não o queria — respondeu sentindo uma pontada no coração. — Eu iria dá-lo para a adoção. Para um casal de pais incríveis que cuidariam dele melhor do que eu.
Nate encarou a irmã.
— E por que não fez isso?
Sophie limpou a lágrima que desceu pela sua bochecha, levantando os olhos para encarar os de Nate.
— Por que eu me apaixonei por ele — ela mordeu o lábio inferior, encarando o irmão com tristeza.
Nate assentiu com a cabeça e voltou sua atenção para o movimento da rua.
Sophie respirou fundo, tentando normalizar seu estado de espírito.
— Por favor, Nate — ela começou —, não conta para ninguém. Eu decidi deixar Henry fora de toda essa complicação. Por favor. Ninguém pode saber disso.
Nate deu um meio sorriso.
— Eu não vou contar nada, Sophie — disse, segurando a mão da irmã e apertando. — Por que eu sei que um dia... você mesma vai.
Ele levou a mão da irmã até os lábios e a beijou, levantando-se e adentrando a casa. Deixou uma Sophie confusa, com todas as emoções que existiam transbordando de dentro do seu ser. Como Nate descobrira?
Caramba, não era para ninguém saber. Isso apenas complicaria a vida de todos, incluindo Henry e o próprio Luke. Eles não mereciam isso. A melhor saída era que tudo se normalizasse e ficasse da mesma forma que estava.
Sophie respirou fundo. Nate não iria contar a ninguém. Mas se ele fora capaz de perceber, quem mais seria? Apenas ele, Julia e Danna sabiam até agora. Ainda assim era muita gente.
Nate estava errado, Sophie não iria contar isso para ninguém. Não era capaz. Não seria capaz de contar isso a ninguém, sobretudo Henry, que já havia lhe perguntando sobre seu pai certa vez.
Sophie apenas o chamou para sentar e explicou que tivera um namorado que amava muito, ele era um ótimo rapaz e um músico talentoso. Mas as coisas não haviam dado certo e eles se separaram antes de Henry nascer.
Desde então, o garoto não perguntara mais de seu pai. Provavelmente ficara triste ao ver a mãe chorando na frente dele, mesmo que Sophie houvesse se segurado ao máximo. Quando o garoto a abraçou, ela não conseguiu se aguentar e chorou mais. Henry, apesar de muito novo, era muito sensível à dor das pessoas, e dormiu na cama de Sophie naquela noite para garantir que ela não choraria mais.
Essas e outras atitudes faziam dele cada vez mais parecido com o pai. O pai que ele não podia saber que tinha.
Sophie suspirou e limpou os olhos, pronta para se levantar e sair dali. Mas um barulho fê-la parar.
— Cowboy! — a voz masculina exclamou. — Solta! Solta meu tênis, Cowboy, caramba! — Sophie virou o rosto para a casa ao lado, vendo um rapaz sair pela porta, lutando com um cachorrinho chihuahua preso a uma coleira. Seu coração parou. — Cowboy, merda! Você vai estragar meu Nike, filho da mãe!
Luke.
Por uma fração de segundo, foi como se tudo houvesse ficado em câmera lenta. Luke pegou o cachorro no colo e virou acidentalmente o rosto, fazendo com que seus olhares se encontrassem por um segundo que mais pareceu uma hora. Sua voz falhou, seu rosto ficou pálido, e ele piscou três vezes para garantir que não estava tendo uma miragem.
Então tudo voltou ao seu tempo normal. O chihuahua latia, irritado, e a boca de Luke estava entreaberta. O coração de Sophie passou a pular dentro do peito como se quisesse sair dali naquele mesmo momento e sua respiração ficou audível.
— Sophie.
Ela foi capaz de escutar perfeitamente o seu murmuro, tão baixo que não era possível que se sobressaísse aos latidos de Cowboy, o chihuahua.
— Luke — ela murmurou em controversa, mais para ter certeza de que estava realmente vendo-o depois de todos esses anos.
Meu Deus, como ele estava diferente. E lindo. Seu cabelo parecia maior e mais bagunçado, seus olhos azuis estavam perfeitamente brilhantes de pura surpresa. Ele também estava maior, Sophie achava. Seus ombros estavam mais largos, seu peito mais aparente, seus braços mais musculosos. A barba em seu rosto parecia não ser feita há pelo menos quatro dias.
— Você voltou — ele murmurou novamente. Sophie notou o quanto ele estava parecido com Jeremy com aquela barba malfeita.
— Ainda hoje — ela respondeu por alto e viu os lábios de Luke se contraírem em um sorriso.
Um sorriso que cortou o seu coração. Por que Sophie sabia que ele não sorria por que estava feliz em vê-la, e muito menos por que havia perdoado-a, ou não tinha ressentimentos.
Luke sorria sim. Mas sorria por que, subitamente, havia sido atingido por toda a raiva que sentia dela.
— Que bom — disse ele, passando uma das mãos pelo cabelo. — Como está indo o seu futuro? Do jeito que você quer, aposto.
Seu sorriso aumentara. Com todo aquele deboche, era como se ele despejasse sobre Sophie toda a ira e a dor que sentira ao longo desses anos. Sophie conseguia ver.
Conseguia ver nos olhos dele.
— Sim, Luke — respondeu ela, sem abaixar os olhos, com o tom de voz suave. — Do jeito que quero. Só por que o meu futuro não saiu como planejado, não quer dizer que ele não está da maneira que eu quero que esteja.
Luke sorriu mais uma vez, assentindo com a cabeça e fazendo um carinho na parte de trás da cabeça do seu cachorro.
— Sou obrigado a concordar com você — disse no tom mais debochado que Sophie jamais o vira usando. Foi como se ela tivesse sido atingida por um soco na barriga. Mesmo assim não perdeu a compostura. — Enfim, Sophie, eu tenho que ir. Estou cheio de compromissos para hoje. — Ele se dirigiu para o Audi parado na frente da casa de Kathryn e Jeremy. — A gente se vê.
Luke entrou rapidamente no carro e arrancou com ele para longe dali, deixando ali uma Sophie desolada.
Não por que ele a havia tratado mal.
E sim por que ele ainda estava cheio de ódio dentro de si.

Notas Finais

Ei, bebês! ASOPSOKASAS E aí? Tudo bem?
Então, estamos aqui. No blog. OAV Fanfics. Para sempre <3POASKÃPOSKÃOPSK gente, seguinte. A maior parte das coisas desse blog são provisórias. Tipo essa caixinha de comentários aqui. Ela tá feinha e etc, mas eu arrumarei. Outra coisa que também arrumarei são os hiperlinks aqui, mas TODOS OS CAPÍTULOS DA OAV 1 E 2 JÁ ESTÃO POSTADOS AQUI. Incluindo esse que não está postado no Nyah! Fanfiction.Então, gente, é o seguinte. Comentem aqui pra mim, que isso está caracterizando essa nossa mudança. Tá? :3Vamos falar sobre esse capítulo. QUEM AÍ QUER UM HENRYYYYYYYYYYYYYY??????????? S2S2S2S2S2Gente, eu estava escrevendo e me apaixonando por essa criança perfeita, meu Deus, que lindo. E A ANNA? S2S2S2 ai.Eu disse que ia passar tempo bruscamente e passei. *U* Amei esse capítulo.E tô morrendo de dó do Luke :cPRÓXIMO CAPÍTULO TEM REVELAÇÕES E ENTRADA DE MAIS UMA PERSONAGEM NOVA, como não poderia ser diferente. <3 Que mais que eu posso spoilar pra vcs? Talvez o primeiro reencontro de Nate e Julia?e.... Eu iria falar outra coisa, mas me esqueci.Oh, sim. A partir de hoje, como eu perdi as "MP's", vocês podem me mandar um email a hora que quiserem, ok? aqui tá meu endereço: saramaltas@gmail.comResponderei tudinho :3 vou ver se faço um forms ou uma ask.fm para o blog, também, caso seja necessário. E..... Obrigada por estarem aqui. Eu amo vocês. ^^



38 comentários:

  1. FERNANDA MORAES AQIII!

    oohhh my gooooooooood!
    eu ja posso morrer? '-'
    cara que isso mano, você passou muuuito tempo sarinha, isso não se faz com a gente, eu to assim >> 0.0
    e raivinha do luke pelo tratamento que ele deu a sophie, mesmo compreendendo toda a magoa dele, por tudo o que ele sofreu. so espero que a kath e o jerey não tratem ela mal, que ai eu rodo a minha baiana --'
    e cara diz pra mim que a personagem nova não é namorada/noiva/esposa do luke? POOOOR FAVOOOR! diz pra mim que não.
    ai dels, enfim, espero não ter dado uma idéia, porque você é dessas neh sarinha kkkk
    posta mais, que a curiosidade ta matando, to louca pra ver (imaginar) a cara do luke quando ele souber que a sophie tem um filho, e ver o menino.
    e tenho certeza que a kath vai saber na hora que esse menino é filho do luke, se ela não sacar pela possível raiva, o jeremy saca, porque ele é dos meus kkk

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OLHA QUE LINDA EU RESPONDENDO OS COMENTÁRIOS, ME AME. AÇSKASÇOPALKS~L
      Não, bebê, não pode morrer. ^^ VC TEM Q LER TUDO ANTES, MUAHAHAHAHAH
      çoaksa~pslapsl veeeeeeei vcs só precisam dar uma olhadinha na oav1. Eu passei... seis anos um pouco antes de finalizar. QUERENDO OU NÃO, ISSO AQUI AINDA É PROTÓTIPO DA OAV1. mesmo com todas as mudanças, ora, tem um motivo para isso ainda ser a Odeio Amar Você.
      kkkkkkkkkkkkkk ta
      Posto mais, sim. PASKPAOSK esta quinta, probably, tem caps novo \o/. E... hmmmmmmmm será que é namorada ou noiva? hmmmmmm ou não é nada?
      nunca se sabe. MUAHAHAHA
      e...... é. POKASPOKA vamos ver.
      Beijinho, linda. Brigada <3

      Excluir
  2. SARINHAAAAAAAAAAAAAAA!!!!1!1!!!
    Nats filosófica na areaOIUJAEPSKAÇLKSALÇKÇAW~ÇASÇA
    5 ANOS E MEIO, OMFG!!!!!!
    PESSOAS OMFG.
    Nhw, acho que o Luke não deveria ter sido TÃO grosso... óbvio que ele tá magoado (eu estaria também), mas né. NÉ. ELE AINDA VAI TER QUE VER PELO LADO DELA.
    Nhw, eu tô apaixonada pelo Henry. MAS AINDA SOU FÃ DO JOE OKAY
    CASA COMIGOOOOOOOOOOOOOOOO.... Ah é q.
    Nhw, Nhw, eu vou acompanhar por aqui, certezaaaaaa <3
    UHAJKSAHIUHSJK
    Té próximo Sarinhaaa sdkjsalçksça

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NATS KA~KASPÁSÃP´LSAP´LS~S´LKASLA S2S2S2S2
      SIM, VEI, CINCO ANOS E MEIO, PQP, EITA, SARAH DOIDA.
      PESSOAS, OH, VEI, SARAH
      AÓPSLASPLA~SOPLK então, é que vocês têm um probleminha. Para que vcs saibam que ele deveria sim ter sido grosso eu tenho que colocar tudo pelo ponto de vista dele. DELS
      ~POAKSÕPASK~PASKL E ELE VERÁ. VERÁ, VC VAI VER QUE VERÁ.
      Henry meu <3
      JOE MEU TB. q
      é, né, nem dá ._.
      palsãoplka~soplk brigada naaaaaaats <3 sua linda!
      até aopslkáplapslas brigada s2

      Excluir
  3. Ahhh, Giovanna aqui. ^^ E deixando um comentário pelo celular que você VAI poder ler.
    Todas felizes?
    Todas felizes. <3
    Quanto ao Henry, quero um. Pode mandar ele hoje mesmo.
    Eu pago a passagem depois, pode deixar.
    Mas Sarinha, esse blog está lindo demais. E QUE SE FERRE O NYAH!, SÓ ENTRO LÁ PARA LER MINHAS FICS que por sinal já estão no final. É.
    Mas vou parar de surtar aqui porque, blog novo. Vida sem Nyah nova. É.
    Agora a OAV2 entra na parte do último reencontro, que por sinal foi minha parte favorita da OAV1. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MEU DEUS, GIOVANNA, QUANTO TEMPO AP~SLKA~PSLKA~SOPLK eu estava me lembrando de vc ainda ontem :3
      TODOS FELIZES! EU TO FELIZ ÃPSLA~PSKL~PSAS
      Ai, pfv, Henry tão meu. Tão meu. >meu<.
      oasolka~plkas brigadaaaaa, sua linda! E SIM, NYAH VAI TOMAR NO...SIMBOLO QUÍMICO DO COBRE. ou cadastro único. ENFIM.
      Nhaw, sua linda, q sdds.
      nnhaaaaaaaaaaaaaaaaaw vo morrerrrrrr
      ~pasla~slpa~slas
      brigada por comentar, de vdd. te espero nas próximas atts. <3

      Excluir
  4. Olá Tia Sarah linda, com um blog mais lindo ainda
    Vamos fingir que eu não tinha ganhado um projeto de spoiler, anyway com spoiler ou sem toda vez que eu ler essas cenas dos momentos mãe de Soph ficarei com vontade de chorar ao ver como a Soph que acompanhamos crescer ficou madura ft independente e o Henry simplesmente quero morde-lo :3 Eu fiquei tipo arrasada ao ver a reação da Hayley, até entendo o lado dela, mas não deixei de ficar triste e eu juro que se pudesse pregava uma faixa escrita "O Henry é filho do Luke, como vocês não perceberam? A criatura é a cara do pai" em frente a casa dos Faro. E a Julia tão mudadinha, continua com o senso de humor e a beleza, mas tão fria e triste no fundo, saudades da antiga Juzy ;s
    " — Como foi a aula hoje? — ela perguntou a Henry, que sorriu.
    — Muito legal! — ele respondeu sorridente, andando rapidamente para acompanhar o ritmo da mãe. — O Simon vomitou." -> Cada vez me apaixono mais pelo Henry SUHAUSHA E todos voltaram pros EUA de onde nunca deveriam ter saído *--*
    ~le insere surto que não dá pra descrever~ ANNA LINDA, PFTA, GOSTA DE HARRY POTTER? E ainda no meio de uma reunião de família vai ver HP, just like me *o*
    O Joe perfeito, e bota perfeito ele tá muito perfeito, escrevendo a OAV ~todos piram~ e o Nate tristinho, porém mais esperto que os outros pois percebeu que o pai do Henry é o Luke ~palmas pro Nate~ E não tem como falar o quanto eu surtei pelo Cowboy e o quanto o encontro de Soph e Luke partiu meu coração :c
    Beijos Tia e te amo <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sobrinha FofaLinda maravilhosa s2s2s2 OBRIGADAAAAAA SAPLASLPAS nhac em vc.
      Sim, fingemos. Note que agora todos podem ver o blog e os coments, portanto, NÃO DIGA QUE TE DEI SPOILER SECRETO shhhhhh
      ÁPLSÃPSKLA~LKPS ta.
      Então, sim, pois é, mas deixa eu te falar uma coisa. Luke é filho de Katt, que é britânica. Henry é -- supostamente -- filho de um britânico qualquer. Portanto, bem, o moleque aparece com olhos azuis lindos e cabelo loirinho, vão achar q ele é quem a soph diz que é.
      Mas Nate é mais esperto. ~POSLKÕPASLKAOSS
      Sim, cara, olha só que linda você percebendo coisas que nem eu mesma percebia nos meus personagens. MAS JULIA É PERFEITA. <3
      eu amei essa cena do Henry. ele é TÃO meu. s2s2s2
      P~L~LÃOLPSÕPASLKÃOPS EU SABIA QUE VC E MAIS ALGUMAS PESSOAS IRIAM GOSTAR DA ANNA SER 1 LITTLE POTTERHEAD ÃPSLÃOPKA~SOKAS
      Joe perfeito. Detalhe que esse era o meu pano pra ele. s2 Nate... ;-; <3 laspkss AOKSOAKS COWBOY KKKKKKKKKKKKK
      Sim, partiu o meu também. Acredite.
      Beijoshuas, sobrinha linda s2 te amo.

      Excluir
  5. Luana, pfvr, vá se ferrar e larga de ser burra -.-' Eu perdi o review, háhá, QUE LINDO! ¬¬¬ Como se já não bastasse ter perdido a recomendação PERFEITA que eu fiz ontem. ISSO. É. O. FIM. DO. MUNDO. DROGA.

    Tá, chega de drama... HELLOS SARINHA LINDA!!!!!!!!!!! ♥ A srta vai responder isso, la la la, que mágico. COISAS MUDARAM, AI. Nyah xó - seu malvado -, Blog olá ^^ Vou acompanhar aqui, claro, oav pfta ♥ TOMARA QUE DÊ TD CERTO COM O BLOG, AMORZINHO *-*

    Que capítulo mais perfeito que foi esse ;-; lindo demais, poxa. Primeiramente: Juzy é a melhor amiga que existe, véi, ela ajudou Soph um monte e... Caracas *O* Formada em Jornalismo em Oxfordo, ainda, ai '-' Me ajuda Juzy, eu tbm quero me formar em Jornalismo, acho, rs.
    Sophie sendo forte e Juzy a ajudando *-* Tarris foi embora ):
    E, nhaaaw, ela tá no TN de novo!!!!!!!!!!! EBAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!! AGORA AS COISAS VÃO ESQUENTAR! Hm, hentai se aproximando?
    Caracas, Nate - ele foi mt esperto em saber, seu lindo - continua lindo, assim como td mundo. Joe escrevendo a oav DDDD: PURO AMOR! *-* E os novos tbm, como Anna potter lindaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa *-* Amei ela. E O FILHO GATO DE LUKE E SOPH, CLARO, HENRY LINDÃO! Ele é super, apesar de gostar de futebol brasileiro, af ¬ Chutar bolas is not cool.
    Anna + Henry = OAV 3 (: Amor eterno!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Agora Luke, estou meio braba com você, isso sim. Você foi muito trouxa. Soph fez o quê fez querendo o proteger, mas Luke? Ele foi um tremendo idiota por achar que a garota que ele ama ia fazer isso com ele sem mais nem menos. Só por isso eu já ficaria putissíma, cara, você não conhece a garota que ama o suficiente pra saber que ela não ia te abandonar sem mais nem menos? Af, mesmo pelo futuro... Sophie não ia fazer isso ‘-‘
    Cowboy, lindo *-*
    BEIJOSHUÃOS SARINHA LINDAAAAAAAAAAAAAAAAAA, CONTINUA LOGO ♥

    ResponderExcluir
  6. AOSKASÇOPAKS ai, luana, hj nao é o seu dia, gatissima ~PLAS~´PSLAS
    PRIMEIRAMENTE, AQUELE FACEBOOK PUTO NAO ME DEIXA FALAR COM VOCÊ.
    Em segundo lugar, escreva seus coments no word. tá? :3
    POIS ENTÃO, ESTOU RESPONDENDO! #everybodysing
    e sim, tomara q tudo dê certo <3 estou torcendo para isso. Mesmo :3
    Esse capítulo foi... tenso ~PAKSÕAKS mas bom, foi bom. SIM, PFV, JULIA DÁ MELHOR AMIGA DE LAVADA EM QUALQUER MELHOR AMIGA QUE EXISTA -n KASA~PSKA~SOPKAS PFTAAAA ela entrará em contato com vc para te ajudar a se formar em jornalismo -n
    SIMMMMMM, TDS NO TENEESSEE, ONDE AS MUSICAS BOAS SÃO APENAS PARAMORE. E UMAS DA MILEY. E UMAS DA TAYLOR. e justin timberlake. TA, TEM MT MUSICA BOA NO TN <3 AOSK~SKAÕALKS
    Ah, crida, ce nao sabe o quanto vão esquentar. Pode esperar hentai... daqui a dois ou tres, acho.
    NATE PERFEITÃO.
    AP~SLKA~POAL~PALKS
    E.... Anna linda e maravilhosa, e Henry lindo e perfeitinho e mey s2s2 E FUTEBOL BRASILEIRO PODE SER LEGAL, ÀS VEZES, tipo, quando é flaXcorinthias que eu posso zoar meu irmão. Ou jogo da seleção.
    #likeaposer
    Na verdade, o que mencionei sobre futebol aí foi tudo obra do Joãozinho, irmão de Sofia. Agradeça-o.
    VEI, PLMDDS, PENSA PELO LADO DO LUKE, LUANA.
    Você ama uma pessoa, com todo o seu ser. Você planeja A TUA VIDA com essa pessoa. Eis que essa pessoa te deixa, vai embora, te larga, te manda uma carta fria, pede pra você esquecer ela, te arrasa, te deixa um caco. Você, machucada pra caramba, tenta superar durante um ano.
    Aí vem a notícia de que essa pessoa, que tu tanto amava e que tanto te amava também, teve um filho com uma britânica qualquer (:

    PQP, LU, TU NAO FICARIA MORTA DE RAIVA???????? VEI, EU TENHO ÓDIO DE CARAS QUE FIZERAM muito MENOS COMIGO.
    Portanto, pense. É só pensar.
    BEIJOSHUAS, FOFA, PERFEITA, LINDAAAAAAA S2 continuarei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É a água do Tenessi, é totalmente abençoada -n

      E ainda sinto raiva de Luke. Tipo, antes disso, quis dizer. Quando ele descobriu que a garota que ele ama tanto, que planejou a vida junto dela, simplesmente parte pra Londres e deixa uma carta fria. '-'

      Cara, ele simplesmente conhece Soph melhor que isso, poxa. Ele sabe que a garota que é nunca seria capaz de fazer isso com ele, a garota >que ele ama e conheceum motivo< por trás disso, não só o estudo e...

      Enfins, por isso ainda tô putissíma com Luke. Soph fez td pensando e prezando no bem dele e em neles. Se ele tivesse com filho td desmoronaria, a educação deles - mesmo Soph e Juzy conseguindo - e a relação e... vc que explicou, gata, hahah.

      ~le eu super feliz que aqui dá pra ficar falando até o fim do mundo (: Vc pode responder mais que 1 vez? :3~

      Excluir
  7. Realmente, isso que o nyah ta fazendo é uma babaquice sinistra.

    O Henry me lembra muito o Joe quando mais novo, talvez a sensibilidade, a inocência e a ingenuidade incomuns pra uma criança dessa idade na atualidade.

    Não culpo o Luke por nada, pelo contrário, até que entendo bastante a situação dele, ainda mais por eu ser uma pessoa que guarda mágoa.

    Mas isso não vem ao caso, o importante é:
    O Joe é realmente gay?

    Por essa eu não esperava, sérião.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. DIOGO! O SR POR AQUI! Bem-vindo ao blog :33
      Sim, eu voltei a responder. AOPSAOPSLKS Então.
      Existe uma diferença entre Henry e Joe, mas é um ponto interessante de se observar. Se você for olhar uma criança comum de cinco anos de idade, ela vai ter mais ou menos o comportamento do Henry. Ou então ela vai ser muito mais birrenta. ~PAOKÃOPAAPSLASK mas enfim.
      Cara, finalmente um! Sinceramente, todos estão culpando Luke, e eu acho isso errado, por que também o entendo u.u super certo.
      Sim, ele é! ÃLKS~PASLA~POSL eu disse isso no nyah, nao? Ele é.
      .__.
      BRIGADA POR COMENTAR AQUI! Mesmo s2

      Excluir
  8. la la la la la mia pessoa vai voltar a comentar la la la la la kkkkk
    MAOE, ACHO QUE NUNCA FIQUEI COM TANTA RAIVA DE UM SITE NA MIA VIDA mas tbm, foda-se. a unica fic que eu tava lendo/comentando era a oav, e já que a oav não vai mais ficar la, vou excluir minha conta. não sinto a necessidade de ter uma conta num site que não vou mais usar...foram dois bons anos, porém já que o meu principal motivo pra ficar la foi arrancado brutalmente de mim, adiós kkkk
    oav...o que dizer sobre??
    separação de luke e sophie, sophie querendo desistir de henry (que juro, se vc tivesse feito isso sarah, vc não existiria mais)
    tipo, se vc tivesse feito isso, sophie se arrependeria e procuraria henry depois que ele tivesse grande e ele a ignoraria e trataria mal e toda aquela história clássica e clichê de filme tosco kkkk mas ai vc vem e escreve aquela cena da soph olhando o henry e se apaixonando por ele e me faz derramar lágrimas no teclado...muito lindo isso kkkkk eu sou meio chorona e boba em relação e maternidade e essas coisas...é um dos meus sonhos, ser mãe e me sentir boba olhando pra carinha de joelho do meu filhote kkkk
    mas enfim
    HENRY
    SEU
    LINDO
    henry é o exemplo de como será o meu filho, uma criança linda, esperta, carinhosa e que ama harry potter kkkk
    quanto ao luke...meu maior medo é que ele tenha se tornado uma pessoa tão fria, a ponto de não ligar pros sentimentos de ninguém, além de não ligar pros seus próprios sentimentos...mas eu sei que vc é uma pessoa boa e não vai fazer isso com ele -mentira kkk
    eu queria pedir autorização pra fazer uma coisa: antes de excluir minha conta, posso comentar os caps que faltavam só pra chegar aos 1000 e o nyah perceber a grande escritora que eles estão perdendo tirando a categoria bandas??
    enfim, amando essa fic cada dia mais.
    até algum dia no face ou sla kk
    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. YEA, INGRYD! ~PAOSKÃOPSLKASOPÇLKS nhac em vc, gatinha.
      SIM, VEI, QUE RAIVA DAQUELE SITE, e, owwwwwwwwn. apenas. Exclua mesmo, se eu pudesse excluiria a minha tbm u.u Foram bons dois anos, você tem razão, mas já era u.u AGORA É NOVA ERA!
      oas~çalksãsokas nao existiria mais vixe kkkkkkkkkkkkk a~spla~splkapoaslk
      Sim, olha, eu até pensei nisso. Quando tu tá imaginando uma coisa séria para fic como isso, tu pensa em todas as possibilidades, e eu até mesma pensei nisso OKASÇÕPAKS mas eu achei a outra ideia melhor e o melhor prevalece.
      hummm..... nhaaaaaaw, não chore :'3 mas eu tbm fiquei com o nózinho na garganta escrevendo aquilo, serio ._.
      EU TAMBÉM SOU, BATE AQUI! \o ~palã´splas eu sou muito bobona com criança e td mais, sou mesmo. MAS AW QUE FOFA VC ~aperta~
      Todos querem um filho como Henry, pf, ele é pfto. ~PÇAOSLASOPLKAOPALS Quanto ao Luke, sim, tem esse medo, claro, mas vamos ver se Sarah é má a esse ponto.
      Então, gatinha... é naquelas. Eu sou a favor do blackout, mas eu não nego que sair de lá com 1000 reviews nas duas oav seria... perfeito. OPAKSOAKPS se quiser fazer, eu agradeço muito.
      E... poxa, obrigada, mesmo.
      Até algum dia \o/ BRIGAADAAAAAAAAAAAA! <3

      Excluir
  9. olá, é a rachelyork aqui e cara, que bom que você tomou essa iniciativa de fazer esse blog, ai que alívio, Deus tem misericórdia dos pecadores porque eu realmente não me vejo sem a oav, bom eu nunca comento muita coisa, na verdade nunca fiz um comentário com mais de 4 linhas, seilá, mas hoje não sei porque as palavras estão fluindo, cara, a oav tá tão boa, nossa que orgulho!estou morrendo de pena do Luke e da Sophie também por toda a situação e o Henry? awn meu Deus que fofura, eu quero um filho desses e olha só quem apareceu na fic, o Cowboy! haha o Bill tem que aparecer também!! bom, sempre acho meus comentários um lixo, mas enfim, obrigada por não parar de escrever!! s2

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EAI RACHEL KKKKK~PASLKASOP CARA, QUE BOM VER VC AQUI, OBRIGADA!
      E sim, cara, eu não podia mais ficar no nyah. Obrigada pela consideração e e e e ._. brigada mesmo. Significa muito pra mim. ÇPOAKSÕPASK ORGULHO NHAAAAAAAAW sim, cara, eu to com mt pena deles tb, mas no final vai valer a pena *U* todos querem um filho como Henry ASOPKA~S´PALSÃPSK nhaw. E.... SIM, OLHA, O COWBOY! ~todosdança~ POIS É, AGORA EU TENHO QUE COLOCAR O BILL, TECONTAR, COMO ENFIAR TANTO CACHORRO? KKKKKK
      Seus comentários são um amor. OBRIGADA POR NÃO ME ABANDONAR!s2

      Excluir
  10. FINALMENTEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!#”$”$%)?$#)&?#)&?$)?)#”%?”)?)?9?992’94’239%?”%”)#?%)”#%)?#$&)(#?)$”!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Deus Pai, como sou atarefada. E ACRESCENTO QUE TOU DEIXANDO DE FAZER COISAS PRA VIR LER AQUI ;_; Eu não me entendo, juro que não. Mas meu amor por OAV é mais forte que eu SPODFIDSOFIMSDPOIMGSPIOGMDFIOHM
    ENTÃO TÁ!!!
    Pra vc saber, cara irmã, estou começando a ler as notinhas no Nyah, mas quando chegar o cap, eu vou ler lá no blog, que tá na outra guia (vcs chamam guia, né? Olha eu sendo portusileira :33). AH e eu já li essas notas DIOFMOSDMIOPDSIMGM MAS EU QUERO LER DE NOVO, LALALALALALALAAAAAA
    Então vamos, antes que eu comece a ler o cap e chore muito.
    REVOLUÇÃO MAGNÍFICAAAAA <3 Bateu até meu favoritismo pela Revolução Francesa. E sim, eu gosto da RF, sei que é chato de estudar, mas é o fundamento de todo o mundo moderno e… porque eu tou discutindo história aqui? Sei lá, DEVE SER POR SABER QUE VOCÊ VAI RESPONDER, LALALALALALALALALALALALALALALALALALALALALA ~~DANÇA DA VITÓRIA~~ Você não faz a MENOR ideia do quanto eu tive saudades das suas respostas. Sério. :333333 Quando eu não falava com vc ainda, ficava toda animada sempre que via lá nas atualizações “SarahRiot_ respondeu ao seu review”. E eu LALALALALALALALALALALA, deixa ver se ela gostou das idiotices que eu falei PODSMFPDSIMFPOSMIGPOSM
    Eu nem vou falar nada. Porque isso do Nyah me transcede agora que estou nesse blog divo. E só quero deixar coisas lindas nele :))))))))))) E qualquer coisa que eu vá falar sobre essa questão em particular vai ser feia. OH, SE VAI.
    Então tá, avançando lindamenteeeee… AH NÃO, PERA, APLAUDINDO ANTES ~~palmaspalmas~~ As coisas que você falou disseram tudo. Deviam transformar isso no Manifesto Protestante do Partido Anti-Nyah, pq é.
    APLAUDINDO SARINHA FOREVER PQ O BLOGUE FICOU LINDO E E E E ;_; já tá na minha barra de favoritos, né. Escusado dizer que o Nyah saiu.
    UUUUUUUUUUHHHHHHHHHHHHH, TCHAU MÃE, TCHAU PAI, TCHAU JOÃOZINHO, VOU PROS AFILIADOOOOOOOSSSSSSS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! OPSDFIMSODIMGOSIPG,PIODG Mas eu vou ter mesmo que criar um blog, eu acho. Não acabei de escrever sobre pessoas reais (me desculpem o grande incómodo, pessoas reais, que chata que eu sou, usando sua imagem para escrever algo que vocês jamais irão ler e à qual talvez até achassem graça se realmente lessem. Desculpem) e acho que as meninas não vão ficar felizes se a EB desaparecer do ar do nada. Para além de que eu tou duvidando de que a vou terminar antes do final do ano, pq né. Uma semana ou mais pra sair capítulo OSIDFMOPDIMFOPDSIMG Sou triste, é um fato KKKKKKKKKKKKKDSFOMDSPMOGPM
    OI HUGH JACKMAN!!! DSPOFMDSPGMOSDGPOM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ;__________________________________________;
      MANA, PÁRA DE TENTAR ME FAZER CHORAR, PILISE? ;_;
      ;_____________; Adiós Nyah ;_;
      Poder pode, né? Quem liga mais para as regras? -.-
      TÁ, OLHA, EU VOU SAIR DESSA PÁGINA DEPRESSIVA E IR PRO BLOG LINDO *_* Só que eu também vou querer chorar lá. Vish.
      OI BLOG LINDOOOO SIODPFSDOIGFSPOMGIDSPIGMDSOPIMG
      Cinco anos e meio depois ;____________________________; Começou a vontade de chorar OIPSDFMDSOIMPDSOMGOPDSF,SGM
      Sério, Juzy? Relógios em cima da pia? DSFIPOMFDSPOIMFODSI,FPODS,IGPOIMSDPOIFODPSF,POSIMGPOG
      OI HENRY AMOR *_* ;-;
      SOPH SENDO MAMÃE E ;________________________;
      NHAAAAAAAAAAAAAAAAAAWWWWWWWWWWWW *____________* Tinha que ser perfeito, né? DFSOIPF,ODSIMGFODSIMGPODS,FIPDSOGMIOSDIGMGPOIM <3 Menino amor que gosta dos desenhos “vintage”. Me sinto velha OIPDSFMPSDIMFOSIDOF,PIDPGOIMGPM
      SOPH SENDO PROFESSORA E SENDO MAMÃE ;_______________________________;
      PODSMFOISDMPFODIMSGFPMSGOPMGIMDPOFIDSFODSIOD,IFPOSD,GSDIG, Pfvr, quem não se apaixonaria por Sophie Farro? Ninguém no seu perfeito juízo. Ou será todos no seu perfeito juízo? Hmmm………. Ler, sim!!! Kkk
      Soph e Julia, o casal perfeito <3
      MAS HAYLEY ;______________________________; Ai Josh ;_;
      Nate e JOE, >JOE< com a voz mais grossa OPSDMFSPMDFPSMF ;_;
      A mentira da idade de Henry <3
      ;_________________________;
      EU NEM ;_; ANNA SENDO GERADA E ;_____________; E TODOS MUDANDO E ;________________; E SOPH SENDO MÃE E ;_____________; AIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII ;_;
      *___________________________________________________________________* VOMITANDO ARCO-ÍRIS COM A PERFEIÇÃO DE HENRY LINDO <3 <3 <3
      OIDSMFSIMDFPMOISDOFIDSPOGISDOPGM <3
      COMO ASSIM?!!!!! QUEM TEVE A CORAGEM DE DESPEDIR MINHA JUZY??????????????????????!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Idiota.

      Excluir
    2. THANK YOU TARRIS AMOOOORRRRRRRR <3
      CLARO, PQ JUZY É LINDA E TODOS A AMAM OBRIGATORIAMENTEEEEEE!!!!!!!!!!!!!!!! <3 Tem que ser louco para não a amar, pq né.
      JULIA JORNALISTA SUPER EMPENHADA, GENTE, É TÃÃÃÃOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO…………….. perfeito <3
      ;____________________; COMO ASSIM PNEUMONIA NO MEU HENRY LINDOOOOO???????????? ;_; Não bastava todas as outras coisas em cima de Soph? ;_____;
      SOCORRO, CHORANDO ;_________________________________; Eu…………. Ai ;_;
      ………………………..JULIA SAFADENHAAAAAAA SDOPIFMSDIOGMSODPGMSGIMP
      Awwwwnnn, Soph, pode bronquear, mas Julia não irá te ouvir. PORQUE ELA É >JULIA<! Por favor, ela não ouve ninguém. E seu verdadeiro amor ainda é Nate, pq né. MAS NÃO ME FAÇA LEMBRAR, QUE EU CHORO ;_;
      SDOIMFOSPDIMFOIDSGOMDISOFI,DOF,IDSO,IGFDSOP,IPOSIMGSOMPG
      Congelando no lugar com essa discussão que afinal se está tornando numa confissão e… VOCÊ ESQUECEU DE LEONARD, JUZY LINDA???? DDDDD:
      ;_________________________________________________________________;
      ;___________________________________________________________________________;
      ;________________________________;
      SIM, VAMOS TODOS VOLTAR A NASHVILLE, POR FAVOOORRRR ;_______________;

      COMO ASSIM??????????????????? DDDDDDDDDDDDDD: Como eu odeio esses cortes idiotas da disciplina de música. Cortaram aqui tb, porque os idiotas do Governo acham que vamos sair da crise cortando nas coisas fundamentais como, sei lá, a educação -.- Música é importante para as crianças, trabalha os neurónios de um jeito inédito, e eles cortam assim? -.- Idiotice de mundo.
      E AGORA TOU TRANSFERINDO, AINDA POR CIMA, PQ SOPH FOI DEMITIDA ;_______;
      Mas entenda, Soph, isso é a vida (lê-se Sarinha) te empurrando para Nashville :))))))))))
      TARRIS CASADOOOO :OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO Isso é… bom e mau ao mesmo tempo. Ao menos ele está verdadeiramente feliz de novo <3
      MAS JUZY ;________;
      ;_____________________________; Eu nem sei quase nada sobre as aulas, mas terei saudades dos pirralhos tb ;_; quando for relembrada deles, pq né, a memória de uma pessoa não dá pra tudo.

      Excluir
    3. PARAMORE É ETERNA, Soph linda <3
      OI DANNA AMOOORRRR <3 <3 Claro, elas são as irmãs perfeitas e… Danna foi a maior benção, é o que é. Oh Anna linda, não chore!!! TEMPOS ALEGRES PRA TODOOOOOSSS!!!!!!!!!!!!! <3 Anna é uma mini gatinha, com licença OSDPFSIMDFMIDSPIOGM
      UHUHUHUHUHUHUHUHHUHUHUHUHUHUHUHUHUHUHUHUHUH CASAMENTO DE UM DOS MEUS CASAIS MAIS PERFEITOS DE SEMPRE, LALALALALALALALALLAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA <3 <3 <3
      AI SOPH, SE MUDA LOGO PRA NASHVILLE, PODE SER???????????????????????? DSIOGMDFPOGIMSDFPOGMIFDPOIMGSDPOFHM Eu te deserdaria se fosse tua irmã e vc não viesse ao meu casamento.
      PS: fica a dica pra vc, mana.
      MAS SOPH, É UM PRESENTE!!!!!!!!!!!!! Ai. Por favor.
      PIODFGMSOIMSPDOIMGPGIOM Os poderes persuasivos de Joe. SIM, DANNA, CHAME-O! DSIPOFDSMIMSDPOGMDPOSFI,ODIS,FPOISG
      LUKE GOSTOSO DE VINTE E DOIS ANOS, POR FAVOOOOOORRRRRRRRRRRRRR <3
      E QUE É ISSO DE RELACIONAMENTO ENROLADO??????????????????? Ai, Luke, Luke…
      MAS SOPH, FAZER ESSE FILME PARA QUÊ?????????????????????????!!!!!!!!!!!!!!!! No momento em que você contasse tudo a Luke – bem, não no momento, talvez uma semana mais tarde – ele ia aceitar e ficar todo empolgado e vocês iam acabar se envolvendo de novo. E sabe porquê? PORQUE VOCÊS SÃO SOPHIE E LUKE!!!!!!!!!!! Ninguém jamais poderá competir com isso – nem mesmo eu e MUITO MENOS essa pessoa do “relacionamento enrolado” -.- Pfvr.
      AI, JUZY E NATE, SE REENCONTREM LOGO PRO BEM DE TODOS, TÁ? E vc, cara Soph, facilite e vá com Juzy. Vamos.
      Henry é a coisa mais linda de sempre, pfvr ;_; SDPOFMDSPOMGSDPGMO Henry, vc tem um cabelo à Harry Potter, meu amigo, vou te contar OPSMDPMOFDM *_____________* Henry se achando rico, que COISA MAI LINDA, MEU DEUS <3
      ADIOFSPOFIMDSIOMFDPOSMGIPODIMGPM Bem, nisso as crianças levam certamente avanço aos adolescentes. Na verdade, levam em quase tudo, menos, talvez, em certas partes da dependência. De resto, é a felicidade eterna :33333
      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKSODSPFMDSPFDSPMG Que amoorrr <3 Parecia querer discursar, mas na verdade só ia usar o banheiro, AWWWWWNNNN <3 Tive um ataque de riso espontâneo IOSMDFSPODIMGPOM As aventuras de meninos na creche *_* Que lindos <3
      OI DE NOVO, DANNA AMOR <3 Por favor leve Soph para sua beira, amén. OI HECTOR, ISSO MESMO, AJUDE DANNA A LEVAR SOPH PRA FRANKLIN!!!!!!!!!!

      Excluir
    4. Como não entende já hoje? Henry é a coisa mais linda de sempre (como essa pequena fala mostrou mais que claramente) e, nas suas qualidades de anjo do céu, é o tipo de pessoa amor que quer saber de todos <3
      DSOMFDSPOMSDPMOGSDPGM Um chocolate que não acaba é simplesmente o fim de todos os Dementors, logo, de toda a tristeza no mundo. Parece bem.
      OSFIMSDOIGMPDSOGMISDPO,PFODS,IPODIGSPOGIMHS
      AI DEUS PAI DO CÉU <3 <3 <3 Isso é o que eu amo neles todos. São eficientes. Quando é pra fazer…. Ai caramba, É.PARA.FAZER. OAISDFMDSOIMFPDSOIPGOM
      AGORA VOCÊ TEM EMPREGO, LALALALALALALLAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
      E TEM POSTO DE MADRINHA PRA JUZY TB E………………..;_; Ai Soph, nem venha, é MAIS QUE PERFEITO!!!
      OISDMFOSDIMFSDIOPSIMG AI, como eu amo Henry <3 Dá só um pedacinho dessa criança pra mim, mana? Tipo, um dentinho caído ou algo assim? POR FAVOOOOORRRRRR??????? *_____* Da última vez que me apaixonei assim por uma criança, ela se chamava Luke e amava desenho animado tb. Será que Henry tb assiste Phineas e Furbe? :OOOOOOOOO
      E ACABEI DE PERCEBER QUE HENRY DEVE TER O MAIOR SOTAQUE BRITÂNICO, O QUE SÓ O DEIXA MAIS PERFEITOOOOO <<<<<<33333333333333333333
      COMO ASSIM VOCÊ PERDEU O CASAMENTO DE MARIE E DAN, SOPH???????????????????? ;_; Deve ter sido um monte de comida na festa, metade pro noivo, metade pros restantes presentes.
      ;__________________________________________________________; Danna sendo inspiradora é apenas a melhor irmã mais velha de sempre *_______* Por favor.
      ;_______________________________________; Quase chorando com a relação de Henry com Julia ;___________________; E sabe porquê? Porque Julia é basicamente um garoto… só que garota SDIOFMSDPOIGMOSGIPODSMIGIPMOG <3 <3 <3
      SIM, SOPH, VAI SER MELHOR VC IR E LEVAR HENRY, VAMOS VAMOS VAMOS VAMOOOOSSS!!!!!!!!!!!!! Tá, eu me acalmo. NÃO, PERA, VAMOS MANDAR ESSES INIMIGOS PRO DIABO AO 3, OK?
      UM… DOIS… TRÊS! INIMIGOSVÃOPARAODIABOOOOO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! :) Pronto, já nos sentimos todos melhor e agora podemos voltar para os EUA. Só ganhos!
      JULIA JÁ ARRUMOU TUDO, VITÓRIAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! SDIPOMSGIM Bem, Juzy, podia ser uma harpa…………. Se bem que acho que até isso seria mais fácil de carregar.
      OI SPOILER DA SOFIA <33333333333333333 FDSOGI,SFIPODMHOPHM OBRIGADA POR SER INSPIRADORA TB, JUZY AMOR <3 ;__________; <3 <3 <3 Julia <3 <3 <3

      Excluir
    5. PORQUE, cara pessoa que eu não sei quem é, OS AEROPORTOS SÃO LOCAIS DE FAZER DINHEIRO À DESAVERGONHADA. Já viu quanto eles te cobram por andar numa caixa de metal que pode até cair no meio do nada? ……………. Nem fui sinistra agora nem nada OPSMDFPOMGM
      NHAW, OI ANNA AMOOOORRRRR <3 Criança feliz é a melhor coisa do mundo <3
      Olhe que Joe não precisou cursar Jornalismo para aprender a manipular KKKKKKKKKKKSDOMDSPGOM Ainda mal sabia falar e já manipulava KKKKKKKSDFPOMPGMOSPFGOM
      EITA SPOILER GRANDE QUE SARINHA RESSALTOU PRA MIM!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! E espero que meus pseudo-fãs-de-review me tenham acompanhado pra aqui, porque ~~aponta pro doc word e gesticula~~ OLHA SÓ!!!! SDIOMSDPIGM Papinha de spoiler feita, meus meninos.
      *_____________________________*ANNA, A MAIOR POTTERHEAD ~~CHORANDO DE EMOÇÃO EM TER UMA LINDA IGUAL A MIM~~ E mana, você pode até me negar Anna se quiser, mas a partir do momento em que você a faz potterhead, você a faz pra mim. Acabou PSIODMSIODMOSIDMGPODSIMGPOM
      Henry fala igual ao Draco AAAAAAAAAAAAWWWWWWWNNNNNNNN <3 “Eu sou do bem!” RINDOOOO FDSIGMPDFOIMOGMPDSFPIO,FD,IPOSFIG,PFSIDMHFIGMOFDOHPIFDPOG,PFD,HDFIHFMGOPDFMIGOSIFSDPO,IFIHDSFOPG,DFOPIDFMPHOIFMGOSIMFDHOIMFOPGSGM+PODFHMPOFDPOG,+DF,O+PD,HD+POFS+PMOGOFSHP+MFGHO+DFPGOS+FHPMFHOM
      Meu Deus, diga que ela não vê os últimos três, por favor! OPSMFPSDMGO Tem coisas impróprias KKKKKKKKKKKKKKKKKODSPMFPSOMG
      CHURRASCO NA CASA DE Josh? ‘-‘ PODSMFDSPMFPSODIMGSPOMG Designação estranha KKKKKDSF+PSMDGMS+G
      *_____________________________________________________________* ;_; ;_; ;_; ;_; ;_; FINALMENTE EM CASAAAAAA!!!!!!!!!!!!! <3 Decisão acertada, meu bem :333
      QUE FOFURAS, ESSES DOIS <3 Duas crianças amorosas sendo amorosas um com o outro… PURO AMOR <3
      O RIO CUMBERLAND (olha eu escrevendo o nome direitinho), NÉ SOPH?................. Desculpa, sou má. Calar-me-ei.
      ;_________________________; MAS SOPH, TUDO FICARÁ BEM, MEU AMOOORRRR <3
      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKDSPFMDSPOMGPDGSMO Danna e Juzy, as únicas portadoras da verdade KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKSDPOFM
      NHAAAAAAAAAAWWWWWWWWWWWW <3 Então se prepare, Henry Lucas, o que tem aí é sol OIPPDFMPOSIDMFODSMGPMO

      Excluir
    6. OI JOOOOOOOOOOOOOOEEEEEEEEEEEEEEE <3 <3 <3 <3 <3 ;________________________________; POR FAVOR, tou chorando com essa mudança toda em Joe ;_________________; ORGULHO DE VOCÊ, JOE LINDO <3
      ;________________________________________________________________;
      OI HAYLES ;_____________________________________________;
      OIII JOOOOSSSSHHHHHH <3 ;____________; VOCÊ ESTÁ GRISALHO!!!!!!!!!!!!!!! FDSIOGMOFPDIGMDFPOIMHODFSPMGIDFPIMHPOMSHFPOG KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK Josh de cabelo vermelho KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKDSOPIGFMDSIGMSPGOM
      NATEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE <3 <3 <3 <3 <3 ;__________; OI NATE GRANDE!!! Juzy é que vai ficar feliz com isso, é? HEHEHEHEHEHEHEHEEEEEE
      DFIMGFPODMPODIMGODFGPDFGIMREM+ODF,+DSOPDFSOGPFMODP+ADPFODSMG+SMGO+P SOPFAPOFMPADSOF AI, Henry, esses americanos feios que não gostam do verdadeiro futebol…. Esperamos que ao menos Hector entenda, né, porque eu acho que ele vai ser sogro um dia? aIOSMPIFPODSMPGOMSDPOGMISPOIGM
      KKKKKKKKKKKKKKKDFSOSFMGSPOGMPM Voltamos ao mesmo. Julia é uma garota-garoto. Tem o melhor dos dois mundos PSIDMPOISMGPOSMGIPO ;_; CHORANDO COM O “Se conheço” DE NATE ;_______;
      SDOIGFMSDPOIGMPSDOIFSPOMGPOSDMIPODSIPSOIGSGPM Amando toda a conversa sobre Chelsea e Liverpool e etc OIPDMGOPFIGSGMPO Tou até imaginando Julia e Nate discutindo futebol tb e SDOIFMSDPOMPDSOGODPSF,ODSIGGMP
      Hector sempre tem magia pra fazer TUDO dar certo, por isso é que ele é meu agora LALALALALALAAAA POSIDMFPDIMGSDIMG
      (Tentar perceber quem você deve ou não convidar para almoçar fora no seu dia de anos é um verdadeiro problema. Pior que qualquer equação -.-)
      *___________________________________________________*
      Todos estamos em casa agora ;_;
      POSSO IR COM AS CRIANÇAS???? EBAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
      ODEIO AMAR VOCÊ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! [INSIRA TODO O TIPO DE SURTOS AQUI]
      DFIUOGSMFIMGDHOPT,OP+,HOPGOHPDMPOGMFJ+PMOGHPOGD+,HOG+PJOTMORM+TMPOIDGF,POUGDFHIGH+GOJ,POH+PDOGHOP+O+GP,HOOGF+PHO,PG+MJOGH+PGJOPHO+DFPHOG,+HODGPO,GODJ+PGHOGH+O,GJ,GOHJ+PODMGJOMPHODGHG+JMÝPRJTR+OEPMOT+OPGHFHGDFHOJDGHOMSOP,OD+ODGH,OG,JGD,IHRHUTTRMEMIPTEIMYETII,G,+DGHGO+POGDOHG+P,H+G,PHOMFGPOGFHOGF,HGFO+,HO+GHMGPFMOHGFMOHPGOFMHOMTMRJGHGIPF+MGPHTMRPEOOMETOHGOG,D+HO+GF,GPMHMOOFHMOMTJPMGFHOGF,PG,OJ,P+DGJ+PDG,JD+J

      Excluir
  11. MANA, EU IMAGINANDO OS LIVROS >MESMO<, tipo, na realidade, SENDO ESCRITOS COMO SE FOSSE MESMO JOE OS ESCREVENDO E……… ai, vou parar de ser louca. Quando terminar esse cap, HEHEHE
    FDSIGMDFIMIOFOMODFSMHOFSPDIGHODFSIGOFIHOPIGFOP,IHGFPODHPOIGFMJMOGFOHM+GFDOH+PG,HPGDHOGMHM+OGJPM Joe divo <3
    DAMON SERÁ DISCRIMINADO NO QUARTEL? O.o quê? OIDSFMSODMIDSPOG
    NHAAAAAAAAAAAWWWWWWWWWWW <3 Finalmente outro livro de Joe no qual vc coloca as mãos antes de sair POSIMIMPDFIOMH Afinal Soph tb tem poderes manipuladores sobre Joe :OOOOO OISDFMSPDIOMGSDPOIGMOIFSMG
    ;___________________________________________________________;

    :OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO
    EU… Caramba, Nate, EU.TE.AMO.
    <3
    <3
    <3
    AI SOPH, O MENINO É A CARA DE LUKE!!! DSOFMDSPGOIM Não é preciso um génio OSMDPGMDPOGM
    Pra além de que você chamou-o Lucas…… IODSMFPODSMGPIMDFSG
    HENRY LINDOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO <3333333333333 ;_________; Todos saberão que ele é filho de Luke, Soph, mais tarde ou mais cedo :sss
    COWBOY!!!!!!!!!!!!!!!!
    Luke.
    <3
    <3
    <3
    <3
    LUKE GOSTOSO E TUDO DE BOM <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ;___________________________________________________________;
      LUKE GOSTOSO, MAS NÃO TUDO DE BOM!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Luke idiota ;__________; COMO VOCÊ…..???????? SE VOCÊ SOUBESSE…!!! ……….. O problema é esse, né? ;_; AI AI AI ;_; ALGUÉM QUE CONTE PRA ESSE MENINO LOGO, PODE SER???????????? Ou não, porque aí OAV acaba :OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO
      NÃO, MANA, NÃO TÁ TUDO BEM, PQ LUKE NÃO SABE METADE DA HISTÓRIA E E E E………… Tá, é suposto ser assim. Pois IPOSDFMPDSOGMSDOGIM
      OAV FANFICS, MEU BLOG FAVORITO ETERNAMENTE <3 <3 <3 <3 <3
      Mudança ;_; Palavra que tá exigindo muita atenção ultimamente, tem como lidar?
      EU QUERO NEM QUE SEJA UM DENTINHO DE HENRY ~~PULA, PULA~~ E ANNA É MINHA E PONTO FINAL. Mas eu partilharei ela com os potterheads, visto que eu já roubei o pai. EU TOU COM DÓ, MAS tb tou com raiva irracional de Luke. Se eu fosse Soph, eu ia sim ficar com um poucochinho de raiva irracional dele. Porque, apesar de tudo, a verdade é que a realidade é diferente do que ele imagina. MAS A CULPA DISSO NÃO É DELE E…………………… Dilemas ‘-‘ OI PERSONAGENS NOVAAASSSS!!!!!!!!!!!!! Eu até já sei qual é… e é uma que tem capinha de herói………… OPA, FALEI DEMAIS SDIOFMDSGUMIODSGMSDMG Mas acho que meus fãs de reviews não aguentaram nove páginas……………………………………………. ISODUFMOSDIUMGSMGOIPSDGOISDGPOISDPOFIMSPOIPODIGDPOFIMGIDFPOIHFMPODIODPFIMHOFPDIMHPODFIMHIFMPODIMFHPOIM
      NATE E JULIA, SOCORROOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO DSFOGIMDFOGIMDFIOSHMFDPGODFSGPFOD,H+F,ODS+POFD+P,OH+PFSDOG+PFDOSG´,SFHPSREH+PF,DH AI, EU VOU MORRER ETERNAMENTEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE :OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

      <3

      Que fofura *_____________________* Mana, você é uma idiota <3 No sentido de que tem muitas ideias, tá? SDPIOFMDSIOMGIPOM
      NHAW NHAW, tb amo você (nem tou melosa hoje :333333)
      E POR FAVOR, O QUE É ESSE CAPÍTULO?????????????????????????????? Nem vou falar mais, porque, pra primeiro review, seu blog já ficará traumatizada KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKDSPOIFMDSPOGIMGIMP
      BOA SORTE RESPONDENDO, IRMÃ E AUTORA GATA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! <3

      Excluir
    2. AND HERE WE GO AGAIN.
      AÃPSLA~PSOK VOCÊ JÁ SABE QUE ACABEI DE PERDER TUDO O QUE ESTAVA ESCREVENDO PARA VC, SRTA SOFIA. Mas né. Que que posso fazer? Vamos novamente.
      SIM, MANA, VC É ATAREFADA DEMAIS ÃPSLA~SOLKA~SPLKÃSOPLK mas em nome de sua noiva (?) eu venho agradecer-te por dar a ela a prioridade. S2s2s2s2s2
      ~PALSAP´SLA]ÁÇLSÁPLS

      PA~SOKAOKA~SOPK, SIM, TUDO BEM, PODE FAZER ISSO QUE EU DEIXO. Na boa.................. aquele nyah, mana, vc sabe, não preciso dizer o quão puta estou com ele. E VC NÃO VAI CHORAR G_G
      REVOLUÇÃO FRANCESA AMOR. PASLKÃSPLÃPSOLK E SIIIIIIIIIIIIIIM EU ESTOU RESPONDENDO. AF AF AF QUE EMOÇÃO EU ESTOU RESPONDENDO 1 REVIEW DA SOFIA NOVAMENTE PÃ]SLA´PSLASP´LK E ALAS~POKAL aliás, review não, comentário. Pfvr TIREM AS RAIZES DO NYAH DE MIM. Credo.
      AW, MANA, CHORANDO COM SUA CONFISSÃO A~LPAS~POAKS SAIBA QUE QUANDO EU N FALAVA COM VOCE, EU AGUARDAVA ANSIOSAMENTE O SEU REVIEW. TIPO, O 1º QUE CE MANDOU (que me nomeou rainha das reviravoltas G_G) EU MOSTREI PRA KALLY E FIZ TDS OWNAREM ASOKASÇOPSLK E MOSTREI O DO ULTIMO CHAP DA OAV1 PRA MAMAI. DE TANTO QUE ME ORGULHAVA DE VC.

      Não falo nada do nyah. E NHAAAAAAAAAAAAW OLHA SÓ QUE FELIZ QUE FELIZ QUE FELIZZZZZ ÃPSL´PKAS~PLAS~´PLK~SPALKS Mas mana. Como falei tudo se só xinguei?
      APOANDO O MANIFESTO PROTESTANTE, É. ÃPSLÃPKA~POAKS OAV FANFICS NOS FAVORITOSSSSS!!!!!!!! NHAC NHAC
      SIM, MANA, VC SERÁ A 1 AFILIADA DE TODASSSSSSSSSSSSS A~PSLASOKP~POAL DÊ ADIÓS A TODOS MESMO. E além do mais, mesmo que eu não quisesse, vc seria, uma vez que tem minha senha ._. PLASPKAS~PALKSPSOLPSO BLOG DA EB!!!!!!!!!!!!!! #vomita
      Oi bunda do Hugh Jackman que me seduz –q

      Excluir
    3. ;__________________________________________;
      MANA, PÁRA DE TENTAR ME FAZER CHORAR, PILISE? ;_;
      ;_____________; Adiós Nyah ;_;
      Poder pode, né? Quem liga mais para as regras? -.-
      TÁ, OLHA, EU VOU SAIR DESSA PÁGINA DEPRESSIVA E IR PRO BLOG LINDO *_* Só que eu também vou querer chorar lá. Vish.
      OI BLOG LINDOOOO SIODPFSDOIGFSPOMGIDSPIGMDSOPIMG
      Cinco anos e meio depois ;____________________________; Começou a vontade de chorar OIPSDFMDSOIMPDSOMGOPDSF,SGM
      Sério, Juzy? Relógios em cima da pia? DSFIPOMFDSPOIMFODSI,FPODS,IGPOIMSDPOIFODPSF,POSIMGPOG
      OI HENRY AMOR *_* ;-;
      SOPH SENDO MAMÃE E ;________________________;
      PAOSKASOPA EU NÃO TO TENTANDO TE FAZER CHORAR, SOFIA MARTA. PLMDDS. CONTROLE-SE, MULHER.
      O BLOG LINDO DISSE OI, E NÃO, VC NÃO VAI QUERER CHORAR. MEU DEUS, JÁ COMEÇOU A VONTADE DE CHORAR, PFVR, SOFIA, O QUE HOUVE COM VOCE QUE—vc ta de TPM.
      JULIA PFTA E SEUS RELOGIOS.
      A~PSOLKASOKAS HENRYYYYYY E SOPH SENDO MAMAI E A~S~SKA~PSL PÃOSLAPSOKASOPK NHAWWWWWWW ~PASLKAÇSOPKAS APSOKASOPK ELE É PFTO APENAS E PFTO E DESENHOS PFTO E PFTO EM TODAS OS ASPECTOS. S2
      Professora e mamai <3
      ~PAOSKÃPOSÃSOLAS alsaoks~pçoaskok sim, pbre hayles,, e pobre Josh, e JOE CA VOZ GROSSA VEJA SÓ, E.... A~SLÃSOKPSÕ ai. Henry again.
      ANNA AÇSOKAÇSOPK PFTA E SIM MUDANÇAS E TDS LINDOS E SOPH MAMAI E HENRY PFTO E AÕLASÕPKASÕPALK~SOPAS MANA VOMITANDO NHAC
      Não sabem o que perderam quem despediu Juzy.
      TARRIS AMOR ÁSPLA´PSASP´KAS e sim, é. A ideia da pneumonia foi má, mas foi mais para entender né mana.... a barra que é ser mãe. Etc.
      AP~SOLKAÕPSKAS MANA PARE DE CHORAR PLMDDS.

      Excluir
    4. JULIA DOMAL ASOPLKAS~POLÃSO YEP, e ela não irá escutar pq Julia é cabeça dura mesmo e Julia é Julia, mas....... MANA PARE DE CHORAR POR FAVORRRRRRRRR
      Pobre Julia esquecendo de Leo.
      YEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEESSSSSSSSSSSSSSS NASHVILLE!
      música. Cortaram aqui tb, porque os idiotas do Governo acham que vamos sair da crise cortando nas coisas fundamentais como, sei lá, a educação -.- Música é importante para as crianças, trabalha os neurónios de um jeito inédito, e eles cortam assim? -.- Idiotice de mundo.
      E AGORA TOU TRANSFERINDO, AINDA POR CIMA, PQ SOPH FOI DEMITIDA ;_______;
      Mas entenda, Soph, isso é a vida (lê-se Sarinha) te empurrando para Nashville :))))))))))
      TARRIS CASADOOOO :OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO Isso é… bom e mau ao mesmo tempo. Ao menos ele está verdadeiramente feliz de novo <3
      MAS JUZY ;________;
      ;_____________________________; Eu nem sei quase nada sobre as aulas, mas terei saudades dos pirralhos tb ;_; quando for relembrada deles, pq né, a memória de uma pessoa não dá pra tudo.


      GOVERNO IDIOTA VDD E af, mana. Af. Mas enfim, sim, Soph, é a vida e o destino (yo) te carregando de volta para nashville (:
      Tarris casado é riot.
      PAÕSKPAÕSK TODOS SENTINDO SDDS DOS PIRRALHOS QUE NINGUEM SABE DA EXISTENCIA DIREITO S2S2S2
      PARAMORE IT NEVER ENDS, SOPH. IT NEVER ENDS.
      DANNA PFTA PASLA~PSOKAÕPSKAS E…. ANNA LINDAAAAA ELA É PERFEITA TAMBÉM.
      E DAN E MARIE CASANDO É AMORE PRA SEMPRE.
      E SIM SOPH SE MUDA VAI EMBORA VAMOS –n
      Pa~slasp´lk´~splaks~´paslkops eu também –n dica entendida.

      Excluir
    5. OPAKS~PAOSKAS SIM, NÉ. PAOSLÕPSLASOO MAS ELA NÃO ENTENDE!!!!! Joe pra sempre s2. AOSKOÇ~PAKSAOSKA LUKE ASPLAS~P´KASPASPJOPSKA´SPAS~PAOKSL e isso é segredo, Muhahahahahaha ãpslas´plas~pkpask ESTA SOPH NÃO TEM JEITO. Apenas. E.... não tenho certeza se isso aconteceria mana. MAS VC TEM RAZÃO. Em parte. É. E ninguém pode competir mesmo. É. Vc tem razão mesmo. É. Quer ser a psicóloga deles? Q
      O ENCONTRO DE NATE E JULIA SERÁ APENAS PFTO, OK, e Sophie facilitará.
      Henry é muito perfeito POASKLAÕPSK E TAMBÉM TEM CABELO A LA HARRY POTTER, COM A ÚNICA DIFERENÇA DE QUE SE ALGUEM CORTAR ELE MUITO CURTO E DEIXÁ-LO RIDÍCULO, NO OUTRO DIA O CABELO DELE CONTINUARÁ MUITO CURTO E RIDÍCULO KKKKKKKASOPKPASOLK
      Sim, mana, sou obrigada a concordar com você, com certeza. Felicidade eterna.
      OAKSÕASK~POASLKPSOLKAS HENRY PFTISSIMO ATÉ QUANDO QUER USAR O BANHEIRO. Ãls~paskpask e suas aventuras. DANNA NOVAMENTE everybody sing. LAÕPSLKALKASL HECTOR, OLÁ
      Mana, Henry >é< a coisa mais linda de sempre pra sempre, e você tem toda a razão novamente. OPAKS~ÇPOASLASO EU NUNCA PENSEI POR ESSE LADO, MAS VC TEM RAZÃO, UM CHOCOLATE INTERMINÁVEL ACABARIA COM OS DEMENTADORES. A~PSLASOK SOS
      E... <3
      OPASKASOKPASOPKSAK SIM, É MAIS QUE PERFEITO MESMO. A~PSLA~SPKAÕPLS Mana, nós amamos essa criança mas ela é minha ainda assim.
      Talvez um dentinho.
      HUMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMM será que assiste?

      E SIM, ELE TEM O MAIOR E MAIS LINDO SOTAQUE BRITANICO, AME-O. ÁSLAP´S]´PLAS´P´SPÃS sim, perdeu, tadinha. ÃOPSKÁPSKAS´]PLKSPÁSLK VERDADE kkkkkkkkkkkkkk Danna <3 <3 PARE DE CHORAR, MEU DEUS.
      Sim, Julia é um garoto, só que garota.
      ASLKA~SOLKASÕPALKSPÃ~´SPKA~SL´ISSO OK MANDE O APOIO MORAL PARA SOPH A~PLSLAOÕLS~POASLPÇOASK Julia linda e resolvedora de problemas. ~´APSL]P´SLASPKAS´LK s2s2s2 JULIA LINDA E MINHA.

      ÃPOSLK~SOAOLPASÕPKSÇ~POLS, é. Os aeroportos são terríveis. ÃSL~PLKASOLK
      ANNA LINDA S2S2S2S2 palsa]p´sl vdd, criança feliz é <3 ~PAOKLSÃOPS VDD, NÉ, VEI, JOE FODÃO. Mas se bem que ele escreve, mana, uma coisa leva a outra. ´]PALS]ÁAS´PASAP´SLK VERDADE NÉ. Acho que é da pessoa.
      SPOILER NHAC ~PKASÃOPS~PASLK sim, né, mana, acho que poucos estão acompanhando até aí, ou não, nunca se sabe. ~pals~´sola~sokpãsok Anna POTTERHEAD LINDAAAAAAAA AÕPSLKA~SOPLK tá, td bem, ela pode ser sua. ÃSLKA~SLKAS~´PSLK HENRY S2 DO BEM S2
      ÃLS~ÇPASKAÇ~PSLOAS quantas risadas, oh.
      ÃSKSAÕKASOS~PÇOAKS IMPROPRIAS, PFV.
      Né? Estanha, mas legal.

      Excluir
    6. ~´APÃPSKASPKS SIMMMMMMM HOME SWEET HOME. A~SLPAKS~POLASÃPSL Crianças lindas ;-; <3 e rio cucumber (ollha eu escrevendo o nome errado), NÉ, SOPH? Psé. ÃPSOKÃPOKSAPLAS
      SIM, ELA SABE, MANA. A~PSLAS~LKSPALKS ou não. Mas saberá.
      ASLK~PSLKA~SPLKÃPSLKÃSPKAS SOL PARA HENRY.
      PAÃSLKA~SOLKAS JOOOOOOOOE! Meu deus, mana, para de chorar, caramba. ORGULHO S2
      HAYLES DISSE OI.
      JOSH GRISALHO DISSE OI. ALSÃP´SLK´PSLA´PALSÁSPK~´SPAS~´OS
      NATE gostoso. Apenas.
      HUM, CE ACHA, MANA?????? SERA Q JUZY N FICARÁ FELIZ COM ISSO? HUM.
      ~PASPLKASÃSKÕPLKSPÇOLAS HENRY futebolesco nhac. Paso~pals~pokas MANA QUAL É KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK morrendo. Sogro. Pfv.

      Julia é um garoto só que garota, voltamos à mesma tecla. ÃPSLA~SKPSOPL SIM, VDD, TEM MESMO.
      E lá vem vc chorando de novo.
      ÃOSKÃOPLSOPLASKÕPSS SERÁ AMOOOOOOOOOOOOOOOR S2 SS~LÃSOLKA´SPALKSPL
      Sim, né. Pfvr. Este Hector.
      Imagino que seja, hum.
      PAOKS~POSL~PAOSLK~PASK QUANTOS SURTOS, MANA!!!!!! KKKKKKKKKKKKÃPSOK~SAOPL
      Eu tbm imaginei mas né. POAKSÇA~SOLK QUE FOFO. E TUDO BEM PRA MIM, GOSTO DA SUA LOUCURA PÃS~PKS~PAOSK~PKS~PSKÕSK ÃPSLÃPÇOKÇÕPAS sim, ideias de Josh. ~PALSÃPSLKAS nhaaaaaac. Pois é, não?
      Quanto susto, mana. PÕKASÇ~PKASÃPSOK QUANTO AMOR, TAMBÉM! TODOS IN LOVE ABOUT NATE, NOW. ôSPLAS~K~S~S
      AOKSÃSLKPSAOLSPLK vdd né. ENTÃO NÉ NEM TEM ISSO OK AS´PLS][´ÇAS]A´~ASPLSAP´KLASPLS~´S
      COWBOY.
      LUKE GOSTOSO.
      COWBOY E LUKE GOSTOSO.

      VIDA.
      <3

      Excluir
    7. Que fofura *_____________________* Mana, você é uma idiota <3 No sentido de que tem muitas ideias, tá? SDPIOFMDSIOMGIPOM
      NHAW NHAW, tb amo você (nem tou melosa hoje :333333)
      E POR FAVOR, O QUE É ESSE CAPÍTULO?????????????????????????????? Nem vou falar mais, porque, pra primeiro review, seu blog já ficará traumatizada KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKDSPOIFMDSPOGIMGIMP
      BOA SORTE RESPONDENDO, IRMÃ E AUTORA GATA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! <3
      PAOSKAOLPASÇÕP SIM, NATE E JULIA!!!!!!!!!!!!!!!!!!! A~PSLA~SPAK~SÇOPASLK~ÇOPASKLÃSLKSPOK VAI MESMO KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKA~POKAS~PALSPÇOÃLSKA
      Fofura, nhac. Obrigada!! AOPKSÃPSLÃOKPAS nunca fiquei tão feliz por ser chamada de idiota.
      OBRIGADA PELA BOA SORTE, NÉ, MESMO QUE EU ESTIVESSE LENDO E RESPONDENDO. Foi difícil, mas como sempre, uma boa experiência <3

      Excluir
  12. SARAAAH :( TENTA ARRUMAR PRA PEGAR NO CELULAR PQ A PRIMEIRA PAGINA ABRE, MAS QUANDO VOU ABRIR A PAGINA DO CAPITULO NAO DAAAAAA :(

    ResponderExcluir
  13. MAS OQ¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿ 5 anos¿¿¿¿¿¿¿¿ caraiii quanto tempo véééééiiiiiiiiiiiii.
    SOPhhhhhhhhhh e HEnryyyyyyyyyyyyyyy *------*
    A mãe dela já sabe do filho de Soph¿¿
    AIii q coisa mais linda gente *-------*
    Soph se tornou professora, com certeza Juzy virou um jornalista *---*
    E Soph, ficou com o fofo do Henry *oo*
    Aopskaposkas pois éé Soph, vc foi uma adolescente e.e
    Credo a família nem se quer apoio ela ‘-‘
    Q coisa feia.
    Hayley sua linda louca *--*
    Josh muito bem continue assim.
    Nate e Joe *--* saudades de vcs *---*
    Ai q coisa mais linda e fofa *---------*
    Ameiii eese Henryy *ooo*
    MEo Deos. E Luke¿ e.e
    Eu preciso saber do paradeiro desse ser e.e
    Man essa OAV ta ficando perfeita.
    Aii meo Deos, pneumonia O.O¿
    Bem, agora ele esta melhor né¿ e.e
    Sim ela fez o certo ficando com o pequeno henry *oo*
    Kkkk Henry vai comer menino u-u
    E vééi, Julia deve estar inda *--*
    AMOOOO BON JOVI *__*
    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Julia pepe muita engraçada, amo ela. *--*
    Luke... A primeira vez q esse nome é citado nesse cap.
    Nate. Luke. >.< Man cade vcs¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿
    Noss vééi, tinha esquecido q Juzy tem irmão e.e
    Fael

    ResponderExcluir
  14. Siiim vai com ela Soph, vc tem q voltar com ela.
    Por favor Soph.
    Henry tem q conhecer a sua cidade. Ele tem q ir visitar a sua cidade.
    Ele tem q ir visitar os avós dele. E conhecer o pai dele.
    Henry tem q conhecer o pai dele.
    GINA¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿ Eu tenho uma professora q se chama Gina apoksoaskaopskaops
    Q merda de escola éé essa¿ PQP. Affs
    Demitir logo Soph, ela cantou na banda Paramore. Vcs sabia¿ Bem, acho q não, pq se vcs soubessem, não teriam demitido ela. PQP.
    Tarris, meo filho foi atrás da sua amada *--* Q coisa mais fofa meiga *oo*
    Nossa q raiva dessa escola ¬¬
    Vai la busca o fofo meigo do Henry *oo*
    DANNAAAAAAAAAAAAA SUA COISA MAIS LINDA DO MUNDOOOOOOOOOO
    SAUDADES DE TI *----------*
    Q bom matei a saudades da Juzy mas agora estou com saudades do povo de Nash. (:
    Dannaaaaaaaaaaaaa meus parabeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeens *ooo*
    E Soph, Soph, quem disse q vc não vai¿ VC VAI SIIM U-U
    Afe Soph, vc num presta PQP. Vai deixar de ir no casamento da irmã por causa do LUKE¿¿¿¿¿¿ PQP viu ¬¬
    Vc vai sim u-u
    Luke, esta em uma banda. Q lecal ^^
    Vééi como assim em um relacionamento enrolado¿ Ele ta namorando com alguém¿ e.e
    Siim ele tem duas mãães aposakoskapos *-*
    Oh, Meo Deoosooo, ele de óculos deve ser super fofomeigo *ooo*
    Kkkkkkkkkkkkkkk parecia q ia discursa mas na verdade só queria usar o banheiro kaopsakosaksop
    Aopskaopska culpa de Hector kkkkkkkk
    Aopskaopksopas Sophie deve ser uma linda mulher e ela é doida paoskpaosk
    Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa Danna e Hector, perfeições ambulantes *ooooooooooooooooooooo*
    Aff Soph, PQP viu, vai para o EUA e pronto affs ¬¬
    DAAAAAAAAAAAAAAAAAAAN *--------* VC SE CASOU VÉÉI, Q SAUDADES DE VCS t.t
    Danna tem razão u-u
    Viu como eu disse Danna tem razão. U-u
    Julia é o pai de Henry opaskpoask
    Soph vc tem q iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiirrrrrrrrrrrrrr T>T
    Soph, vc sabe sim. Vcs vão u-u
    Juzy sua linda, vc é maluquinha opakspoakspaoks
    Julia a doida aopskaosk Pensadores incríveis é A+ kkkkkkk
    Aeeeeeeeeeeeeeeeeeeee elas foraaaaaaaaaaaaaaaam aeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee.
    Anna *---------*
    Gente vai logoooooooooo, vcs tem q chegar logo.
    Isso mesmo, num poderá ser nada mais q incrível u-u
    Amo Juzy.
    Mas Soph ainda ser minha preferida hohohohohoh
    Paposkaopskaops Ela gosta de HP q legal opaskpaoks eu tbm acho lecal mas num sou fãã fanático e.e
    Serio q ele assumiu¿ Queria saber como foi a reação do Josh e d Hayley e.e
    Aopskaposaks Q daora ela revendo toda a família *--*
    Rugas kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    ODEIO AMAR VOCEEEEEEEE AMEIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII *OOOOOOOOOOOOOO*
    JOEEE ISSO éééé perfeitoooooooooooooooooooooo
    AMEIIIIIIIIIIIIIII AAAAAAAAAAAAAA
    OAV NA OAV
    ¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿¿
    Q COISA MAIS PERFEITAAAAAAAAAAAAAA VÉÉÉÉÍIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII
    Surtandoooooooooooooooooooooooooooooooooo
    Fael

    ResponderExcluir
  15. Opaksopakspa os dois não conseguem dizer não, um ao outro kkkkkk
    Siim ele ainda a ama u—u obviamente u-u
    Vish, como ele sabe q ele é filho de Luke¿ e.e
    ‘-‘ Não acredito. Lukeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee
    Cowboy aii q fofoooooooooooooooo *oooooooooooo*
    Luke para, não faça isso.
    Caraiii q momento tenso.
    Bem, até q foi melhor q eu imaginei q seria quando eles se vissem e.e
    Oii Sarinha poakspaskoas
    Tbm lhe amo Sarinha e bem, faça uma ask.fm e.e
    Bjus Tchal Sarita. Amei o cap. *ooooooooo*
    Ta ruim ficar comentando assim e.e
    E eu só sei comentar em anoni T.T
    Rafael Lopes o Fael aopskaposk Bj.

    ResponderExcluir